Categorizado | Pedro Migão

Guia Prático da Sapucaí – Versão 2017

20160205_221315

Este é um post que já se tornou tradição nesta revista eletrônica: o Guia Prático do Desfilante. Este ano, como nos anos anteriores, optei por fazer algo mais amplo e dar algumas dicas àqueles que irão somente assistir aos desfiles, em versão atualizada. Começarei, obviamente, pelas dicas aos que desfilarão.

Parte I – Desfilantes

Lembre-se, leitor, que o trabalho de um ano estará em avaliação e não será você quem irá atrapalhar, né? Não tenho intenção em esgotar o assunto, mas sim compartilhar a experiência de dezessete anos e mais de quarenta desfiles na avenida.

Praticamente todas as escolas ainda têm vagas em alas comerciais para desfilar este ano. Dependendo do grupo, há roupas de R$ 100 a R$ 1,8 mil. Outras escolas ainda possuem vagas para desfilar como composição de carro alegórico; mas aí o custo, especialmente no Grupo Especial, é um pouco maior.

Com um pouco de sorte, se pode até buscar uma vaga em ala de comunidade em algumas agremiações, mesmo faltando duas semanas para o carnaval. Especialmente na Série A.

1 – Retire a fantasia antes;

Lógico que isso não depende muito do desfilante, mas se puder retirar a fantasia (caso esteja pronta) cinco ou seis dias antes do desfile é bom para que se possam fazer pequenos ajustes, caso necessários.

Antes de adquirir a fantasia procure referências da ala. O risco de se envolver em uma “roubada” cai consideravelmente. Os sites oficiais das escolas, na medida do possível, também ajudam.

Aos que desfilam em alas de comunidade das agremiações, aí cabe aguardar o cronograma de entrega determinado após a sequência de ensaios. Algumas escolas já entregam suas roupas no momento em que escrevo.

2 – Chegue com antecedência;

Parece óbvio, mas não é: chegue a tempo de fazer os ajustes na fantasia e de encontrar seu lugar na ala sem atropelos. Se houver dificuldade para colocar a roupa corretamente, peça ajuda.

Para o Grupo Especial, basta estar lá quando a escola anterior estiver entrando na avenida. Nos grupos de acesso, meia hora antes é o suficiente, desde que você esteja pronto – um pouco antes se estiver nas primeiras três ou quatro alas.

3 – Não esteja bêbado;

Beber uma ou duas cervejas antes do desfile é salutar, relaxa e facilita. Mas não exagere. A chance de você atrapalhar a escola ou ser retirado do desfile é grande.

Pessoalmente, nos dias em que desfilo bebo uma latinha antes de sair de casa e outra quando saio das frisas para a concentração. Mas depende muito do organismo de cada um – sou forte para cerveja.

4 – Cante o samba;

Saber o samba e cantar o tempo todo é fundamental. E isto é avaliado no quesito Harmonia. Portanto, não atrapalhe a escola. Além disso, isto é cada vez mais cobrado pelas agremiações nos ensaios e no desfile em si.

5 – Sem experiência, não desfile nas pontas;

“Pontas” de ala, primeira e últimas filas são para quem tem experiência em desfilar, pois são necessárias noções do trabalho de Harmonia. Venha no meio da ala caso não tenha experiência;

6 – Esqueça as câmeras de televisão;

Ainda que seja filmado, a chance da sua imagem ser escolhida pelo diretor de edição é quase zero. Esqueça as mesmas – isso atrapalha bastante a escola.

7 – Tenha a fantasia inteira;

Muitas vezes pode parecer desconfortável, mas todas as peças componentes da fantasia são feitas para serem usadas. Isso também é avaliado pelos jurados. Obviamente, pequenos defeitos são normais, até devido ao transporte.

Faça a conferência antes de sair de casa ou de seu lugar na Marquês de Sapucaí para não esquecer nada. E outra coisa: você pode ser retirado do desfile caso esteja com a indumentária incompleta.

8 – Nada de máquinas, celulares e outros penduricalhos;

Tudo que não faz parte da roupa não deve estar lá e é avaliado pelo jurado. Deixe as fotos para depois. “Pau de selfie”, então, nem pensar. Além disso, ainda que não utilizado, se ficarem à mostra celulares, máquinas e carteiras punições por parte do jurados estão passíveis.

9 – Se desfilar em mais de uma escola no mesmo dia, compre um ingresso;

Facilita demais a logística. Além disso, você pode voltar por dentro do Sambódromo, o que permite um grande ganho de tempo.

Se houver disponibilidade financeira, procure um ingresso de frisa, ainda que nos setores da Praça da Apoteose. Pode-se guardar as fantasias e fica mais fácil para se trocar de roupa. Não se esqueça de retirar a pulseira para poder retornar ao setor quando for desfilar, encontrada nos quiosques atrás de cada setor.

Nos setores de arquibancadas têm havido “guarda-fantasias” nos últimos anos, para facilitar o fluxo nos setores.

10 – Evite desfilar em escolas seguidas;

Só faça isso se o leitor tiver muita experiência e vier em uma das primeiras alas na escola inicial. Pessoalmente, jamais faria isso: a correria e o risco de não desfilar na segunda são muito grandes.

Aliás, para o leitor que não tem o hábito, uma escola por noite é o suficiente. No Grupo de Acesso A de 2004 cometi a loucura de desfilar em quatro escolas na mesma noite. Resultado: no Tuiuti, que era a última, passei me arrastando – e com o joelho estourado… Aliás, depois que operei os dois joelhos em 2015 tenho me limitado a duas escolas por ano.

11 – Evite o “XY”;

Este é um dos grandes limitadores dos desfiles modernos. Tirando a turma que vem na primeira e na última fila da ala, brinque, troque de posição, evolua. Carnaval não é marcha militar. Saiba que para fazer a curva na avenida os diretores da escola farão a organização em filas. Seja paciente como eles porque eles estão mais nervosos do que nós.

Depois que entrar na avenida não só você pode como deve se movimentar em todas as direções, respeitando os limites das alas vizinhas. Não permaneça em fila. Fique atento. Olhe ao seu redor. Preencha os espaços da avenida.

Não se acumule em um lado ou outro da ala. Não se acumule na frente da ala.

12 – Um kit de costura ajuda;

Um kit com tesoura, linha e agulha ajuda para eventuais ajustes de última hora. Experimentar a fantasia quando da sua entrega, também.

13 – Camisa não atrapalha;

O leitor ganhou uma camisa para desfilar. Não atrapalhe. Mantenha-se nas laterais da avenida, cante o samba, incentive o componente de ala, jamais atravesse a pista após o Setor 1 e respeite o pessoal da Harmonia. Você tem de dar exemplo aos demais desfilantes.

Normalmente o pessoal com mais experiência acaba sendo solicitado para ajudar na Harmonia de alas. Não faça cara feia. Ajude.

14 – Alimentação;

Consuma coisas leves. Deixe aquele lauto jantar para após o desfile. Mas também não esteja de estômago vazio. Após o desfile, procure se reidratar com isotônicos ou água de coco, que repõem sais minerais. Boas sugestões são frios não muito gordurosos ou, se for sair direto de casa, uma massa leve – na manteiga ou alho e óleo.

15 – Sem stress;

Deixe para depois. Brinque, divirta-se, cante. É carnaval!

Obviamente não esgoto o assunto, mas o leitor que seguir estas dicas terá um desfile bastante tranquilo.

Para os leitores que gostariam de saber onde irei desfilar, digo abaixo a minha programação – sujeita a modificações porque sempre pode aparecer uma roupa de última hora:

Sábado, Grupo de Acesso: Renascer de Jacarepaguá (Ala de Compositores);

Segunda Feira, Grupo Especial: Portela (Diretoria);

Parte II – Para Quem Vai Assistir

Finalizada a parte referente ao desfilante, algumas dicas a quem irá somente assistir aos desfiles na Marquês de Sapucaí. Ainda há ingressos de arquibancada disponíveis para os desfiles de segunda-feira do Grupo Especial (Setores 2, 4 e 6) e para os dois dias da Série A (este todos os setores), com a venda sendo realizada no Setor 11 do Sambódromo. Somente dinheiro é aceito.

A venda dos ingressos dos Setores 12 e 13 para o Grupo Especial será realizada na quarta feira, dia 15, por telefone.

1 – Acesso aos Setores Pares;

É feito bem próximo à estação Praça Onze do Metrô. Se o leitor não estiver levando fantasias para desfilar, a melhor opção é pegar o metrô e descer nesta estação. Os táxis não credenciados deixam bastante longe dos acessos; e os credenciados, obviamente, são mais caros.

2 – Acesso aos Setores Ímpares;

Feito por baixo do viaduto que leva ao túnel Santa Bárbara (setores 3, 5 e 7) ou próximo ao quartel da PM (9, 11 e 13). Ao contrário dos setores pares, o metrô – estação Central – deixa um pouco distante do acesso. Os táxis não credenciados deixam um pouco mais perto. Por outro lado, o trem é uma opção, embora deixe no mesmo lugar da estação do Metrô.

Há necessária atenção no trajeto entre as estações do Metrô e trem e o acesso aos setores ímpares, pois é uma região com muitos batedores de carteiras. Mantenha prudência.

Outro ponto importante é que não se consegue atravessar de um lado para o outro a pé. Ou seja, utilize as estações recomendadas. Além disso, muitas linhas de ônibus mudam seus itinerários devido às interdições de trânsito, e especialmente nos dias do Grupo Especial o trânsito fica bastante complicado na região.

3 – Jamais vá de carro.

Simples: não tem como estacionar. Há um edifício garagem para duas mil vagas no prédio novo da Ambev, mas não está disponível ao grande público. Aliás, o Sambódromo deve ser um dos únicos locais importantes de entretenimento do mundo sem uma única vaga pública de estacionamento.

O outro prédio que estará aberto, na Rua Benedito Hipólito, somente será para veículos com credenciamento da Liesa. Curiosamente, é onde deixo meu carro para trabalhar no dia a dia.

Ou seja: esqueça.

4 – Se for desfilar, use o táxi especial;

Há cooperativas de táxis especiais, com tarifa mais cara e tabelada antecipadamente, mas que por estarem credenciadas deixam a pessoa na entrada dos setores. Se estiver com fantasia, é a melhor solução – evita longas caminhadas. As cooperativas cadastradas são publicadas na imprensa na semana do carnaval.

Pessoalmente, como moro em um bairro que não tem transporte coletivo nem em dia normal, será a opção que irei utilizar. Uma dica, se for se utilizar deste serviço, é marcar o táxi antes – à tarde, principalmente nos dias de Grupo Especial.

5 – Diferenças entre os Grupos

Em dias de Grupo de Acesso, o tempo até o Sambódromo costuma ser um pouco menor, pois o entorno fica com trânsito menos complicado. No Especial recomenda-se sair de casa mais cedo. Lembre o leitor que for assistir ao primeiro dia de desfiles do Acesso (sexta) que ainda haverá o trânsito de saída do Rio neste dia, o que é mais um fator complicador. Em 2015 saí de casa duas horas e meia antes e cheguei com o desfile já iniciado…

Horário de chegar ao Sambódromo: depende do lugar em que estiver. Se for de arquibancada, recomendo chegar cedo se quiser ficar perto das grades, principalmente no Grupo Especial. Já nas frisas, como o lugar é marcado, pode-se chegar mais perto do horário de início dos desfiles. Uns 20 minutos antes é suficiente.

Nos quatro dias de desfile o início se dará às 22 horas. Pretendo estar na Sapucaí uns 20 a 30 minutos antes do início.

6 – Apetrechos a serem levados;

Uma bolsa térmica com bebidas, alguma coisa para se comer, uma capa de chuva, toalha, um saco de lixo para envolver a bolsa/mochila, uma camiseta e um par de meias se estiver chovendo, máquina fotográfica ou filmadora, carregador portátil de celular. Nas arquibancadas uma almofada pequena é recomendável. Se o leitor usa óculos, como eu, um boné é indispensável em caso de chuva.

Nada de guarda chuvas, por favor. Só atrapalha.

E bebidas em latas ou garrafas de plástico – garrafas de vidro são proibidas. Teoricamente há um limite, mas na prática o limite da quantidade de latas ou garrafas plásticas é a capacidade da bolsa térmica. Isopores (teoricamente) são proibidos, mas já vi deixarem entrar – contudo, não arriscaria.

Algo que fiz ano passado e que deu muito certo foi levar frios cortados em pequenos cubos para me alimentar. Não ocupam muito volume, deixam o estômago saciado e não faz muita sujeira. Quanto a bebidas, aqueles recipientes que não deixam a lata de cerveja esquentar após aberta (foto acima) também são recomendáveis.

O crachá com o ingresso deve ser utilizado o tempo todo.

7 – Se for desfilar;

Retire a pulseira que permitirá o retorno ao seu setor após o desfile, nos quiosques atrás de cada setor. É indispensável.

Nas arquibancadas há locais para se guardar as fantasias. Para as frisas, as mesmas são guardadas no local, o que facilita na hora de trocar de roupa – para quem está na arquibancada a estrutura é zero.

Não se envergonhe em ficar apenas de roupa íntima nas frisas ou embaixo das arquibancadas. Afinal de contas, é Carnaval.

Se for desfilar na primeira ou na segunda agremiação de cada noite, saia de casa já fantasiado. Entre em seu lugar, deixe suas coisas e saia para a concentração, sem esquecer de pegar a pulseira – assim se consegue retornar por dentro do Sambódromo após desfilar. Neste caso, chegue à Sapucaí ao menos uma hora antes do início – no mínimo.

8 – Aprenda os sambas;

Procure ouvir os sambas antes do desfile. Cante com a escola. Incentive o desfilante, se estiver nas frisas. Retire quando chegar o guia dos desfiles, com o roteiro de cada escola ala a ala, carro a carro. É gratuito. Algumas escolas do Grupo Especial também produzem revistas distribuídas gratuitamente na chegada do público ao Sambódromo.

9 – Telefonia/Internet

Este é um problema sério na Avenida dos Desfiles.

Nos desfiles do Especial nem 3G nem 4G funcionam direito; na verdade só pegam e ainda assim precariamente antes do início da primeira escola e do meio da penúltima para o final. No resto do tempo é quase impossível conseguir conexão. Ano passado cheguei a levar 50 minutos para conseguir postar um singelo comentário no Twitter… Mesmo para se fazer chamadas de voz ao celular pode haver dificuldades, dependendo do horário.

No Acesso A, sexta e sábado, a conexão atravessa momentos de instabilidade, mas funciona razoavelmente a noite inteira. Aliás ontem no ensaio técnico de Portela e Unidos da Tijuca a conexão 4G ficou instável em diversos momentos.

E não, não existe Wi-Fi no Sambódromo. Nem para quem trabalha, aliás. Também não há tomadas para recarregar celulares.

10 – Respeite as fotos alheias

Especialmente se você estiver nas filas A e C das frisas ou no primeiro degrau das arquibancadas, lembre-se que atrás há pessoas que também querem tirar fotografias. Ou seja: tire suas fotos, mas baixe os braços para permitir a quem está atrás tirar as suas também.

Ano passado perdi uns 30% das minhas fotos do Grupo Especial no desfile de domingo por conta do sujeito que estava à minha frente com uma espécie de filmadora giratória o tempo todo nos braços levantados (foto acima). Não seja esse sujeito.

11 – Divirta-se;

Cante, brinque, respeite. Seu direito começa onde termina o do outro, lembre-se sempre.

12 – Onde Migão estará;

Grupo de Acesso e Especial Frisa no Setor 3: Fila A no Acesso e B no Especial.

O Ouro de Tolo terá uma cobertura especial de carnaval, com análises e fotos exclusivas, além de “tempo real” no perfil do Twitter @BlogOurodeTolo. Prestigie!

Dúvidas? Coloque na área de comentários.

Imagens: Arquivo Ouro de Tolo

40 Respostas para “Guia Prático da Sapucaí – Versão 2017”

  1. Marcos Monteiro disse:

    Quando teremos o guia prático da Intendente. Tô pensando em ir lá na terça e nem sei qual o melhor transporte.Estou inclinado a ir de carro.

  2. Laura disse:

    Migão, tô indo com um grupo assistir aos desfiles. Uma parte do grupo vai ficar hospedada na Lapa e outra parte na região da cinelândia. Qual a melhor opção nos dois casos para chegar a Sapucaí (setor 11)?

  3. Raphael rodrigues disse:

    As duas vezes que fui de carro e estava no setor par, parei no teleporto e foi tranqüilo, mas cheguei cedo. É surreal a quase inexistente falta de logística pra quem desfila e assiste.

    • Pedro Migão disse:

      Ué, estacionamento do Teleporto está abrindo? E você conseguiu passar pelos bloqueios de trânsito? Ali que eu soubesse só abria o da Sul América

      Mas ainda assim, pra levar fantasias, bolsas térmicas e demais apetrechos pro setor par não é exatamente perto – dá (bem) mais de um quilômetro.

  4. Luis Fernando disse:

    Fiquei bem surpreso com a notícia de que os ingressos de Domingo já estão esgotados, já que Segunda-Feira tem simplesmente Mangueira e Portela, além da Tijuca, formando o trio que ocupou as primeiras posições do último Carnaval. Por mais que Beija-Flor e Salgueiro sejam escolas de grande torcida, tenho a impressão que é o efeito Ivete Sangalo… Aliás, vou arriscar que grande parte do público chegará bem cedo Domingo (para minha infelicidade), mas sairão logo depois da Imperatriz, no máximo metade do desfile da Vila Isabel.

  5. Anderson Maurici disse:

    Uma dúvida. Eu preciso retirar o ingresso no setor 11, e o acesso para o setor 10 faço como?

  6. Vinicius Oliveira disse:

    Uma duvida. Duas pessoas do meu grupo vão desfilar no sabado na Renascer, que irá se concentrar no lado do balança, mas vão assistir o desfile no lado par, frisas do 6, é muito complicado acessar a concentração da escola?

  7. Fellipe Barroso disse:

    Boa tarde!

    Prezado Pedro Migão:

    A melhor parte deste guia é: JAMAIS VÁ DE CARRO! Isto é muito sério.
    Farei breves comentários sobre alguns tópicos abordados.

    Deixarei apenas alguns complementos no que diz respeito a “Quem vai assistir”.

    3- JAMAIS VÁ DE CARRO!
    Além dos motivos já explicados no texto, outro fator diz respeito a depois que a festa acaba.
    Após uma noite inteira de desfiles, o corpo pede descanso. NÃO BRINQUE COM O SONO! Um piscar de olhos na direção pode retirar a sua vida e de tantas outras pessoas. Por mais barulhentos, quentes, ou incômodos que possam ser muitos transportes coletivos, O corpo cansado não estará ainda em atividade neles.
    É melhor dormir e passar do ponto (Ou Estação para quem usa Trem/Metrô) do que se amassar todo dentro de um carro batido.

    5- Diferenças entre os Grupos
    Eu já andei por diversas arquibancadas e frisas na Sapucaí.
    A frisa não tem erro, pois o lugar é seu.

    A Marquês de Sapucaí tem arquibancadas incrivelmente mal desenhadas, de maneira que o maior inimigo dos espectadores são eles mesmos. Ou seja, se você deseja ter plena visão da pista, fique na grade.
    As “quinas inferiores” são os melhores lugares, pois além de se sentar na grade (sem ninguém à sua frente), por ser um canto, há menor circulação de pessoas do que no “meio”.
    Todo mundo quer ter a melhor visão. Portanto o seu lugar deve ser protegido com “unhas e dentes” (Sem exagero!). Sempre haverá pessoas durante toda a noite querendo “um espacinho”, perguntando se “não dá para chegar mais para lá para eu entrar aqui?”, e coisas do tipo. Ir sozinho é problema! Um grupão ajuda a manter o local seguro.
    Para se conseguir uma grade em qualquer arquibancada é preciso chegar cedo. MUITO CEDO!
    Se for no setor 3 (O melhor de todo o sambódromo), a fila começa a se formar no local indicado antes de meio-dia. No meu último ano nesta arquibancada (2011) eu cheguei pouco antes das 10 h e 30 min, tendo dormido menos 40 min entre uma noite e outra. A quina do “lado da cabine do júri/Camarote da Grande Rio” é a mais disputada de toda a Avenida.
    Pouco importa que os desfiles vão começar mais tarde. O povo vai chegar absurdamente cedo. Assim sendo, prepare a disposição, ou fique com a visão limitada.

    6- Apetrechos a serem levados
    Como chego muito cedo para ficar na fila (Algo em torno das 12 h – 13 h), procuro estufar meu estômago com o que batizei de “dieta da proteína”. Funciona assim: todo dia, muitos quilos (Ok, gramas) de uma carne diferente (Para não enjoar). Isto demora a ser digerido, e comendo às 10 h da manhã, a fome só vai bater novamente depois das 23 h. Quando a fome então bater, sigam as dicas do Migão. Só um detalhe: em algum momento da sua existência, por mais que você deteste, pode bater aquela vontade de comer no Bob’s ou no Mister Pizza (Lanchonetes licenciadas). Se isto acontecer, escolha bem o momento de saciar os desejos ocultos da alma, pois costuma demorar (E aborrecer) bastante…
    Não se iluda com capas de chuva de bolso! Elas rasgam facilmente, e o máximo que se consegue é ficar molhado na hora que a chuva (Infelizmente) aparece. Compre capas feitas de tecido impermeável (Bem diferentes também daquelas capas infantis “de escola” que seu filho usa). Custam em torno de R$ 15,00 – R$ 25,00, e protegem verdadeiramente da chuva. Possuem velcros para ajuste das mangas e compartimento para mochila (Similar a esta imagem: https://ae01.alicdn.com/kf/HTB16uz6MXXXXXX_XpXXq6xXFXXXr/Rainfreem-imperme%C3%A1vel-capa-de-chuva-mulheres-homens-trench-coat-poncho-single-layer-%C3%A0-prova-d-%C3%A1gua.jpg_640x640.jpg)
    Sacos plásticos para proteger a bolsa também não ajudam, pois é preciso mexer na bolsa, e se você gosta de colecionar as inúmeras publicações distribuídas no sambódromo, elas ficarão destruídas. A dica é BOLSA DE PRAIA feita em plástico ou borracha (Assim: http://modafeminina.biz/wp-content/uploads/2014/03/de-pl%C3%A1stico.jpg). Sim! Compre em mercados populares, e faça o teste em casa. Funciona! Se preferir algo mais sofisticado, uso mochila impermeável a venda na 2C2. Não passa uma gota de chuva! Segue o link que pode salvar os seus apetrechos http://www.2c2bags.com.

    10- Respeite as fotos alheias
    Aquilo na sua foto é uma câmera 360.

    Adendos
    – Eu até poderia fazer um guia da Intendente Magalhães, mas não garanto de escrevê-lo. Tentarei até o final deste dia. Se conseguir, vou enviá-lo a você (Seguirei os moldes deste para não dificultar…).
    – A foto de você, Rafael Raffic e Aloísio Villar é bem emblemática!

    Desfilar e (Principalmente) ver ao vivo é uma prova de amor às Escolas de Samba, pois tudo é muito difícil, desconfortável e caro. Existe uma suposta preocupação com o turista, mas as condições normais para TODOS são as piores. Assim sendo, todo cuidado é pouco.
    É isso!

    Atenciosamente
    Fellipe Barroso

    • Pedro Migão disse:

      Vamos lá, por partes (risos):

      3 – bem lembrado quanto a isso, o cansaço pesa. Sem contar que deverá haver blitzes de lei Seca na saída dos desfiles;
      5 – eu não vou de arquibancada desde 2010, mas esta questão da visualização realmente é algo bastante chato.
      6 – vantagem da frisa é essa: normalmente almoço por volta das 18 horas e aí o lanche que eu levo segura até o final. Sobre as capas de chuva, eu costumo usar de times esportivos, que são mais pesadas mas que seguram bem o tranco;
      10 – não sabia, valeu.

      Se conseguir fazer o guia da Intendente seria legal. E realmente a estrutura do Sambódromo é péssima

      • Migão, posso dar uma sugestão para os próximos guias? Tirar fotos da Sapucaí (vazia, claro) para ilustrar ao mais desinformado onde ficam os setores, como é uma frisa (OK, esta só dá pra tirar foto no dia…), o que é o lado da Balança e dos Correios…

        • Pedro Migão disse:

          É algo que pretendo fazer este ano: tirar fotos das frisas e dos lados da concentração – tenho do Balança mas não dos Correios. Muito bem lembrado

          • Seria muito legal!! Até tirar uma print do mapa (pelo Google, mesmo) e mostrar onde ficam as entradas, as estações…

            Como te falei, se precisar, posso te ajudar!!

          • Pedro Migão disse:

            Vamos ver isso para 2018. Eu não sei mexer em programas de imagem

          • “Eu não sei mexer em programas de imagem”.

            Mas eu sei!!! Como disse, conte comigo!! Sou leitor do site, fã de Carnaval e pra mim já é uma honra ter o meu texto da Mocidade no site. Poder colaborar com um guia permanente, então…

            E, sim, vou fazer o de Santos. Mas só pra 2018, porque os desfiles deste ano serão uma semana antes (o que é ótimo).

          • Pedro Migão disse:

            Desfiles de Santos são nesse final de semana? Vale um relato, com fotos, se você for

          • Estou pensando em fazer um texto sobre o desfile do Especial. Mas não poderei ir; apenas ver pela TV.

            Além dos ingressos terem acabado rápido, a escala do trabalho este ano não me permitiu. Mas aguarde que farei o texto sobre. O site da prefeitura, nesse ponto, é bem rico em fotos.

          • Pedro Migão disse:

            Se conseguir escrever seria ótimo

  8. Caros,

    Consegui frisa apenas para sexta-feira. A Liesa (ou a Lierj, enfim) alega que não há mais frisa nenhuma para sábado. Em sendo assim, preciso de uma ajuda para conseguir pelo menos dois lugares em frisas.

    Sábado seria bom, mas o domingo é absolutamente o ideal, porque minha mulher desfila no Salgueiro e é o dia da minha Imperatriz Leopoldinense.

    Então, quem tiver lugar sobrando em frisas sábado e/ou domingo, estou interessado em adquirir pelo menos dois lugares. O ideal seria uma frisa inteira, mas aí, só com muita sorte ou com a ajuda do santo – parafraseando o samba da campeã Mangueira.

    O Pedro Migão tem meus contatos aos que tiverem vagas sobrando em frisas e estão interessados em vendê-las.

  9. Aliás, sobre esse guia, eu que já assisto com a família da minha mulher e amigos os desfiles do Acesso em 2013, segui várias dicas.

    Até já fomos de carro. Mas paramos numa igreja próxima à estação São Francisco Xavier e nos locomovemos de Metrô para a Sapucaí. Só que não é uma experiência válida, já que a gente bebe no carnaval – e não é pouco. Nos últimos anos, contratamos vans para nos transportar, porque em 2015, por exemplo, nosso grupo chegou a quase 18 pessoas.

    Também já tivemos a surpresa de ser barrados na Sapucaí por conta de isopor – era o primeiro ano da nossa turma – mas acabaram ironicamente deixando que o isopor entrasse depois. Não fomos os únicos que em 2013 entraram nas frisas com isopor. Mas é altamente recomendável evitar – engraçado é que lata pode e isopor não, afinal… quem machuca mais, certo?

  10. Sem querer ser insistente, mas já sendo… Alguém? Ninguém?

    Uma alternativa seria pagar R$ 1.280 por cabeça (e são 3 pessoas apenas) numa frisa no setor 2, oferecida pelo site Folia Tropical. Não sei se vale a pena.

  11. Rodrigo disse:

    Vou desfilar pela Mangueira mas antes estarei no setor 8 assistindo as escolas anteriores , posso ir para a concentracao da Mangueira por dentro da Sapucai ( pelas arquibancadas)?
    Obrigado parabens pelo post

  12. Adriana disse:

    Ótimas dicas.
    Só gostaria de adicionar um item super “salvador da pátria” no kit costura: alfinetes de bebê. Já me salvaram muuuuuito!
    Ah, esqueçam previsão do tempo.Levem SEMPRE as capas de chuva e sacos de lixo para garantir a tranquilidade sob a chuva.

    • Pedro Migão disse:

      Bem lembrado sobre os alfinetes, também já me salvaram em algumas situações. Sobre capas de chuva e guarda chuvas, reitero: não podem ficar fora da mochila.

Trackbacks/Pingbacks

  1. […] os moldes do “Guia Prático da Sapucaí – Versão 2017”, e atendendo a alguns pedidos, deixo aqui algumas dicas para quem pretende assistir aos desfiles na […]


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Visitas

Facebook