Deprecated: get_the_author_ID está obsoleto desde a versão 2.8.0! Use get_the_author_meta('ID') em seu lugar. in /home/pedromig/public_html/ourodetolo/wp-includes/functions.php on line 4713

Deprecated: attribute_escape está obsoleto desde a versão 2.8.0! Use esc_attr() em seu lugar. in /home/pedromig/public_html/ourodetolo/wp-includes/functions.php on line 4713

Deprecated: attribute_escape está obsoleto desde a versão 2.8.0! Use esc_attr() em seu lugar. in /home/pedromig/public_html/ourodetolo/wp-includes/functions.php on line 4713

Resultados divulgados, já de volta ao trabalho, alguns rápidos pitacos sobre o que eu vi nas quatro noites de desfile:

1) Não irei comentar resultados por motivos óbvios, mas impossível não registrar que o rebaixamento do Império da Tijuca foi bastante injusto, ainda mais se pensarmos o caminhão de pontos que ela ficou atrás da São Clemente. E nem cito aqui as notas de quesitos plásticos e de Enredo da Vila Isabel…

2) Beija Flor também sofreu com a mão pesada dos jurados;

20140303_2103053) A Portela poderia ter sido perfeitamente a campeã, mas levando-se em conta que pegamos a escola destruída, em apenas pouco mais de nove meses já colocá-la no terceiro lugar é um ótimo resultado. Manter e aperfeiçoar o trabalho e o título fatalmente virá em breve;

4) O julgamento de samba enredo do grupo de acesso A foi inacreditável. “Os Sertões” só teve uma (!) nota 10, com direito a um 9,6! Outro jurado tirou pontos da Cubango, simplesmente o melhor samba inédito que passou englobando Especial e Acesso A. Por outro lado, as para lá de medianas composições de Viradouro e Império Serrano gabaritaram o quesito;

5) A propósito, a vitória da Viradouro foi justa mas a chuva de notas 10 foi exagerada. Por outro lado o rebaixamento foi exatamente o que previ na coluna que publiquei na manhã de domingo. Além disso, a Inocentes foi bastante penalizada.

6) Durante o desfile da Cubango, no refrão do meio (adaptado de um ponto de umbanda) praticamente toda a escola fazia movimentos de dança como as encontradas nos terreiros religiosos. Boa parte do público também – inclusive este escriba…20140302_061729

7) O carnaval carioca precisa de desfiles à luz do dia. O Grupo Especial nas duas noites terminou por volta de 05:30 da manhã, o que comportaria perfeitamente mais uma agremiação. Por outro lado, é inviável se iniciar um desfile às 21 horas de sexta feira com todo o trânsito de saída do Rio ocorrendo; o ideal seria iniciar às 22 horas ou até mais tarde um pouco. Vale lembrar que a Cubango só desfilou com o dia claro devido ao atraso de cerca de 40 minutos provocado pela quebra da alegoria da Alegria da Zona Sul e pela demora no início do desfile.

8) Impressiona a queda crescente da Renascer, para uma escola que há apenas dois anos esteve no Grupo Especial. Sabemos que a escola está sem quadra, mas o que se viu de fantasias e especialmente alegorias estava abaixo da crítica.

IMG_109837269746469) Ainda sobre a Renascer, pelo segundo ano seguido a Direção de Harmonia comete o equívoco de amarrar a escola demais no início e depois correr desesperadamente para não estourar o tempo. Resultado: pelo segundo ano fui filmado pela Globo correndo – desta vez desviando dos obstáculos, inclusive do próprio câmera da emissora.

10) Mas em termos de “brincar carnaval” foi um desfile divertido na Ala de Compositores da Renascer. O bom samba ajudou bastante;

11) Ao contrário de 2012, agora o acesso dos setores pares para a concentração é direto, sem precisar ir quase no prédio dos Correios para se retornar.Vale ressaltar que a segurança estava muito precária do lado de quem concentrava no “Balança”, com vários registros de assaltos;20140304_045309

12) Contudo, é inadmissível que não haja banheiros permanentes disponíveis para o público das frisas do Setor 2 – eram químicos. No lado ímpar, onde assisti aos dois dias do Acesso, os acanhados banheiros precisam urgentemente de uma reforma geral;

13) O ponto de táxi também fica muito distante para os setores pares;

14) Fazendo uma brincadeira, o posto de gasolina trazido pela Tijuca estava sonegando impostos: basta ver o preço dos combustíveis no totem (foto acima);20140302_041657

20140303_22062115) Mocidade e Santa Cruz trouxeram carros absolutamente idênticos, só mudando a cor (fotos). Ilha e Imperatriz tinham fantasias também muito parecidas em suas alas de baianas;

16) Durante o desfile do Tuiuti os bombeiros foram chamados para resgatar uma suposta pessoa que teria caído embaixo de um dos carros. Felizmente, nada foi achado.

17) Emocionante a ovação recebida por Beth Carvalho nas duas noites do desfile do Acesso. Quando ela passou em uma cadeira de rodas motorizada o público começou a aplaudir e a cantar seu sucesso “Vou Festejar”;

20140301_05030618) Este ano não desfilei no Império Serrano, mas a inação da Direção de Harmonia deu raiva. Chegou um momento que me deu vontade de pular para a pista para tentar ajudar. A escola precisa de um movimento como o que se levou a termo na Portela. Uma espécie de “Império Verdade”. Outra coisa é que até camisa com estampa ao contrário foi para a avenida (foto);

19) Jairzinho, o Furacão da Copa, assistiu ao desfile de sábado na frisa ao lado da nossa. Bastante simpático, inclusive.

20) O terceiro carro da Caprichosos era um dos mais “bonitos” do desfile. Arrancou suspiros de muito marmanjo na avenida de desfiles.

21) A Portela voltou a esquentar com “Foi Um Rio que Passou em Minha Vida” após 16 anos. O samba foi cantado por Monarco e Paulinho da Viola (abaixo, o áudio extraído do YouTube);

22) Não vi, mas a Imperatriz esquentou sua bateria com o Hino do Flamengo. Espero que repita no Desfile das Campeãs;20140228_202841

23) Sou contra fechar as escolas apenas com alas de comunidade, mas vi na prática que o ideal seria restringir o número de alas comerciais apenas ao necessário para atender o pessoal que desfila todo ano e não tem como ensaiar duas vezes na semana. A Mangueira é um bom exemplo disso: suas alas estavam lotadas de estrangeiros – e isso impacta diretamente em quesitos.

24) Harmonia e Evolução, os dois quesitos onde tive participação indireta, obtiveram 59,9 pontos válidos em 60 possíveis. Missão cumprida. Eu estava tão concentrado que o tripé que viria atrás da ala que fiz Harmonia não desfilou devido a um problema e só hoje que fui reparar nisso…

25) A Beija Flor foi muito vaiada durante seu esquenta pelos Setores 2 e 3, por cantar a música tema da Rede Globo de Televisão – e não pelo ritual do diretor Laíla, como noticiado por veículos do grupo. Pelo menos do Setor 2, onde eu estava, não dava para ver o tal ritual. Antes que o leitor me pergunte, me abstive de acompanhar os apupos. Segundo jornalista amigo meu me contou depois, o Setor 1, esse sim, vaiou o ritual.

20140302_15203426) Pelo menos em termos de acessos a cobertura especial do Carnaval parece ter agradado aos leitores. O número de acessos únicos e page views mais que dobrou, em média. O artigo que escrevi no último sábado no jornal Folha de São Paulo também agradou – a ponto de pessoas da Liesa terem ido à minha frisa no sábado me cumprimentar e elogiar o artigo.

(Fotos, pela ordem: eu no desfile da Cubango, com o também conselheiro Sávio Araújo e as respectivas esposas, ala de baianas da Cubango, Renascer de Jacarepaguá – em foto do amigo Rodrigo Mattar, posto de gasolina da Unidos da Tijuca, carros da Mocidade e da Santa Cruz, componente do Império Serrano, início da sexta feira de carnaval e o distintivo que usei em meu terno de diretoria – que, aliás, perdi na Dispersão…)

9 Replies to “Algumas Pílulas sobre o Carnaval”

  1. O jurado que deu 9,6 para “Os Sertões” e tirou um décimo do samba da Cubango é o mesmo. Celso Chagas. Só deu 10 para Viradouro, Porto da Pedra e Caprichosos (?!?) e igualou o samba do Em Cima da Hora a coisas tenebrosas como os sambas da Rocinha e da Acadêmicos de Santa Cruz.

  2. 18) Este ano não desfilei no Império Serrano, mas a inação da Direção de Harmonia deu raiva. Chegou um momento que me deu vontade de pular para a pista para tentar ajudar. A escola precisa de um movimento como o que se levou a termo na Portela. Uma espécie de “Império Verdade”. Outra coisa é que até camisa com estampa ao contrário foi para a avenida (foto);

    Coisas de oposição ??? Ano de eleição, em uma escola que o Carnavalesco definiu muito bem “O Império Serrano gosta mais de eleição do que de samba”.

    Lamentável o Império Serrano !!! Sinto o Império mais próximo da Intendente do que do especial.

    7) O carnaval carioca precisa de desfiles à luz do dia. O Grupo Especial nas duas noites terminou por volta de 05:30 da manhã, o que comportaria perfeitamente mais uma agremiação. Por outro lado, é inviável se iniciar um desfile às 21 horas de sexta feira com todo o trânsito de saída do Rio ocorrendo; o ideal seria iniciar às 22 horas ou até mais tarde um pouco. Vale lembrar que a Cubango só desfilou com o dia claro devido ao atraso de cerca de 40 minutos provocado pela quebra da alegoria da Alegria da Zona Sul e pela demora no início do desfile.

    Adoro os desfiles de dia e lamento a fotofobia da LIESA e da LESGA. Acho que é fundamental agora !! A cidade do Samba foi construída para 14 escolas. A Inocentes não voltou para seu antigo espaço porque estava ocupado por outras escolas do acesso. Mas leva uma vantagem indevida. Já que é capaz do Império da Tijucanão conseguir voltar nesse contexto de obras na perimetral, que sejam 14 escolas e que na prática, haja um critério pra essa ocupação.

    1) Não irei comentar resultados por motivos óbvios, mas impossível não registrar que o rebaixamento do Império da Tijuca foi bastante injusto, ainda mais se pensarmos o caminhão de pontos que ela ficou atrás da São Clemente. E nem cito aqui as notas de quesitos plásticos e de Enredo da Vila Isabel…

    O Clube do especial me parece fechado. A Viradouro pode acbar ficando pq não tem escola em niterói e talvez tenha um poderio que faça os donos da festa acharem ela mais interessante do que São Clemente. Acho que isso é mais importante do que abrir ou não domingo. Sobe alguem que é mais “interessante” de figurar no GE do que alguém que está lá, a coisa acontece.

    Mas daria mais credibilidade ao processo 14 escolas, sobem duas, caem duas, para pelo menos dar a possibilidade da campeã do acesso lutr para ficar no GE

  3. Senhores, gostaria de opinar um pouco:
    1 – Sou de SP e assisti aos desfiles pela TV. Que saudade das transmissões da Manchete, do esquenta da concentração e dos comentaristas que entendiam de samba…
    2 – Desde o início dos anos 80 a TV (especialmente a Globo) tem tentado reduzir os horários dos desfiles para encaixá-los em sua “programação normal”. Imaginem que assisti o desfile na Mocidade pela Internet enquanto passava na TV o Big Brother. Pode? Todo mundo sabe as datas dos futuros carnavais, por que então não reservar um espaço adequando para a transmissão?
    3 – Em vários momentos nos desfiles de SP, desliguei o som da TV e ouvi pelo rádio. Fica a pergunta: por que não colocam gente que entende do riscado?
    4 – O que será que está acontecendo com o quesito comissão de frente? Desde quando box de Formula 1, canhão de homem bala, caixas de madeira, tubulações metálicas, etc, fazem parte do quesito? Em alguns momentos o casal da BF estava na frente da comissão …
    5 – Por fim, acho que o modelo das alegorias da Tijuca já está saturando. É teatro ou samba? Componente “travado” ou “preso” no carro em vez de destaques sambando vale mais? E a pista? Tem outras coisas, depois escrevo …

    1. Perfeito comentário!

      Esse modelo baseado em coreografias e passo marcado o tempo inteiro destoa completamente da ideia de uma escola de SAMBA. Tudo bem que Paulo Barros teve o mérito de trazer novidades e inovações, o que deve ser sempre bem-vindo, mas quando a coisa começa a desvirtuar o próprio sentido de um desfile, aí já é demais.

      E essas comissões de frente que vêm com um almoxarifado a reboque também não me agradam.

      1. Josué, ouvi os desfiles de SP na BandNews, e os do Rio na Tupi, com a Tv em volume baixo. E outra, o grupo de SP tava horrível neste ano, ninguém calava a boca e parecia que o som ambiente estava mais baixo que o cabine, fora os comentários genéricos. No Rio, ainda havia uma análise mais bem feita por parte de Milton Cunha. Fora que Fátima Bernardes não perdeu o timing que tinha nos anos 90.

        1. Gustavo, é isso mesmo. Aconteceu a mesma coisa em 2012 com a Band na transmissão do festival de Parintins: os “comentaristas” não paravam de falar e o telespectador não conseguia nem ouvir as toadas no bumbódromo. Esse ano aconteceu a mesma coisa no Anhembi: um bando de gente que não parava de falar e do que falavam pouca coisa se aproveitava. Tanto no caso da Band como no da Globo a resposta é fácil: falta de competência e de conhecimento do assunto em questão, então o jeito é enrolar (e irritar) o telespectador.

  4. Excepcional texto, Pedro!!! Aliás, teu site está de parabéns!!! Assim como o Sambario, são dois sites OBRIGATÓRIOS para quem quer ler opiniões certeiras e bons textos sobre o assunto.

    Aliás, tais textos viraram minhas referência na forma de escrever!!

Comments are closed.