Ano conturbado o do Vasco da Gama…

Já começou em meio a guerra política. No fim do ano passado teve eleições no Vasco e a mesma foi para a justiça graças a uma urna em que a chapa de Eurico Miranda teve votos demais e isso criou suspeitas. Acabou que a mesma foi impugnada e a chapa de Julio Brant foi vencedora tendo a maioria dos conselheiros para a eleição presidencial do clube. O problema é que o candidato a vice Alexandre Campello fez uma manobra e o mesmo acabou eleito surpreendendo todo mundo.

Isso rachou ainda mais o já rachado Vasco. O clube surpreendeu no fim do ano anterior conseguindo uma vaga para a pré Libertadores, mas todo o trabalho feito ruía graças a briga política. Vários jogadores deixaram o clube no meio da confusão como Matheus Vital e Anderson Martins. Dessa forma, mais fragilizado, começou o ano do Vasco.

Fez uma Taça Guanabara muito ruim, mas conseguiu entrar na fase de grupos da Libertadores passando por um grande susto na Bolívia tendo que vencer nos pênaltis. Recuperou-se na Taça Rio e mesmo não chegando na final da mesma ganhou força para as finais do carioca. Eliminou o Fluminense na semi e encaminhou bem o título, mas no último minuto um gol de Carli levou a decisão para os pênaltis e o Botafogo foi campeão.

A perda do título fez mal ao Vasco. Campanha péssima na Libertadores com direito a goleada sofrida para o Cruzeiro em casa e resultados ruins no brasileiro que mantinham o clube da colina sempre na segunda metade da tabela. O Vasco ainda conseguiu vaga na Copa Sul Americana, mas foi eliminado pela LDU. Também não teve vida longa na Copa do Brasil sendo eliminado pelo Bahia.

Várias foram as mudanças de técnico. Zé Ricardo não aguentou a fase ruim e pediu demissão sendo substituído por Jorginho que não durou muito e foi substituído por Alberto Valentim após fracasso no futebol egípcio. Valentim começou muito mal, o Vasco acumulou resultados negativos consecutivos e a série B ameaçava o clube pela quarta vez.

Mas nem tudo foi ruim para o Vasco, algumas contratações deram certo como de Leandro Cástan e principalmente Maxi Lópes. O argentino deu qualidade ao ataque vascaíno e com raça levou o time a conquistar pontos importantes. O Vasco lutava, os resultados nem sempre vinham e passava por dramas como perdas de pontos nos minutos finais contra Grêmio e Atlético Paranaense. Mas lutava.

Com luta venceu o São Paulo em São Januário em resultado que se mostrou fundamental e no meio de um grande drama foi ao Ceará na última rodada tentar se manter na série A.

Conseguiu se manter. Todos os resultados foram contrários, mas o Vasco não levou gol do Ceará e com o empate ficou em décimo sexto lugar se mantendo na primeira divisão. Longe das tradições do Vasco, mas um alívio.

Alívio que a sua política não dá com várias mudanças no resultado eleitoral do ano passado. O que esperar do Vasco em 2019? Que ao menos tenha paz.

E sua imensa torcida volte a ser feliz.

Twitter – @aloisiovillar

Facebook – Aloisio Villar

Instagram – @aloisiovillar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.