Categorizado | Pedro Migão

Axé Sou Eu

20181205_212354

Não faz muito tempo, li (não sei se em entrevista ou na página dele no Facebook) um compositor consagrado no samba enredo dizendo que “um bom samba tem que começar com um verso forte, que marque”. Não me recordo se as palavras eram exatamente essas, mas esse era o sentido.

Faço esse “nariz de cera”, como dizem os jornalistas, para reafirmar ser esta uma grande característica do samba da Portela para 2019. O verso “axé sou eu”, no caso com a homenageada Clara Nunes em primeira pessoa, comandou desde a primeira audição a composição que se sagraria a vencedora no concurso interno.

E este verso é o símbolo da força que o samba vem demonstrando desde que foi o escolhido. Seja no CD, seja na apresentação da festa (fechada) da Liesa, seja na quadra como vi e registrei ontem. Frequento a Portela de forma (mais ou menos assídua) há praticamente duas décadas e nunca vi a escola tão forte e tão feliz a exatos três meses do desfile, como vi ontem. A Portela é pura emoção, pura energia.

Ganhar ou não o campeonato depende de muitos fatores, objetivos e subjetivos. Mas uma escola feliz e comprometida é um bom começo.

Abaixo, alguns registros que fiz. Aperte o play.

Canto das Três Raças

Gilsinho e o coro dos componentes da escola, praticamente à capella, entoando um dos maiores sucessos de Clara Nunes.

Alusivo

O alusivo da escola.

Arrancada

Arrancada e a passada com bateria.

Samba 2019

Com bateria

Samba 2019 ao final do ensaio.

Imagem: Ouro de Tolo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.

Visitas

Facebook