Tudo na vida tem que ter seu primeiro passo. Para se formar na faculdade um dia você teve que dar o primeiro passo em direção ao Jardim de infância, para ficar com o amor da sua vida tem que dar o primeiro passo e se apresentar a ele, para emagrecer trinta quilos tem que emagrecer as primeiras cem gramas, para ser alguém na vida primeiro tem que nascer.

Os passos são um modo de nos locomovermos e pode nos levar para algo bom ou ruim. Estando na beira do precipício basta um passo para tudo se acabar, nos Alcoólicos Anônimos o lema é “Um passo de cada vez” Existe um destino, mas também existe o livre arbítrio e os passos, firmes ou trôpegos, quem dão são nós.

Duas semanas atrás foi lançado o curta metragem “A Ponte”. O primeiro filme produzido, filmado e lançado em cinema na história da Ilha do Governador. Um grande passo que só pôde ser dado porque muitos deram passos importantes nas mais variadas artes do bairro ao longo dos anos. O filme mesmo é um passo para que outros grandes passos sejam dados mais adiante.

Um passo enorme na minha vida ter um filme passando no cinema com o texto escrito por mim. Mas nada teria ocorrido se não fosse o menino, filho único, que não tinha ninguém com quem brincar em casa e pegava seu boneco do Superman e do Falcon para brincar e com eles criava histórias. Um pouquinho mais velho criou historias em quadrinho de seu seriado preferido “Armação Ilimitada”, depois fez pequenas histórias para a menina que gostava na escola por vergonha de se declarar. Adulto virou compositor de samba-enredo e contou em versos e rimas histórias mostradas em sinopses e enredos, ousou dando grande passo e escrevendo peças de teatro e livros, até..

..até dar o passo que uniu dois amores, escrever e cinema, Não foram poucos os passos até salas de cinema para ver filmes dos mais variados. Começando pelos filmes de “Os Trapalhões” passando por comédias, dramas, romances, musicais, suspense, filmes nacionais, internacionais. Os passos em direção a sala escura e mágica onde sentava com refrigerante, pipoca e o imenso prazer de ver aquela tela gigantesca e o som que só o cinema tem.

Passos, marcado pelos passos, passos marcados..Como os de Ricardo, personagem principal do filme, que deu passos, caminhou em direção ao fim sem perceber que era para um recomeço.

Passos servem para começar, recomeçar, servem para andar, servem para flutuar, sonhar..

A vida é uma soma de nossos passos.

Twitter – @aloisiovillar

Facebook – Aloisio Villar

Instagram – @aloisiovillar .

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.