Deprecated: get_the_author_ID está obsoleto desde a versão 2.8.0! Use get_the_author_meta('ID') em seu lugar. in /home/pedromig/public_html/ourodetolo/wp-includes/functions.php on line 4713

Deprecated: attribute_escape está obsoleto desde a versão 2.8.0! Use esc_attr() em seu lugar. in /home/pedromig/public_html/ourodetolo/wp-includes/functions.php on line 4713

Deprecated: attribute_escape está obsoleto desde a versão 2.8.0! Use esc_attr() em seu lugar. in /home/pedromig/public_html/ourodetolo/wp-includes/functions.php on line 4713

Assisti aos desfiles do Grupo Especial em uma frisa do Setor 3, na primeira após a linha de início de desfile, a frisa número 1. Ou seja, a caminhada entre a área de dispersão após o desfile e a volta à frisa é praticamente a extensão da avenida, cerca de 700 metros. Uma longa caminhada.

E, na madrugada de terça-feira, enquanto fazia esta caminhada após o desfile da Portela, com passos lentos e sendo interrompido por populares me cumprimentando, todo um filme passou pela minha cabeça. Um filme que começou no longínquo ano de 2000.

Ano em que foi fundado o PortelaWeb, reunião de internautas participantes da extinta Academia do Samba, lista de discussão por e-mail. Grupo que se reuniu primeiro a fim de criar um site para a Portela, então não representada virtualmente. Apresentamos o projeto e se tornou o site oficial durante os últimos anos da gestão Carlinhos Maracanã.

20160209_012517Antes da eleição que consagraria Nilo Figueiredo, alguns integrantes do grupo já auxiliavam de na prática a administração tocada de forma efetiva pelo hoje integrante da diretoria e então diretor de Carnaval Marcos Aurélio Fernandes. Entretanto, com a eleição de Nilo Figueiredo, todos fomos literalmente expulsos da escola.

A partir de então, nossa opinião passou a ser política. O PortelaWeb passou a ser a voz dos descontentes com uma administração mais preocupada em se servir do que servir à Portela. Alguns de nós se tornaram sócios em 2007 e passamos a ter voto também, em um sistema eleitoral viciado – bom que se diga.

Aviltada ano após ano, a Portela deixou de ser respeitada por muita gente. Neste período, deixamos de ser uma escola de samba para ser uma escola do samba: muito ativa por intermédio especialmente de sua Velha Guarda, mas com desfiles que apenas passavam – isso quando as alegorias e fantasias mequetrefes chamavam a atenção pela sua mediocridade.

A Portela deixou de ser respeitada. A Portela virou chacota. A Portela estava humilhada.

20160209_023351Até que veio 2011. Aquele que, no meu juízo, é o pior momento da história da Portela. O ano em que fomos “café-com-leite”, o ano em que, não fosse o incêndio, talvez a escola sofresse um inédito e devastador rebaixamento.

Ali foi o ponto da virada. O PortelaWeb escreveu à época do incêndio e eu escrevi neste blog artigo que também teve repercussão. Mas ali começou a se formar um movimento que deu um basta a esta situação.

Jovens braços, representados por grupos como o nosso PortelaWeb e torcidas como a Guerreiros da Águia, somados à nossa Velha Guarda, capitaneados pelo grande, gigante Marcos Falcon, se uniram a fim de tirar a Portela desta situação.

Primeiro impondo na marra à então administração o “Madureira sobe o Pelô”, samba que serviu de catalisador a todo este movimento. Em tempo: obrigado, Luiz Carlos Máximo, Wanderley Monteiro e Tuninho Nascimento. A história os reconhecerá.

Depois, fazendo um trabalho de formiguinha durante dois anos para devolver à Portela uma administração condizente com a sua grandeza. Mesmo com um quadro eleitoral viciado, conseguimos a vitória, por apenas três votos.

Começava o trabalho de recuperar uma escola absolutamente destruída em termos administrativos, financeiros, estruturais e de autoestima. Mas, três carnavais depois e fechando o primeiro triênio da nossa administração, pode-se dizer que a missão foi totalmente cumprida. Os humilhados passavam a ser exaltados.

20160209_013744E ontem, vendo a Portela ser aclamada como a campeã do carnaval por todos os setores da Sapucaí, todo o esforço destes anos, toda a provação pela qual nós portelenses passamos, valeu a pena. A Portela foi reerguida pela união entre aqueles que viram a Majestade grandiosa e vencedora com aqueles que lutavam para que a Águia voltasse a ser isso.

União, competência administrativa, profissionalismo, amor à Portela. Esta é a receita. E me sinto feliz em saber que, modestamente, dou minha contribuição a este ressurgimento. Em uma área na qual quem vê o desfile não percebe, mas que sem ela nada funciona. Procuro ser discreto, fazer a minha parte e deixar os verdadeiros artistas, os verdadeiros responsáveis, brilharem. Minha vaidade é ver a Portela forte e campeã.

E retornei à frisa ontem feliz, emocionado e com a sensação de ter tirado um peso de toneladas das costas. Todo portelense deve ter sentido isso. O clima de festa na dispersão, com muita gente chorando, tinha muito a ver com isso. A Portela está de volta, a Portela voltou a ser respeitada, a Portela é a campeã do povo.

Isso não tem preço.

Dedico uma palavra especial ao nosso vice-presidente e gestor administrativo Marcos Falcon. Além de sua liderança, tem uma característica especial para gestores: incentiva o trabalho dos técnicos nas diferentes áreas. Sabe reconhecer as diferentes competências exigidas para cada função.

Obrigado, Serginho Procópio. Obrigado, Marcos Falcon. Obrigado Fábio Pavão, Rogério Rodrigues, Vanderson Lopes, Lucia Pinto, Cristiano Cordeiro, Rodrigo Prates e toda a equipe PortelaWeb, à toda equipe Guerreiros da Águia e a todos que deram seu tempo e suas qualidades neste processo. Obrigado.

Um obrigado especial à minha esposa Daniele.

E não sou cristão, mas nada define melhor o momento vivido na madrugada de hoje que aquela frase bíblica: “os humilhados serão exaltados”. E fomos exaltados.

E vamos em frente que tem muito a evoluir e conquistar ainda!

20160209_023206

8 Replies to “Os Humilhados Serão Exaltados”

    1. Bem se vê que não entendeu o artigo. Sugiro que leia uma segunda vez para ficar mais claro o entendimento. Saudações.

Comments are closed.