Categorizado | Jogando nas Onze

Os novos ricos

Cityot

Essa semana começou a fase de grupos da Uefa Champions League. Aquele torneio bacana, milionário, imprevisível porque nunca sabemos se o Real Madrid ou o Barcelona vencerão a Juventus ou o Atlético de Madrid na final.

Claro que eu dei uma zoada em cima, quis dizer que o torneio anda previsível demais nos últimos anos porque são esses quatro que invariavelmente vêm chegando à final, com os dois primeiros vencendo os últimos quatro torneios. Mas esse ano tem algo diferente no ar, novos times chegaram, novos ricos.

Não são tão novos assim. Nos últimos anos Paris, Saint-Germain e Manchester City receberam um grande aporte financeiro, uma quantidade absurda de dinheiro que fariam a quantidade que tem no apartamento do Geddel e na mansão do Migão troco para pinga. Dinheiro russo em um, árabe em outro, dizem que dinheiro de lavanderia, se é verdade eu não sei, mas, se os donos forem filiados ao PSDB, provavelmente tudo é boato.

Mas, enfim, grana sempre muda o patamar das pessoas e com os clubes não seria diferente. Lembro bem do PSG coadjuvante do Lyon de Juninho e o Manchester City um adversário de cidade sem qualquer importância para o Manchester United. Nos últimos anos, o PSG dominou o Campeonato Francês, mesmo perdendo o último, o City ganhou duas vezes a Premier League tornando-se até mais forte do que o United.

Mas os novos ricos não conseguiam mostrar força na UCL. O City ainda fez semifinal na penúltima temporada e o PSG meteu quatro no Barcelona na última, mas tomou seis na volta. Mesmo com todo o dinheiro são meros coadjuvantes na Champions, até motivos para galhofa.

Para esse ano parece que algo mudou, que os novos ricos finalmente podem enfrentar os tradicionais de igual para igual.

O City já contratara ano passado o considerado melhor técnico do mundo Pep Guardiola, mas seu primeiro ano pareceu de adaptação, não pareceu ainda ser o elenco que queria. Depois da temporada frustrada, aconteceram mudanças no elenco, o grupo tem mais a cara de Guardiola.

Depois de perder o Francês para o Mônaco, e do vexame contra o Barcelona, o PSG decidiu abrir de vez o cofre. Contratou Neymar, melhor dizendo, tomou Neymar do Barcelona, atingindo em cheio o orgulho catalão, e ainda garantiu a segunda contratação mais cara do mundo tirando Mbappé do Mônaco.

Parece estar surtindo efeito. O City lidera a Premier com o United e vem de uma goleada impiedosa de 5 a 0 sobre o Liverpool. O PSG passeia no Francês com um show a cada fim de semana. Mais do que isso. Os dois novos ricos estrearam na Champions com goleadas fora de casa. City com 4 a 0 no Feyenoord, PSG com 5 a 0 no Celtic. Não são clubes fracos e sem tradição, tanto Feyenoord quanto Celtic têm títulos europeus, coisa que os outros dois não têm.

Em um ano no qual Barcelona, Real Madrid e Bayern de Munique ainda não passam confiança e que a Juventus parece ter enfraquecido, os dois novos ricos aparecem com força e entre os favoritos ao título. É bom prestarmos atenção nesses times porque os dois principais jogadores brasileiros estão neles.

Neymar é o astro do PSG e Gabriel Jesus titular do ataque do City, com os dois começando muito bem a temporada. Vamos ficar de olho neles até porque geralmente quem chega à final da Champions chega com seus jogadores desgastados e ano que vem é ano de Copa do mMundo. Fica a torcida para os dois chegarem bem na Copa, voando.

É bom não duvidar dos novos ricos. Dinheiro não compra tradição, mas pode, sim, adquirir taças.

E eles querem.

Twitter – @aloisiovillar

Facebook – Aloisio Villar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Visitas

Facebook