Categorizado | Jogando nas Onze

Os Jogos comprados

Nuzmanot

Eu acreditei…

Em 2009, como boa parte dos cariocas, fiquei vidrado na televisão esperando o resultado da escolha da sede dos Jogos Olímpicos de 2016. Estava tenso, ansioso, era a chance de ter a Olimpíada na minha cidade e eu, um apaixonado por esportes, nunca poderia imaginar que isso pudesse ocorrer.

Veio a transmissão e o Rio se classificou para a final contra Madri. Meu coração acelerou, fiquei com a ansiedade de uma final nos pênaltis. A tensão tomou conta de mim até que foi anunciado o nome do Rio de Janeiro. Comecei a chorar de forma compulsiva, era inacreditável, o Rio de Janeiro sediaria os Jogos Olímpicos, que seriam os primeiros da América do Sul. A delegação brasileira vibrava, o povo vibrava na praia. Eu não conseguia parar de chorar.

Eu sou um babaca.

Sim, sou um babaca porque caí nessa farsa. Eu me emocionei, fiquei tenso, chorei por uma farsa, algo que descobrimos essa semana que não teve mérito, foi comprado. Fomos feitos de idiotas por uma delegação que, tirando o Pelé, está toda enrolada com corrupção. Lula, Cabral, Nuzman, não sobrou ninguém, somos medalha de ouro em roubalheira e vergonha.

Muita gente enriqueceu às custas de nossa emoção, de nossa vontade de ver a Olimpíada em nossa terra, e o Rio de Janeiro, seja como município ou estado, está pior do que era em 2009. Eu escrevi em diversos artigos aqui sobre a emoção de ter os jogos no Rio, da ansiedade de ver as competições e, dentro da medida do possível, aproveitei a Olimpíada. Vi eventos ao vivo e muito pela TV. Achei linda a abertura e até hoje se vervir, me emociono, mas é preciso separar.

Os Jogos são uma coisa, o entorno dele, outra. Na época mesmo falei que tínhamos que aproveitar a Olimpíada porque aquilo ali seria um oásis, seria nosso último grande momento antes de uma depressão que tomaria conta do país, mas, mesmo no meu “realismo pessimista”, não poderia imaginar o caos que tudo viraria.

A verdade é que o Brasil atual não merecia a Olimpíada, nós merecíamos ter a oportunidade de ver os Jogos, mas o Brasil atual, principalmente com os comandantes que temos, e a crise de valores que o país atravessa, não. Todas as crises pré Olimpíada, quando até uma onça foi morta, mostram isso.

Mas, mesmo com pé atrás, mesmo não me deixando levar pela euforia da maioria, fico triste e impactado com isso tudo. Nós, o povo, não merecíamos isso.

Quem sabe (sendo ingênuo de novo) não surge daí o verdadeiro legado olímpico? Esse legado não é BRT, VLT, as obras no Centro, nem nenhuma maquiagem feita. O legado seria expulsar de vez esses políticos e outros que nos enganaram. Botar todos na cadeia.

Sem nenhum Fair Play.

Twitter – @aloisiovillar

Facebook – Aloisio Villar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Visitas

Facebook