Deprecated: get_the_author_ID está obsoleto desde a versão 2.8.0! Use get_the_author_meta('ID') em seu lugar. in /home/pedromig/public_html/ourodetolo/wp-includes/functions.php on line 4713

Deprecated: attribute_escape está obsoleto desde a versão 2.8.0! Use esc_attr() em seu lugar. in /home/pedromig/public_html/ourodetolo/wp-includes/functions.php on line 4713

Deprecated: attribute_escape está obsoleto desde a versão 2.8.0! Use esc_attr() em seu lugar. in /home/pedromig/public_html/ourodetolo/wp-includes/functions.php on line 4713

O São Paulo tem, na teoria, um time para brigar pelo título brasileiro. Começou o ano muito mal, se acertou, passou a jogar muito bem e, de uma hora para outra, teve uma queda absurda de rendimento. O time perdeu os últimos três jogos. Além da derrota para o Flamengo no fim de semana, havia perdido, no sábado anterior, em casa para o Goiás (por 3 a 0!!!!) e para o time reserva do lanterna da Série B, o Ceará, pela Copa do Brasil, também no Morumbi (quando essa coluna for publicada, provavelmente o jogo de volta contra os cearenses já terá ocorrido). O desempenho recente é, para ser delicado, bizarro.

Ainda assim, parece ser um crime inafiançável ter a ousadia de criticar o trabalho do técnico Juan Carlos Osorio. Basta acontecer qualquer coisa ruim com o Tricolor que o meu Twitter parece uma coleção de Donas Lúcia que fazem de tudo para defender o indefensável trabalho do colombiano. São, em geral, as mesmas pessoas que adoram ver o Cruzeiro ou o Inter perdendo para meterem o pau no Vanderlei Luxemburgo ou na demissão do Diego Aguirre. Se o Cruzeiro perde, o Luxemburgo é ultrapassado. Se o São Paulo perde, é porque o Osorio não tem culpa de ter jogadores tão ruins (como se isso fosse verdade).

Eu não sei que atração é essa que algumas pessoas tem por um terno e um sotaque espanhol. Osorio se tornou intocável e tem defensores que falam como se ele não soubesse em que buraco estava se enfiando ou – pior – como se ele fosse o único a sofrer com algumas coisas. A impressão que tenho é que Osorio é o único técnico que sofre com desmonte de time por causa da diretoria, é o único que sofre com os burburinhos da imprensa, o único que sofre com a impaciência da torcida (como se o torcedor fosse obrigado a ver calado o time perder em casa para os reservas do Ceará).

E o mais impressionante é que a diretoria do São Paulo banca quase toda semana a permanência dele. Ele, por sinal, que está pensando em dar no pé. Mas o que eu mais leio é que o imediatismo da diretoria Tricolor vai derrubá-lo. E que fique claro que eu sou contra sua demissão até porque esse trabalho só deveria ter começado em 2016. Mas eu queria, se possível, pedir a permissão para falar que ele só tem feito besteira.

Santos 5 x 2 Avaí

Eu já disse isso algumas vezes aqui, mas tenho que repetir: como é que alguém pode ser contra um time mudar de treinador, hein? Veja, de vez em quando nem precisa contratar um super treinador. Basta contratar um que faça o óbvio, como vem fazendo o Dorival Júnior com esse time do Santos. Só de pensar nas rodadas que o Peixe perdeu com as invencionices do Marcelo Fernandes eu fico chateado.

O Santos é outro time do meio para frente. Os meninos agora têm mais liberdade para ir para o ataque, não estão tão presos a um esquema que claramente não dava certo. Com Marcelo Fernandes, os atacantes ficavam muito distantes dos meias e a ligação entre defesa e a ataque ficava prejudicada. Agora, as jogadas fluem com mais facilidade, explorando a velocidade dos homens de criação. Não é a toa que Lucas Lima tem crescido de desempenho a cada jogo. O Santos abriu, com facilidade, 2 a 0 e depois mostrou que ainda tem problemas na zaga, permitindo o desconto do Avaí.

Com o Avaí mais perto no placar, o Peixe voltou a atacar e marcou mais duas vezes, aproveitando-se inclusive de mais uma atuação ruim do Avaí, que vive seu pior momento no Campeonato. Em mais uma relaxada dos donos da casa, o Leão marcou mais um (aliás, boa estreia de Leo Gamalho com os dois gols – o segundo dos mais interessantes). O Santos ainda teve o pênalti mais absurdo do Brasileirão até agora (o pobre do juiz não conseguiu ver o tombo espetacular que o Lucas Lima tomou e achou que ele tinha sido derrubado) para fazer o quinto gol e definir o jogo.

Goiás 3 x 0 Vasco

O torcedor vascaíno está vivendo uma época em que não consegue ser feliz por mais de quatro dias. Depois de conseguir uma grande vitória na quarta-feira contra o rival Flamengo, pela Copa do Brasil, o Vascão tinha o Goiás, em um estádio com mais vascaínos do que goianos, para começar embalar no segundo turno. Aí o que  acontece com cinco minutos de jogo? O Zé Love dá o seu primeiro tapa na bola com a camisa do Esmeraldino. E faz um gol de bicicleta. Aí, amigo, aí fica realmente complicado.

Toda essa empolgação adquirida com a vitória sobre o Flamengo foi pelo ralo. O Goiás (outro que melhorou muito depois de demitir o seu treinador) se aproveitou e fez o seu segundo bom jogo de fato no Campeonato (o primeiro foi contra o Atlético Mineiro). Logo na sequência ganhou um pênalti de presente e aumentou um placar. Jorge Henrique, numa mistura de lapso de insanidade com uma má vontade do juiz, acabou expulso e aí a coisa degringolou de vez. O Goiás até diminuiu o ritmo sem ser muito incomodado, até ter mais um penal (esse sim bem marcado) e definir de vez o jogo. Só uma sequência de milagres salva o Vasco do descenso.

Figueirense 2 x 1 Sport

Esse jogo foi bem ruinzinho. Figueirense e Sport jogaram para pouco mais de 4 mil pessoas no Orlando Scarpelli e jogaram um futebol preguiçoso. O Sport foi melhor no primeiro tempo, embora não fosse nem sombra do time do primeiro turno e criou algumas raras oportunidades, conseguindo inclusive abrir o placar. O Figueirense se acertou na volta para o segundo tempo e assumiu o controle da partida. Aproveitando um rubro-negro surpreendentemente desorganizado, o Figueira empatou, virou e conseguiu se afastar um pouco do Z-4.

Ponte Preta 0 x 0 Grêmio

Chega a ser inacreditável a Ponte Preta não ter vencido esse jogo. A superioridade da Macaca foi tamanha que não seria absurda uma vitória por um placar elástico. Desde o primeiro minuto o time do Grêmio sofreu e não conseguiu marcar uma equipe que voltou a apresentar a velocidade e o bom futebol do início do Campeonato. Só no primeiro tempo foram 12 finalizações contra um chutinho sem vergonha dos gaúchos. Não fosse tão incompetente na hora de finalizar, a Ponte poderia ter matado o jogo na primeira etapa.

No segundo tempo a Ponte Preta se lançou ainda mais ao ataque e parou por várias vezes no goleiro Marcelo Grohe. À medida que o tempo ia passando, a Ponte ia se expondo mais, o que deu espaço para o Grêmio no contra-ataque. Mesmo sendo forte nesse ponto, o Imortal teve apenas duas boas chances. A segunda, ironicamente, foi a melhor do jogo, com Brian Rodriguez perdendo um gol incrível sem goleiro. Se o empate já não representou o que foi o jogo, uma vitória Tricolor seria quase uma maldade.

Coritiba 1 x 0 Chapecoense

Outro jogo bem ruinzinho. A Chapecoense fez uma partida muito ruim, acovardada, presa lá atrás e o Coritiba, como não tem time para ser muito ofensivo, também abusou da cautela. Desde o início ficou meio visível que o Coxa estava mais perto do gol, mas não foi nada digno de nota. A Chape apática, controlando a partida no campo de defesa, e o Coritiba lento, pouco criativo e com dificuldade crônica para chegar perto do gol, não fizeram um espetáculo dos mais belos. Em uma bobeada dos catarinenses, o Coritiba chegou ao gol em uma bela finalização e venceu mais uma.

corinthianscruzeiroCorinthians 3 x 0 Cruzeiro

O trabalho de Tite nesse ano de 2015 comprova porque ele é, com certa folga, o melhor treinador do Brasil na atualidade. Depois de fazer o time render muito bem no começo de ano, ele teve que lidar com uma queda de rendimento e com uma desmontagem no elenco. A incerteza logo deu lugar a uma campanha espetacular, que credencia, dia a dia, o time a ser um dos grandes favoritos ao título brasileiro.

No jogo de domingo, por exemplo, o grande mérito foi ter sabido lidar com um adversário assanhado. O Cruzeiro botou o jogo pra correr, apertou o Corinthians, entrou no jogo de toques rápidos do alvinegro e ia se saindo muito bem. O Timão, então, diminuiu a velocidade da partida, tocou mais curto, de lado, foi cansando o adversário e, assim, os espaços começaram a aparecer. Vagner Love, o herói improvável, aproveitou um desses espaços em um rebote para abrir o placar. O Cruzeiro, que vinha bem no jogo mesmo com a derrota, desanimou após um lance extremamente infeliz de Mayke que culminou no segundo tento do alvinegro.

A coisa foi pro saco de vez quando, aos dois minutos do segundo tempo, o Corinthians encaixou mais uma jogada brilhante e marcou o terceiro. Aí deu até pro Cruzeiro incomodar um pouco, mas a tarde ruim de Leandro Damião e a tarde inspirada de Cássio garantiram o placar. O Corinthians é um time cada vez mais difícil de ser batido e tem uma pinta enorme de campeão. Se será, só o tempo vai dizer. Mas que tem tudo para ser, tem.

Flamengo 2 x 1 São Paulo

Tudo o que eu tinha para falar do São Paulo eu já falei no texto de introdução, então agora vou me ater ao Flamengo. O time continua muito mal. Ganhou, tudo bem, mas está jogando muito mal. O gol do São Paulo, por exemplo, é de uma ruindade absurda da zaga do Mengão. O gol só saiu porque o zagueiro Luiz Eduardo teve a insanidade de acreditar que chegaria em uma bola completamente perdida e chegou! Foi uma das poucas boas investidas do São Paulo no campo de ataque, mostrando que não é preciso muito para marcar gol nesse Flamengo.

Se jogasse como vinha jogando até duas semanas atrás, o São Paulo, depois de abrir o placar, conseguiria controlar com certa facilidade o jogo. Mas a maré definitivamente não é boa. Em uma trapalhada absurda da zaga, os paulistas cederam o empate ainda no primeiro tempo e foram completamente dominados pelo Flamengo no segundo. Guerrero perdeu duas chances incríveis antes de receber um verdadeiro lançamento do são-paulino Auro e virar o jogo. Daí para frente, quem administrou a vitória foi o Fla que, se tivesse jogado bem, teria ampliado a vantagem.

Internacional 2 x 0 Atlético Paranaense

Diante da incompreensível decisão do técnico Milton Mendes de levar um Atlético Paranaense misto ao Beira-Rio, o Inter não encontrou muitas dificuldades para vencer o Furacão em casa. Logo nos primeiros lances da partida, Valdívia abriu o placar e os paranaenses, com o setor de criação comprometido pela nova escalação, pouco incomodaram. Apenas uns poucos chutes de fora da área foram tentados para empatar o jogo, ao passo que o Inter, mais consistente, criou boas chances. Valdívia, além do gol, fez ótima partida e levou a equipe a um 2 a 0 que só não foi mais elástico porque o Colorado perdeu um pênalti e várias outras chances. Boa vitória dos gaúchos.

Joinville 2 x 1 Fluminense

O Fluminense voltou a jogar o futebol burocrático das primeiras rodadas do Brasileirão. É pouco criativo, não surpreende o adversário e aposta nos fundamentos básicos para ganhar dos adversários mais simples. Contra o Joinville, a estratégia bem que vinha dando certo. O Fluzão teve as melhores chances do primeiro tempo, não teve assinalado um pênalti a seu favor e, na segunda etapa, abriu o placar. Na sequência, viveu o seu melhor momento no jogo e poderia ter definido a partida, mas o garoto Lucas Gomes perdeu duas ótimas oportunidades.

Logo na sequência, em um lance infeliz de Marlon, veio o castigo com o gol de empate dos catarinenses. O baque dos cariocas pelos eventuais dois pontos perdidos foi tão grande que o Joinville acabou virando o jogo em uma jogada muito bem tramada pelo ataque tricolor. O Fluminense perdeu uma boa chance de se distanciar do quinto colocado, ao passo que o Joinville segue vivo na briga para escapar do rebaixamento.

atleticomgpalmeirasAtlético Mineiro 2 x 1 Palmeiras

O jogo mal tinha começado e o Galo, em um raro momento de desatenção no jogo aéreo, saiu atrás do placar com o gol de cabeça de Andrei Girotto. O Palmeiras havia chegado muito bem ao ataque, coisa que seria rara no primeiro tempo. Em desvantagem, o Atlético precisou sair pro jogo, pressionou, apertou e o Palmeiras foi se virando do jeito que deu. Não por muito tempo, já que o empate dos mineiros veio antes mesmo da metade do primeiro tempo. A verdade é que o Verdão fez um primeiro tempo muito ruim e se viu completamente dominado. Se o pênalti de Fernando Prass em Pratto não foi concedido, o argentino virou em uma penalidade que não foi absolutamente nada, fazendo justiça ao que se viu em campo no primeiro tempo.

Na etapa final, a situação se inverteu. Em desvantagem, o Palmeiras foi quem esteve no ataque na maior parte do tempo, mas, entretanto, não conseguiu fazer a mesma pressão exercida pelo Galo na primeira etapa. Teve, sim, chances muito boas de empatar – a última delas, em chute de Lucas Barrios, salva praticamente em cima da linha -, mas não o suficiente para que se possa dizer que o empate seria o resultado mais justo. Depois de um período de grande euforia, vai ficando claro que o Palmeiras ainda não tem time para bater de frente com os melhores do país no momento.

Classificação

Eis a classificação do Brasileirão. A novidade são os escudinhos que agora enfeitam a classificação no site da CBF.

Captura de tela 2015-08-25 às 16.30.35

Público e Gols

– Os jogos com público ruim impediram que o Brasileirão, embora com média cada vez maior, tenha chegado aos 17 mil torcedores por jogo. A média agora é de 16.933 torcedores por jogo. Nos outros anos, após 20 rodadas, era de 11.714 em 2006, 14.272 em 2007, 15.275 em 2008, 15.358 em 2009, 13.914 em 2010, 13.382 em 2011, 11.840 em 2012, 14.010 em 2013 e 14.940 em 2014.

– A rodada foi boa no quesito gols e agora temos 452 tentos marcados no campeonato contra 422 no ano passado. Passadas 20 rodadas, tivemos 537 em 2006, 541 em 2007, 514 em 2008, 578 em 2009, 477 em 2010, 538 em 2011, 496 em 2012 e 505 em 2013.

Palpites para a 21ª rodada

Vasco x Figueirense – Sábado, 29/8, às 18h30, no Maracanã, no Rio de Janeiro

Nem eu sei porque eu faço essas coisas, mas vou apostar no Vasco. Não me peçam embasamento para esse palpite. Vascão 1 a 0.

São Paulo x Ponte Preta – Sábado, 29/8, às 21h, no Morumbi, em São Paulo

“Apesar da crise”, o São Paulo tem mais time, joga em casa e deve voltar a vencer. Se não vencer, vai ficar complicado pensar até em Libertadores. 2 a 0 para o time da capital.

Grêmio x Coritiba – Domingo, 30/8, às 11h, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre

Por mais que o Coritiba venha embalado, esteja animado e etc, será uma zebra gigantesca se conseguir vencer o Grêmio, em duelo que já acontecerá no mesmo local na quinta-feira, pela Copa do Brasil. 3 a 1 para o Imortal.

Avaí x Internacional – Domingo, 30/8, às 11h, na Ressacada, em Florianópolis

Se o Inter jogar o que jogou contra o Atlético, tem tudo para vencer. Mas a irregularidade do time me obriga a apostar em empate. Tudo igual, 1 a 1.

Fluminense x Atlético-MG – Domingo, 30/8, às 16h, no Maracanã, no Rio de Janeiro

Mesmo jogando um futebolzinho sem vergonha nesses últimos tempos, o Fluminense segue forte em casa. O Galo, apesar da boa vitória, não vive seu melhor momento, de modo que aposto nos donos da casa. Fluzão 1 a 0.

Palmeiras x Joinville – Domingo, 30/8, às 16h, no Allianz Parque, em São Paulo

Outro caso onde, por mais que o time mais fraco venha em seu melhor momento no ano, não dá para não apostar no time grande. O Palmeiras deve vencer e sem muita dificuldade. 3 a 1 para os donos da casa.

Chapecoense x Corinthians – Domingo, 30/8, às 16h, na Arena Condá, em Chapecó

Esse é o grande teste do Corinthians em muito tempo. Pouca gente consegue arrancar ponto da Chape na Arena Condá e, se conseguir, o Corinthians vai dar mais uma prova de que vem com tudo para o título. Ainda acho que vem, mas essa parada não vai dar para encarar não. Vence a Chapecoense, 1 a 0.

Sport x Flamengo – Domingo, 30/8, às 16h, na Itaipava Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata

O Sport vive um momento muito complicado no Brasileirão, ao passo que o Flamengo vem evoluindo cada vez mais. O jogo deve ser bom, deve ter casa cheia e eu vou ficar em cima do muro. Empate em 1 a 1.

Atlético-PR x Goiás – Domingo, 30/8, às 18h30, na Arena da Baixada, em Curitiba

O Goiás vem tendo resultados bem melhores do que suas atuações. Depois de conseguir ser eliminado pelo Brasília na Copa Sul-Americana, todos os caminhos levam a mais uma derrota. 2 a 0 para o rubro-negro.

Cruzeiro x Santos – Domingo, 30/8, às 18h30, no Mineirão, em Belo Horizonte

Jogo pra lá de interessante entre um Cruzeiro querendo fugir do Z-4 e um Santos que quer se aproximar das primeiras colocações. Por jogar em casa, aposto na Raposa. 1 a 0 para o Cruzeiro.

Simulador

Mais uma versão do simulador. Agora já aponto: o Corinthians é o meu favorito ao título.

Captura de tela 2015-08-23 às 21.35.23