Domingo passado a família Huck passou sufoco.

No Mato Grosso do Sul, andando em um avião depois de fazer gravações para o programa “Estrelas” – de Angélica – a família deve ter passado pelo pior momento de suas vidas.

O veículo que lhes transportava teve falha em um dos motores, que apagou, e o segundo não quis funcionar lhe substituindo. O avião teve que fazer pouso de emergência e a família saiu machucada. Luciano trincou costela, Angélica teve problema muscular.

A notícia com casal tão famoso, lógico, causou comoção e corrida da imprensa. A família teve pronto atendimento, foi transferida rapidamente para São Paulo e a Globo tratou de colocar seus repórteres na caça de informações e conseguiu colocar Luciano e Angélica no Fantástico.

Angélica chorando, Luciano pálido. Mas graças a Deus foi só um grande susto. Os fãs puderam respirar aliviados e a família ficou em paz. Apenas com um grande trauma.

luciano-angelica-bananaEvidente que uma notícia assim choca e quem tem um pouco de humanidade não quer que nada ocorra de mal e se sente aliviado ao ver que não passou de um susto. Se eu não quero o mal dos meus inimigos (Ok, de alguns quero sim) imagine de Luciano e Angélica que nunca me fizeram nada? Fiquei feliz que os dois estão bem.

Mas o episódio serviu para mostrar outro lado.

Assim como teve solidariedade, teve muitas piadinhas. Gente associando o ocorrido aos anúncios e causas que Luciano pega ou o jeito de ser da família. Até é normal que isso ocorra, já que brasileiro é muito gozador. Com a primeira lágrima pela morte de Ayrton Senna também surgiu a primeira piada. Mas a verdade é que o Brasil tem sim resistência ao Luciano Huck.

E por que isso ocorre?

Podíamos ver por um ângulo rasteiro e dizer que o brasileiro tem inveja do sucesso alheio. Não deixa de existir certa razão nessa afirmação. Tom Jobim já falava isso anos atrás e Carmem Miranda quase um século atrás foi a primeira a sofrer com isso. Disseram que ela voltou “americanizada”.

Mas não é só isso. Tony Ramos, por exemplo, é simpático, participa de causas sociais, também tem família de margarina, faz sucesso há muito tempo e é amado.

O problema é que brasileiro é hipócrita e detesta hipocrisia. O Brasileiro é o cara que reclama de corrupção e suborna o guarda, mas também detesta o sujeito que e dá bem na vida e posa de bom moço quando não é.

somos todos macacosHoje tudo é passível de lucro e nada dá mais lucro que a imagem. Luciano sabe cultivar a de bom moço. Sempre engajado, sempre com ações sociais, como um Silvio Santos do terceiro milênio abre as portas da esperanças e dá casa nova e carro novo. As pessoas choram, se emocionam e ele faz cair a chuva de papel picado no palco para comemorar o pobre que ele ajudou aos gritos de “loucura, loucura, loucura”.

Ele não é bobo, não é burro. Se fosse não era tão bem sucedido. Tudo que ele faz na televisão Albano Reis fazia como “Papai Noel de Quintino” e vários políticos fazem quando abrem ONGs com dinheiro público para ajudar o próximo.

Ajudam o próximo com dinheiro dos outros e capitalizam no marketing social. Várias empresas financiam a fama de bom moço de Huck. É um coronelismo eletrônico, com a diferença que o coronel do interior dá dentadura por votos; Luciano reforma sua casa para ganhar milhões.

Está errado? Pela lei, não. Quem gosta dele argumenta que pelo menos faz alguma coisa. Mas que fique tudo claro. Ele não é bonzinho. É esperto. Enriquece explorando a miséria alheia.

Enriquece com oportunismo também. Faz campanha de marketing ao ver um ato de racismo contra o Daniel Alves e lança a camisa “todos somos macacos” para lucrar em cima. Chega a explorar sexualidade infantil lançando camisa para criança do “Vem ni mim que sou facim”. Ideias estapafúrdias que sofreram rejeição imediata – e foram tiradas de circulação.

Capitalizando em cima de polêmicas, em cima de ofensas a uma raça, a sexualidade infantil, capitalizando, capitalizando. Parece que para ele tudo é isso “capitalizar”. Doando o dinheiro arrecadado para instituições de caridade e ganhando muito mais em cima da imagem.

Imagem. Imagem no mundo de hoje é tudo, mas a dele começa a ficar arranhada.

Ele e a família ainda são muito queridos, principalmente pelos mais pobres. Mas Angélica já foi vaiada ao gravar em uma universidade. Luciano cada vez sofre mais rejeição na casse média, que é formadora de opinião. Logo após o fim do susto com o pouso do avião, veio a indignação com o tratamento privilegiado que a família recebeu no atendimento médico público. Coisas que vão desgastando.

Para quem vive da imagem isso pode ser fatal.

Como um acidente de avião.

Twitter – @aloisiovillar

Facebook – Aloisio Villar

6 Replies to “Por que Luciano Huck é tão odiado?”

  1. Diferente do Silvio Santos, ele força muito a imagem de bom moço; é muito artificial. Não sabe ser espontâneo nas brincadeiras, quer aparecer mais que os convidados ou participantes…

    Sim. Isso tudo desgasta!

  2. Infeliente vivemos num mundo cada vez mais individualista e que tudo o a maior parte das ações se faz através do toma lá da cá … Não só o Luciano Huck , mas muitos p aí em que eles próprios e a mídia endeusa, deixando claro que estão acima do bem e do mal e são melhores que os outros , um grande ex tb é aquela família real inglesa que se derem um passo a mídia está lá com os holofotes e tantos outros, porém a verdade é que esse episódio passado da família Huck, apesar de ficar feliz por nada de ruim acontecer com eles. Também serviu p mostrar que aos olhos de Deus essas pessoas idolatradas são meros mortais como todo mundo!

  3. Concordo em partes com o texto, porém acho necessário sempre fazermos a seguinte pergunta para nós mesmo:

    E se fosse eu?

    Se meu blog, site, algo do tipo fosse patrocinado por uma instituição de grande porte e a mesma aplicasse parte de seu patrocínio em “ações sociais”,e que tais ações fossem publicadas de forma constante em meu canal de comunicação. Isso provavelmente me atribuiria uma imagem de ” ajuda ao próximo”.

    será que eu mereceria ser taxado de bom moço de maneira ruim?

    Faço esse comentário acima em comparação ao Programa do Apresentador citado no texto. Que tem como quadros a ajuda de terceiros.

    Se fosse o Faustão apresentando o programada, provavelmente ele teria a mesma imagem que Luciano Hulk.

    OBS: Que fique claro que meu comentário não é uma crítica ao conteúdo publicado, mas sim uma provocação.

  4. É justamente isso que me incomoda: seu programa que faz sim assistencialismo. E o Huck critica muito, esse ponto do atual governo! O próprio pronuncia: bolsa vagabundo! E em uma reuniao que organizou em sua casa, para a qual Aécio Neves foi convidado… Ele criticava o assistencialismo do governo. E irrisorio: pedia a construção de heliportos como meta para o governo tucano!!! Escandalo!!! Quantas pessoas? E qual camada da nossa sociedade se beneficiaria c isso???? Um mínimo e do meio dele!!!! Ok! Vender imagem de Bom moço. Mas tem que ser coerente!!!!!

Comments are closed.