Categorizado | Sabinadas

As voltas que o mercado do Carnaval dá…

wantuirtijuca

Fim do Carnaval de 2008. Wantuir deixa a Unidos da Tijuca depois de ganhar por duas vezes o Estandarte de Ouro de melhor puxador e conduzir a escola do Borel a dois vice-campeonatos do Grupo Especial, em 2004 e 2005, além de dois Estandartes de Ouro de melhor escola, em 2005 e 2006.

Depois de aceitar uma forte proposta financeira, segundo os jornais da época, o cantor saiu ouvindo cobras e lagartos do presidente Fernando Horta, em entrevista ao jornal “O Dia”:

– Mais uma vez fui traído. O Wantuir tinha contrato comigo até o dia 28 de fevereiro de 2009. Infelizmente ele se igualou aos outros. Estou decepcionado com a postura dele. O Washington Reis (então prefeito de Duque de Caxias) me ligou pedindo a liberação e eu informei que contrato do Wantuir com a escola ia até fevereiro de 2009. Não vou brigar com políticos. Ele prometeu emprego para toda família dele, um mundo de dinheiro e vai lançá-lo candidato a vereador de Caxias. Na Unidos da Tijuca só fica quem quer.

Wantuir rebateu ao site SRZD:

– Jamais teria fechado com a Grande Rio sem conversar com o Fernando Horta. Não faria isso, porque sei que o que consegui na minha carreira posso perder facilmente. O Fernando foi um paizão. Saio da Unidos da Tijuca com muito mais experiência.

Horta disse ainda que a Grande Rio ofereceu R$ 120 mil e duas empresas de Caxias, R$ 80 mil. Wantuir nem confirmou nem negou.

Fim do Carnaval de 2016. Laíla, que foi um dos grandes responsáveis pela subida de grupo da Unidos da Tijuca em 1980 (enredo “Delmiro Gouveia”) e pela brilhante exibição em 1981 (“Macobeba”), denuncia um complô para favorecer a escola do Borel. Segundo ele, um áudio no qual o jurado de Bateria Fabiano Rocha, afastado pouco antes dos desfiles, admite a manipulação parou nas mãos da Beija-Flor:

– Teve uma nota 9,9 que a pessoa que julga há não sei quantos anos sempre nos deu dez, que foi o Claudio Matheus, ele deve ter a justificativa dele plausível para a nota. Os outros que entraram novos, a gente sabia que ia acontecer isso, tanto é que teve essa sujeira do cara que esconderam (jurado que não julgou), a sujeira que ele tinha, porque teve a gravação que veio parar em minhas mãos dele falando para determinadas pessoas que as escolas que ele iria pegar seriam a Beija Flor, Imperatriz e Salgueiro, na certa insinuando outras coisas, isso foi levado ao Jorginho (Castanheira, presidente da Liga), que escondeu, mas foi realidade. Graças a Deus a Mangueira apareceu, porque senão a campeã seria a Tijuca, você pode ter certeza disso.

Horta bateu pesado de volta:

– Não vou rebater um funcionário em decadência. Infelizmente, ele (Laíla) está caduco. Falou bobagem. Nos anos 80, foi diretor da Tijuca e dizem que teria negociado para que a escola não entrasse no horário certo e por causa disso foi penalizada. Vou analisar se entro ou não com um processo contra ele.

Pois bem, Wantuir está de volta à Unidos da Tijuca e Laíla, segundo consta, teria acertado, fato negado por Horta.

Pois é, não é só os resultados do Carnaval que dão voltas, mas o mercado também.

Só falta o Paulo Barros voltar ao Borel quando ninguém mais espera…

Uma resposta para “As voltas que o mercado do Carnaval dá…”

  1. Luis Fernando disse:

    O Horta parece ser o tipo de cara, que se for do interesse dele, esquece qualquer atrito ou desavença passada. Vide sua atuação nas duas últimas eleições no Vasco…

    E acho que o Paulo Barros um dia volta para a Tijuca sim. Apesar da ótima impressão que ele ficou da Portela, aparentemente recíproca, a Tijuca é a casa dele.

Trackbacks/Pingbacks


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Visitas

Facebook