Categorizado | Pedro Migão

Algumas dicas para quem vem à Ilha do Urubu

cpupo_flamengo_126845

Finalmente, o Flamengo inaugura na noite desta quarta-feira a sua casa para os próximos três anos, ao menos. Após obras que sofreram alguns atrasos devido a diversas questões, os alvarás e licenças foram finalmente obtidos e hoje recebe a inauguração nesta segunda fase – o time já mandou jogos em um esquema parecido no ano de 2005, neste mesmo lugar.

Conversando com a jornalista Cris Dissat, coordenadora do site Fim de Jogo – indispensável a quem frequenta estados Rio de Janeiro afora – surgiu a sugestão de escrever sobre alguns aspectos especialmente de acesso, haja visto que as informações dos canais oficiais, até o momento em que escrevo, estão difusas e incompletas.

A ideia aqui é, como morador da Ilha do Governador, dar algumas dicas a quem virá nesta primeira noite de jogo. Não ficarei nem longe de esgotar o assunto, mas espero que ajude aos leitores.

Por tópicos:

1 – Trânsito

Em um dia comum, a chegada à Ilha do Governador já é complicada. Tanto a Linha Vermelha como a Avenida Brasil desembocam no mesmo lugar, e o bairro tem apenas uma entrada e uma saída.

Como desgraça pouca é bobagem, este primeiro jogo será em uma véspera de feriadão e ainda por cima a previsão é de chuva. Ou seja, paciência.

A opção pela Brasil ou pela Linha Vermelha neste momento é indiferente: a primeira convive com obras e a segunda, por conta disso, recebeu um fluxo extra de carros. A foto acima, tirada na segunda feira por volta de 18h50, dá um bom exemplo.

Sugiro reservar de 1h30 a duas horas caso vá de carro ou ônibus. No mínimo. No mínimo mesmo. E torça para não haver acidentes ou carros enguiçados.

No retorno, é possível que haja engarrafamentos na Linha Vermelha e na Avenida Brasil, especialmente no sentido Centro, devido à saída do Rio de Janeiro via Ponte Rio-Niterói para o feriadão. Dependendo do fluxo, pode haver reflexos até na Estrada do Galeão, avenida que representa entrada e saída da Ilha do Governador.

2 – Estacionamento

No momento em que escrevo, a situação é a seguinte: os três estacionamentos que poderiam atender a parte do público estarão indisponíveis.

O Extra, pela sua entrada estar dentro da área de bloqueio ao trânsito. O Casa Show – à esquerda na imagem, clique para ampliar – e o Assai por fecharem antes do término da partida. O mesmo vale para o Ilha Plaza, que fica um pouco mais distante, mas “caminhável”.

Pode ser que o Extra coloque em mão-dupla o acesso de veículos pela Estrada do Galeão, normalmente utilizado apenas para saída, mas oficialmente nada foi anunciado. Caso esteja funcionando, é uma possibilidade, mas fecha às 23 horas – ou seja, a princípio, é um horário muito apertado.

O que sobram são dois estacionamentos em frente ao Extra e ao McDonald´s, entre a Estrada do Galeão e a Rua Cambaúba, que somados tem pouco mais que 100 vagas disponíveis. E um terceiro na Rua Colina, com algo em torno de 40. Muito pouco, convenhamos.

Estes são rotativos e fica em torno de R$15 para três horas de permanência – um pouco menos no situado à Rua Colina. Isso em um dia normal.

Parar na rua será impraticável porque haverá operação da Guarda Municipal multando e rebocando carros – especialmente na Rua Cambaúba.

Com sorte, pode-se encontrar algumas vagas em rua no Quebra Coco, sub-bairro do Jardim Guanabara (à direita da Estrada do Galeão). Mas estas, além do risco de uma “incerta” da Guarda Municipal, ficam a cerca de 1,5km de distância do estádio.

O aeroporto do Galeão pode ser uma alternativa, mas há inconvenientes: o estacionamento é caro, as linhas de ônibus são em quantidade muito reduzida e a má vontade dos taxistas em fazer corridas para dentro da Ilha do Governador já é folclórica. A opção seria pegar um BRT voltando para o Terminal Fundão e acessar o serviço especial de ônibus para o estádio.

Ou seja: para a partida de amanhã, e também a ser disputada contra o São Paulo, será virtualmente impossível estacionar. No jogo contra a Chapecoense, que deve terminar por volta de 21h20, Assai e Casa Show, para quem vier cedo, podem ser opções.

Para o leitor ter uma ideia, eu deixarei meu carro em casa vindo do trabalho e irei caminhando – 1,3km de distância.

3 – Como Chegar

Como o leitor viu acima, ir de carro, a não ser que seja morador do bairro, é uma alternativa quase impossível. As linhas de ônibus são poucas e operam em intervalos irregulares. As opções, então, são poucas:

3.1. – BRT: há a promessa de uma linha de ônibus extra do Terminal Fundão para a Ilha do Urubu. Sinceramente, parece ser a melhor opção. Não há estacionamento no terminal, contudo nas ruas do entorno há (alguma) condição de parar o carro. Mas tenha (bastante) cuidado que a área é bastante deserta, especialmente à noite.

3.2 – Ônibus: especialmente para quem vem do Centro pode ser uma opção; há algumas linhas tanto comuns como “frescões”. Quem for para o Setor Oeste deve descer em frente ao Casa Show; para os demais, em frente ao Extra.

3.3 – Táxis/Uber: haverá pontos de táxi especiais para a saída do estádio, mas não é uma opção barata: apenas chegar à saída da Ilha, em bandeira 2, dá aproximadamente R$20. O Uber, na ida, pode ser uma opção mais em conta, apesar dos engarrafamentos previstos.

3.4 – Metrô: não é uma opção. A estação mais próxima é a do Shopping Nova América e não se consegue sair do estádio e chegar à estação antes do fechamento à meia noite. Ainda mais com o engarrafamento previsto no retorno para o jogo de hoje.

3.5 – Serviço “FlaBus”: o Flamengo disponibilizou serviço de ônibus saindo de alguns locais da cidade para os sócios torcedores, a R$50 ida e volta. É uma opção mais em conta que os táxis/Uber, mas a página do serviço não dá detalhes de horários nem dos pontos exatos de parada. Contudo, pode ser uma boa alternativa.

Finalizo este artigo dizendo que tanto o clube como o Centro de Operações da Prefeitura deixaram bastante a desejar no sentido de esclarecerem estas questões, fundamentais aos cerca de 20 mil torcedores que estarão presentes nesta partida de abertura da arena.

Dúvidas, adições, utilize a área de comentários.

Imagens: Celso Pupo/Fim de Jogo, Arquivo Ouro de Tolo e Reprodução Google Maps

7 Respostas para “Algumas dicas para quem vem à Ilha do Urubu”

  1. FÁBIO CALIL BELEM disse:

    Pedro, vc desconsiderou a hipótese de ir de barca da Praça XV até Cocota e, lá pegar um táxi/ônibus/Über até as cercanias do estádio.

    • Pedro Migão disse:

      Desconsiderei porque somente um horário (18:40) atende e na volta já estará fechado. Sem contar que é um serviço com muitas interrupções.

      A verdade é que a Ilha do Governador é o pior bairro do Rio com folga em termos de acesso a transporte coletivo.

  2. Vinicius Branco disse:

    Boa noite Pedro!
    Algumas perguntas: Vale a pena ir em direção ao aeroporto e pegar a Avenida Braz Crispino para chegar pelo outro lado ao estádio? Tem onde estacionar por ali? Vi que tem uma praça perto (João Noce). Essa região é perigosa?
    Abs e SRN.

  3. Luciano disse:

    Troca está placa de trânsito com o bairro de Vasco da Gama e coloca outra

Trackbacks/Pingbacks

  1. […] semana de estreia do estádio, escrevi artigo dando uma série de dicas ao torcedor que não mora nas redondezas do estádio como eu. Praticamente seis meses depois, hora […]


Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Visitas

Facebook