Categorizado | Rumo a Tóquio

Os Critérios de Classificação para Tóquio 2020 – Parte III

20160817_221835

Finalizando a série, os esportes não abordados e seus critérios de classificação:

RUGBY

Ainda não foi divulgado o sistema de classificação.

SALTOS ORNAMENTAIS

– No mundial de esportes aquáticos de 2019: as 3 melhores duplas nos eventos sincronizados e os 12 melhores atletas nos eventos individuais, terão vaga em Tóquio.

– Em 2019 ou 2020, haverá o campeonato pan-americano, onde o primeiro colocado de cada prova individual se classificará para Tóquio.

– Em 2020, teremos a Copa do Mundo da modalidade que distribuirá as últimas 18 vagas em cada prova individual, e 4 duplas para cada prova sincronizada.

– As demais vagas serão por convite.

SKATE

O Brasil terá garantidas 3 vagas em cada uma das provas disputadas em Tóquio. A federação definirá os atletas classificados.

SURF

– Jogos Pan-americanos em Lima: uma vaga para cada gênero.

– Liga Mundial de Surf de 2019: 10 vagas no masculino e 8 no feminino.

– Mundial de Surf de 2020: 4 vagas no masculino e 6 no feminino.

Cada país pode levar 2 atletas por gênero, no máximo.

TAEKWONDO

– O ranking mundial em 09 de dezembro de 2019 classificará os 5 primeiros de cada categoria olímpica para os jogos, respeitando o limite de um aleta por país em cada evento.

– Os campeões do Grand Slam Series, em janeiro de 2020, em cada categoria, também garantirão vaga nos jogos.

– Por fim, o campeonato pan-americano dará 2 vagas em cada categoria para Tóquio.

TÊNIS

Para as disputas de simples:

– O Pan de 2019 distribuirá vagas para o país campeão e vice. Os demais torneios continentais distribuirão uma vaga.

– As demais vagas disponíveis serão alocadas aos 56 primeiros do ranking mundial em 08 de junho de 2020, de modo que cada país tenha no máximo 4 atletas por gênero.

Para as duplas masculina e feminina:

– Os 10 primeiros do ranking mundial de duplas, em cada gênero, poderão escolher suas duplas, desde que a dupla esteja entre os 300 primeiros do ranking nas duplas ou no individual (ranking de 08 de junho de 2020).

– As demais vagas serão preenchidas de acordo com um ranking combinado, a ser divulgado nesta mesma data, onde considera os resultados dos dois atletas nos últimos meses, de modo que cada país tenha no máximo duas duplas por gênero.

Para as duplas mistas, somente terão chances de qualificação os atletas que tenha conseguido vaga no torneio de simples ou de duplas de seu gênero. As 16 duplas escolhidas serão determinadas pelo mesmo ranking combinado, divulgado em 08 de junho de 2020.

TÊNIS DE MESA

Cada país terá direito a 3 atletas no masculino e 3 no feminino, no máximo. Para os eventos de simples, apenas 2 atletas por gênero; no máximo uma equipe por gênero e uma dupla mista.

Para as provas por equipes:

– Até 31 de dezembro de 2019 deverá ser realizado o campeonato da América Latina, valendo 1 vaga ao time campeão. O Brasil é favorito no masculino.

– Se não obter vaga pelo latino-americano, haverá em janeiro de 2020 o qualificatório mundial, valendo vaga a 9 equipes em cada gênero.

Se o país confirmar a qualificação de uma equipe, terá 2 dentre os 3 atletas da equipe na competição individual. Se caso alguma equipe não se qualificar, os atletas brasileiros terão a chance de disputar no máximo 2 das 4 vagas olímpicas a serem disputadas no torneio Latino-americano em cada gênero, a ser realizado em alguma data entre 01 de junho de 2019 e 30 de abril de 2020; se caso não consiga nenhuma vaga, ou apenas uma, terá chance de disputar o pré-olímpico mundial como última chance de qualificar atletas.

Para as duplas mistas:

– Haverá o torneio qualificatório latino-americano em alguma data entre 01 de junho de 2019 e 30 de abril de 2020, valendo uma vaga para o campeão.

– Caso não consiga qualificar a dupla, terá uma oportunidade de qualificar pelo World Tour Grand Finals, em 2019, sem data definida, onde serão distribuídas 4 vagas.

– Caso ainda não tenha conquistado a vaga, poderá conseguir pelo World Tour Grand Finals 2020, sem data definida, onde serão distribuídas 4 vagas.

Vale lembrar que é possível que o torneio latino-americano ocorra após o World Tour Grand Finals 2019, invertendo a ordem das qualificações.

Se caso o Brasil conquistar todas as vagas, deverá “enxugar” a seleção, de modo que tenham no máximo 3 atletas de cada gênero nos Jogos.

TIRO

O campeonato Mundial de 2018, em setembro, o Pan de Lima em 2019, e todas as etapas de Copa de Mundo de 2019, além de outros campeonatos continentais, darão vagas para todas as provas da modalidade em Tóquio. Cada uma terá uma quantidade de vagas em cada evento.

TIRO COM ARCO

– Mundial da modalidade em 2019: 8 equipes por gênero, os 3 atletas de cada equipe estarão classificados para o individual, assim como os 4 primeiros de cada gênero no individual, excetuando os classificados por equipes.

– Pan 2019: uma equipe mista, e um atleta de cada gênero garantem vaga, desde que o seu país ainda não tenha classificado uma equipe.

– Pré-olímpico das Américas, a ser realizado em 2019: 3 vagas no individual por gênero.

– Pré-olímpico mundial, em 2020: 3 equipes de cada gênero, e uma vaga no individual em cada gênero.

TRIATLO

Revezamento misto:

– 14 melhores ranqueados no ranking a ser divulgado em 31 de março de 2020, garantem vaga.

– Pré-olímpico mundial em abril ou maio de 2020: 6 vagas para o revezamento

Individuais: todos os classificados nos eventos mistos, e…

– os 26 melhores de cada gênero no ranking de 31 de março de 2020, além do melhor de cada continente, que não esteja entre esses 26 e que não tenha sido classificado pelo revezamento.

VELA

Tivemos a primeira etapa de qualificações no mundial realizado esse mês. O Brasil conquistou as seguintes vagas:

– 49erFx, com Martine e Kahena.

–  Laser, com João Pedro de Oliveira.

– Nacra 17, com Samuel Albrecht e Gabriela Nicolino.

Vale lembrar que as vagas são para o país – não necessariamente serão esses atletas que estarão em Tóquio.

Os próximos torneios de qualificação serão: Campeonato Mundial de 2019 e o Pan de 2019. O Brasil terá essas chances de classificar um barco para cada evento dos Jogos.

Se caso em alguma categoria o Brasil não tenha nenhum barco qualificado, haverá o pré-olímpico sulamericano, valendo uma vaga por categoria, a ser realizado em data a ser definida entre o final de 2019 ou começo de 2020.

Vale lembrar que o limite de atletas é de 8 homens e 7 mulheres por país.

VÔLEI

Os torneios masculino e feminino terão sistemas de qualificação iguais.

1- Os brasileiros podem se qualificar pelo Torneio de Qualificação Olímpica Mundial, sem data definida, em janeiro de 2019, que garante vagas aos três primeiros colocados (por ser um dos melhores no ranking masculino e feminino, é 99,9% de certeza estarmos classificados para esse torneio).

2- Se não ficarmos entre os três primeiros em algum desse torneio, teremos 3 Torneios Qualificatórios Intercontinentais, onde cada um terá 4 equipes, e os 3 campeões garantem vaga em Tóquio. Estão previstos para dezembro de 2019.

3- Por fim, se alguma das seleções não se qualificar em nenhuma das duas competições anteriores, terão a oportunidade de se qualificar pelo Campeonato Sulamericano, no início de 2020, onde só o campeão garantirá vaga.

VÔLEI DE PRAIA

– Mundial de 2019: os campeões em cada gênero garantem vaga.

– Pré-olímpico mundial em 2020: os dois primeiros em cada gênero ganham vaga.

– O ranking mundial de 15 de junho de 2020: as 15 primeiras duplas de cada gênero, que ainda não se classificaram, garantem vaga em Tóquio. Aí onde o Brasil deve conseguir garantir suas 4 duplas nos jogos.

– Entre 2018 e 2020 serão realizadas copas continentais. Os campeões de cada uma delas garantirão vaga nos jogos para seus países.

Por fim, para resumir tudo, fiz um cronograma semelhante ao calendário de eventos dos jogos, mas para os eventos pré-olímpicos, citando quais serão realizados em cada mês. Como muitas datas ainda não foram definidas, fiz o cronograma do restante de 2018 apenas; vale lembra que já estamos classificados em: futebol feminino e vela (49erFX, Finn e Nacra 17), e já começou o período de eventos que valerão para o ranking olímpico no ciclismo pista.

Nos próximos meses, as modalidades que faltam divulgar os critérios de qualificação devem fazer isso, assim como vários eventos devem ter suas datas definidas. Então, em dezembro deste ano farei uma tabela semelhante a esta acima, bem mais densa, com todos os eventos e datas importantes para nosso esporte olímpico em 2019!

E mês que vem falaremos sobre as arenas das competições em Tóquio, até lá!

Imagens: Arquivo Ouro de Tolo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Visitas

Facebook