Categorizado | Jogando nas Onze

A escolha de Neymar

Neymar2

Sempre escrevo os artigos de sábado dois ou três dias antes da publicação, então se, quando for ao ar, Neymar já tiver decidido, desconsiderem e esperem a coluna de domingo que, com certeza, será muito boa mesmo eu não sabendo ainda o que escrever.

O grande assunto do futebol europeu no momento é a situação de Neymar, se ele continua no Barcelona ou vai para o Paris Saint-Germain. O começo do papo pareceu mais blefe do staff do jogador, pareceu que queriam buscar uma valorização do Barça se aproveitando de proposta do PSG, mas parece que é para valer, ele realmente teria ficado tentado com a proposta.

Com isso, Neymar virou debate no mundo inteiro. O que ele deve fazer? Vejo a maioria dizendo que ele tem que ficar no Barcelona pelo peso da camisa e por jogar ao lado de Messi. Sinceramente não sei o que pensar.

Se falar sem pensar, diria ficar no Barcelona pelos motivos alegados acima. O Barcelona é um dos principais clubes do mundo, tem peso de camisa, tradição e jogaria com um cracaço como o Messi.

Sair de um dos super clubes do mundo para ir ao PSG me faz lembrar o risco que Robinho correu saindo do Real Madrid e indo para o Manchester City e como todos sabem ele se deu mal. Por mais dinheiro que o PSG tenha, tradição não se compra e os 6 a 1 que tomou do próprio Barça com show do próprio Neymar deixa isso a olhos vistos. Pode ser um retrocesso fatal para sua carreira.

Mas aí vemos argumentos a favor e alguns deles podem até ser aproveitados dos contra. O PSG não tem a camisa e a tradição do Barcelona e por isso é mais dependente de um cara como Neymar, um grande talento, um cara midiático conhecido no mundo inteiro que chegaria para ser o dono do time.

O.K., o PSG não é um Barcelona, mas também não é um Penapolense da vida, tem dinheiro e tem peso hoje na Europa. Neymar liderar o PSG em sua mudança de patamar e fazendo dele um super pesado, um vencedor de UCL como o Chelsea conseguiu poderia levar o jogador a realização do sonho do prêmio da FIFA de melhor do mundo, assim como liderar a Seleção Brasileira ao hexa.

Contei a favor jogar com Messi, mas pode pesar contra também. Vários argumentam que é melhor jogar com o “melhor do mundo”, mas como eu falei do sonho acima Neymar não quer jogar com o melhor do mundo, ele quer ser o melhor do mundo e jogando com o Messi isso fica quase impossível nos próximos anos.

Afinal, se o Barcelona for um conquistador de títulos nas próximas temporadas, Messi será escolhido o melhor e Neymar é coadjuvante dele. A única chance seria, como eu disse, levar o Brasil ao hexa.

E, para finalizar, chegando Neymar e Alexis Sanchez sou capaz de dizer que o PSG fica com elenco superior ao do Barcelona, então tecnicamente com mais possibilidades de buscar grandes títulos. É evidente que o Barcelona, com a fortuna que receberia, iria se reforçar, mas daria certo a chegada desses reforços?

Enfim, muitas coisas para pensar em um negócio de risco que pode ser resumido em uma única questão. No quanto Neymar confia em seu taco. Se ele acha que tem futebol suficiente para liderar uma mudança de patamar do PSG que vá.

Como eu disse várias vezes, quem muda o mundo não é o gênio, é o inconformado, e parece que Neymar não se contenta em ser um astro do Barcelona fazendo trio com Messi e Suárez.

Todo cara que se arrisca tem minha admiração, apesar de que é fácil se ariscar com a bolada que ele ganha e propuseram.

O mundo espera a resposta, mas se já deram e a coluna ficou defasada, que se dane.

Daqui a pouco, se encerra o contrato de Márcio Araújo e o futuro do craque vira debate.

Twitter – @aloisiovillar

Facebook – Aloisio Villar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Visitas

Facebook