Categorizado | Jogando nas Onze

Grandes empresas, gigantes negócios

CR7Juve

E no meio da Copa do Mundo, duas grandes transações mexeram e muito com o cenário esportivo mundial, duas transferências bombásticas.

Logo no começo da copa as atenções se voltaram aos Estados Unidos, mais precisamente a NBA com a ida de LeBron James para os Los Angeles Lakers. Sem dúvidas o Lakers é a franquia mais midiática, popular da NBA. Inventora do “Showtime”, casa de grandes astros dentro e fora de sua quadra a equipe da Califórnia é vencedora, uma das franquias mais vitoriosas da NBA, mas passa por período difícil onde nem se classificar aos Playoffs consegue.

LeBron é o maior jogador de basquete do mundo da atualidade, o mais midiático, é vitorioso, capaz de levar um time nas costas e para muitos o melhor jogador após Michael Jornal. Essa união é juntar a fome com a vontade de comer.

A outra grande transação veio perto do fim da Copa e conseguiu dividir atenção com as finais do mundial. Veio do futebol mesmo o impacto da transferência de Cristiano Ronaldo para a Juventus da Itália. CR7 é como LeBron. Midiático, popular, carismático, craque, vencedor, mas já fazia parte do time que era como ele, o Real Madrid.

Cristiano não foi criado no Madrid, mas terá seu nome ligado eternamente ao clube, por isso choca um pouco a transferência porque ninguém poderia imaginar que CR7 um dia deixaria o clube espanhol. Erro nosso porque simplesmente por conhecer sua personalidade devíamos imaginar que isso ocorreria,

Como eu disse Cristiano é vencedor e ele ganhou tudo que poderia pelo Real Madrid e várias vezes. CR7 não tinha mais desafios no clube, não tinha mais para onde subir. A Juventus é um grande clube, também vencedor, mas almeja uma Champions que não vence há muito tempo. Cristiano conseguindo dar essa Champions para a Juve se consagra de vez assim como Lebron fazendo do Lakers novamente vencedor.

São negócios astronômicos que movimentam uma quantidade de euros e dólares inimagináveis, mas no funfo no fundo é tudo pela ambição, a vaidade humana e isso não é ruim. Melhor que desafiar e vencer os outros é vencer a si próprio.

E isso LeBron e CR7 tiram de letra e enterradas.

Twitter – @aloisiovillar

Facebook – Aloisio Villar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Visitas

Facebook