Categorizado | Made in USA

Os esquentas das Escolas do Especial – Domingo

20160208_010028

Para aquela pessoa que realmente gosta de samba, não há momento melhor do que o esquenta da escola minutos antes de começar o desfile oficial. Exatamente por isso, sempre que posso fico nos setores 2 ou 3 da Sapucaí, bem como o Editor Chefe.

Porém nos últimos anos está ocorrendo um fenômeno interessante: cada vez mais as escolas estão descartando do esquenta os clássicos sambas-enredos antigos e estão adotando “sambas-exaltação” de estimação, que estão se tornando verdadeiros “sambas semi-oficiais de esquenta”.

Algumas escolas, como Mangueira, Portela e Beija-Flor, sempre os usaram mesmo que antecedendo a sambas-enredo, na época em que o tempo de esquenta permita cantar 2 ou 3 músicas facilmente.

Talvez ajudadas pelo tempo cada vez menor de esquenta que as escolas tem direito, cada vez mais outras escolas estão resgatando sambas-exaltação para usá-los a fim de esquentar a garganta dos componentes e a bateria em todos os anos. Porém percebi que verdadeiras pérolas são recebidas pela arquibancada calada simplesmente porque não os conhecem.

Pensando nisso, resolvi fazer essa coluna mostrando cada um desses sambas de esquenta das escolas do Grupo Especial. Além delas, já que estamos passeando em belos esquentas, teremos um 3º post com sambas famosos de escolas que não estão no Especial atualmente.

Obs: talvez vocês sintam a falta do Império Serrano. Mas, quase que inexplicavelmente, o Império nunca adotou um samba-exaltação para ser o seu esquenta, preferindo até hoje recorrer aos sambas enredos antigos.

É uma pena, pois a música adotada poderia virar uma marca da escola, como vocês verão que já ocorreu com diversas escolas ao longos das duas partes dessa coluna.

No caso das escolas do Especial, também encerrarei com um palpite sobre a probabilidade de ouvirmos o samba apresentado (ou algum dos sambas) no esquenta de 2017.

Muitos dos sambas aqui apresentados foram tema de uma série bem legal do telejornal local da TV Globo Bom Dia Rio em 2014. Por isso, sempre que possível usaremos como vídeo demonstração o esquenta do ensaio técnico desse mesmo ano, no qual foram gravadas as passadas para essa série. A maior parte desses esquentas está disponível no Canal do site Carnavalesco no Youtube.

Vamos então a esse passeio musical, na ordem de desfile de 2017

Paraíso do Tuiuti

Das 12 escolas do Especial é a única que não tem um samba-exaltação minimamente conhecido. Quando esquenta, costuma usar o bonito samba de 2001, mais conhecido pelo verso “Tu és meu sonho Tuiuti”. Como a ideia dessa coluna é não se focar em sambas-enredo, pulemos.

Uma curiosidade é que em 2004, quando homenageou Vinícius de Moraes, “Tarde em Itapoã” foi o “samba” de esquenta.

Grande Rio

Por muito tempo a Grande Rio usou como esquenta seu belo samba de 1996, o famoso “Imponho, sou Grande Rio”. Porém, vez ou outra Wander Pires já cantava o “Exaltação a Grande Rio” e desde que Emerson Dias assumiu o microfone, não há outro esquenta na escola de Caxias. Porém a letra da 2ª parte da música foi bastante alterada em relação a versão inicial. Aqui coloco a letra dessa versão que o Emerson Dias costuma cantar.

Obs: não consegui descobrir quem são os compositores da obra. O leitor que souber por favor nos avise nos comentários, que a informação será acrescentada na coluna.

O vídeo abaixo é do esquenta do ensaio de 2014 na voz dele mesmo, Emerson Dias.

Exaltação a Grande Rio

Meu coração é só felicidade
Vem ser feliz você também
O sonho se tornou realidade,
A poesia, com maestria, atingiu a perfeição
Vermelho tem a raça, no branco tem a paz
O verde é a esperança, a fé não se desfaz.
Vem amor, e vamos lá, que a hora é essa,

Aclamada pelo povo, não tem jeito não
Solta o grito da garganta “É Campeã!”

Ao passar, Grande Rio
Teu cantar me faz sonhar
Canta, pois o teu canto é força, é luz,
Canta Caxias tua força me conduz.

Probabilidade de aparecer: alta. Em condições normais seria infalível, mas com esse enredo sobre Ivete Sangalo, existe alguma possibilidade de excepcionalmente termos outro esquenta, possivelmente um dos grandes sucessos da cantora. Porém, não lembro de outra música ser usada na era Emerson Dias.

Imperatriz Leopoldinense

Aqui não tem mistério, nem muito o que apresentar. O grande samba-exaltação de esquenta é o clássico “Rainha de Ramos”, mesmo que muitas vezes ele tenha ficado escondido atrás belo samba-enredo de 1989 da escola (que, por um acaso, se segue ao Rainha de Ramos no vídeo abaixo). O vídeo também é de 2014 e por isso, a voz principal é de Wander Pires, 1ª voz da escola na época. Cantam com ele Elymar Santos e Preto Joia.

Wander hoje voltou à sua Mocidade de origem.

Rainha de Ramos

(Preto Joia e Guga)

Quem não sabe o que é o amor
Não sabe o que é ser feliz
Quem não sabe o que é sambar
Não sabe o que é Imperatriz

Linda, majestosa, tão querida
Ela se agiganta e encanta a avenida
Verde e branco, meu cantar
Minha vida, meu pulsar

Sei (eu sei)
Que é preciso cultivá-la, oh flor !
Que é preciso sempre amar você
E sempre falar de amor!

Probabilidade de aparecer: média. Como disse acima, as vezes a Imperatriz prefere no desfile cantar o “Liberdade, Liberdade” de 1989 que é mais conhecido do povo “off-carnaval” do que o Rainha de Ramos.

Vila Isabel

Aqui temos outro clássico: “Sou da Vila, Não tem Jeito”. Quem nasce em Vila Isabel já aprende esse samba por osmose nos ensaios da 28 de Setembro. Não tem quem fique parado ao ouvir os primeiros acordes.

No vídeo abaixo, como é de 2014, o samba é cantado por Gilsinho, que hoje voltou para sua Portela de origem. Ao lado dele, está o histórico Gera, intérprete histórico da Vila. O samba enredo que se segue ao samba-exaltação é o samba enredo campeão de 2013.

Sou da Vila, Não tem Jeito

(Vilani Silva, Rodolfo, Jaiminho e Saberás)

Sou da Vila, não tem jeito
Comigo eu quero respeito
Que meu negócio é sambar (oi, iaiá)
Se você não acredita
Por favor não me complica
Deixa esse papo pra lá (abra os braços)

Abre os braços amor
Olha eu aí (olha a Vila aí)
Vou levantar a poeira
Balançar a roseira na Sapucaí

Outro samba de esquenta da Vila, que não vejo como esquenta tem algum tempo, mas foi muito importante na década passada é “Renascer das Cinzas”. A Vila foi rebaixada após um desfile complicado em 2000 e amargou 4 anos na Serie A antes de finalmente retornar ao Grupo Especial em 2005. Nesse período complicado, Renascer das Cinzas por algumas vezes foi o esquenta da escola, inclusive no desfile de retorno ao Especial.

Como a Vila parece estar se reestabelecendo após um período bastante complicado após o título de 2013, é possível que ele seja cantado novamente em 2017. Vamos ao esquenta do desfile das campeãs, quando a Vila comemorava seu título cantando justamente esse samba em seu esquenta. Tinga ainda era a 1ª voz da escola.

Renascer das Cinzas

(Martinho da Vila)

Vamos renascer das cinzas
Plantar de novo o arvoredo
Bom calor nas mãos unidas
Na cabeça de um grande enredo
Ala de compositores
Mandando o samba no terreiro
Cabrocha sambando
Cuíca roncando
Viola e pandeiro
No meio da quadra
Pela madrugada
Um senhor partideiro

Sambar na avenida
De azul e branco
É o nosso papel
Mostrando pro povo
Que o berço do samba
É em Vila Isabel

Tão bonita a nossa escola!
E é tão bom cantarolar
La, la, iá, iá, iá, iá, ra iá
La, ra, iá

Probabilidade de aparecer: alta. A Vila tem usado bastante “Sou da Vila, Não tem jeito” nos últimos anos e a única opção que vejo para ele não ser usado é se voltar “Renascer das Cinzas”.

Salgueiro

Salgueiro é outra escola que, apesar de ter uma boa penca de sambas-exaltação, não morre de amores por nenhum deles. Mas desde que Leonardo Bessa assumiu um dos microfones principais da escola, é de lei o esquenta ser feito com uma parte extraída de “Salgueiro é uma Raíz”.

Por algum motivo, talvez o fato desse samba nunca ser cantado inteiro nos esquentas, não se cantando a parte do “me enganei não foi esta vez”, o samba retratado pela série do Bom dia Rio não foi esse. Assim, o vídeo que se segue é de um ensaio de quadra do ano passado. Os cantores são os atuais Serginho do Porto e Leonardo Bessa.

Salgueiro é uma Raíz

(Branca di Neve e Luiz Carlos)

Lá vem Salgueiro
Lá vem Salgueiro

Segunda-feira estava tão feliz
Mesmo cansado de tanto sambar
Subi o morro com a Beatriz
Que estava louca pra comemorar

Mas quando o Salgueiro passou
Alguém começou a falar
É esta a escola que vai ganhar

Me enganei não foi desta vez
Mas o ano que vem vamos voltar

Um velho ditado é quem diz
Salgueiro tem uma raiz
Que nasce forte em qualquer lugar

Probabilidade de aparecer: quase infalível. Há alguns anos ele é presença certa no esquenta do Salgueiro.

Beija-Flor

Aqui nem tem o que falar. A identificação do antológico “Deusa da Passarela” com a Beija-Flor é tão forte quanto a de seu compositor, Neguinho da Beija-Flor. Ninguém consegue imaginar um desfile da Beija-flor sem antes ouvir Neguinho entoar o “É eeeela, maravilhosa e soberana”. Esse será o último esquenta de domingo.

No vídeo, também do ensaio técnico de 2014, é claro que quem canta é o próprio Neguinho.

Deusa da Passarela

(Neguinho da Beija-Flor)

É ela,
maravilhosa e soberana,
de fato nilopolitana.
Enamorada deste meu país.

É ela,
a deusa da passarela,
razão do meu cantar feliz.

É ela,
um festival de prata em plena pista,
é o sorriso alegre do sambista,
ao ecoar o som de um tambor…ôô

Beija-Flor minha escola,
minha vida, meu amor

Probabilidade de aparecer: infalível. Única possibilidade de Deusa da Passarela não tocar é a Beija-Flor ter um problema sério na concentração e preferir não esquentar.

Imagem: Ouro de Tolo

15 Respostas para “Os esquentas das Escolas do Especial – Domingo”

  1. Excelente post, Rafic. Quanto ao Tuiuti, tem um samba-exaltação que fora gravado no CD do Grupo A de 2012 de autoria do Daniel Silva. Não sei se é muito cantado, mas transcrevo aqui.

    “Meu Paraíso quando entra na avenida
    É garra, emoção, é mais que paixão
    A velha guarda é a raiz da nossa escola
    Traz sabedoria e o orgulho de ser Tuiuti

    Passistas com gingado envolvente
    Harmonia e a comissão de frente
    Porta-bandeira à bailar, Mestre-sala à cortejar
    E as Baianas com seu axé
    O presidente e a criançada chegam cheios de alegria
    Todos junto ao som da bateria

    O coração vai tremer e a galera vai ver
    Que o Tuiuti bota pra ferver!

    Meu pavilhão é o meu amor!
    Comunidade Eu sou, eu sou!
    Sua coroa a girar
    Pra sempre vou te amar!”

  2. ANDRE LUIS FERREIRA MOTA disse:

    sera que globo vai mostrar esquentas e os gritos de guerra ao vivo porque 2016 tal estudio de globeleza era irritante demais

  3. Evandro Avallone disse:

    Ótimo post, meus preferidos são da Mangueira (o mais marcante de todos ), Portela ( os 3 são lindos ) e Tijuca ( sou um pouco suspeito pq é minha escola mas acho ele de uma beleza incrível e muito pouco conhecido no carnaval ).
    Mas será que esse ano vai ter esquenta? Já que o tempo de desfile vai ser menor e a globo quer algo mais dinâmico entre uma escola e outra…

  4. “Única possibilidade de Deusa da Passarela não tocar é a Beija-Flor ter um problema sério na concentração e preferir não esquentar.”

    Ou se o Neguinho cantar “Mulher, mulher, mulher, mulher…”, como em 2011! Hahahahahahahahaha…

Trackbacks/Pingbacks

  1. […] Não irei retomar as questões do texto escrito há dois anos atrás. Nem falar sobre os sambas de esquenta mais famosos de cada escola – o colunista Rafael Rafic escreveu série de três textos antes deste carnaval que merecem leitura.  […]


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Visitas

Facebook