alongamento

Nesta segunda, a coluna “Desenferrujando & Consertando”, da fisioterapeuta Daniela Souto, aborda a tendinite de punho como tema. Aproveito para informar que, a pedido da colunista, ela deixa de fazer parte da equipe de colunistas do Ouro de Tolo a partir de hoje. Agradeço a colaboração e lamento a descontinuidade da coluna.

Tendinite de Punho

O tema de hoje – e o último da minha participação no Ouro de Tolo – é sobre Tendinite de Punho.

É um mal que acomete, muito, as pessoas que trabalham com computador e com movimentos repetidos (é o que computador provoca!). Entender o que é essa patolgia, como ela age, como pode se evitar e o tratamento facilita a vida de possíveis “vítimas”.

A tendinite nada mais é do que a inflamação dos tendões que realizam o movimento do punho e dos dedos. Os tendões localizados na região posterior do punho passam, cada um, por um trajeto estreito, que lhes confere precisão nos movimentos. Na parte palmar, os tendões flexores dos dedos passam todos em um túnel comum, o túnel do carpo (já ouviu falar de tendinite do túnel do carpo?). É o tipo de tendinite mais comum nessa região. Esses trajetos são chamados de túneis e são preenchidos por uma camada fina de lubrificante, o líquido sinovial, responsável pelo deslizamento dos tendões. Quando existe inflamação também nos túneis, temos as tenossinovites.

Os fatores que podem gerar essa lesão são:

– sobrecarga no esporte (tenistas, por exemplo, sofrem as vezes com dores no punho quando jogam muito);

– erros na hora de escrever no computador (como digitar sem apoiar o cotovelo, por exemplo);

– doenças reumáticas (alguns tipos de reumatismos podem predispor ao aparecimento da lesão);

– sobrecarga no trabalho braçal (isso ocorre muito em metalúrgicos, costureira, entre outras profissões onde o uso das mãos em movimentos repetitivos é necessário);

– estados de depressão e ansiedade (são dois fatores muito importantes, que geralmente vêm associados nas formas crônicas da lesão);

O principal sintoma dessa tendinite é a dor na região do punho, principalmente ao movimento. Logo, ficar em repouso melhorá essa dor, mas não fará com que ela desapareça, infelizmente. Há a possibilidade de ter aumento do volume do punho, o inchaço, devido ao acúmulo de líquido nas tenossinovites.

Geralmente o diagnóstico é feito quando o médico examina o paciente e identifica a dor no trajeto dos tendões. A confirmação do diagnóstico é feita com exames de imagem, como a ultrassonografia e a ressonância magnética, nos quais são diagnosticados os desgastes do tendão. Alguns testes também podem diagnosticar esse tipo de tendinite, mas, sem dúvida, a história do paciente é importante para se entender da onde vem a dor e como ela foi adquirida. É o ponto inicial para o tratamento bem sucedido.

Quando essa tendinite de punho é causada por trauma ou por esforço repetitivo e incorreto, a Fisioterapia é focada na retirada da causa da inflamação. O uso de medicamentos se faz necessários em processos traumáticos e doenças reumatológicas, além da fisioterapia. Nesses casos, a fisioterapia tem como tratamento, além de orientações como o máximo de repouso possível na articulação, medidas de analgesia, alongamentos especificos e fortalecimento da musculatura envolvida. Medidas para melhora da ergonomia, proteção articular e paradas esporádicas durante o horário de trabalho também são boas para fazer alongamentos e relaxar um pouco: afinal, nada como ter os tendões e músculos bem alongados para evitar as dores no punho.

Alguns alongamentos para se fazer na mesa de trabalho para evitar a tendinite:

87_frat_escafoide_1

Uma das principais formas de prevenção para evitar a tendinite de punho é ter a consciencia que a tensão exagerada em musculatura (e articulação) da região envolvida é um fator causal. Muitos profissionais, e eu me incluo nessa, acreditam que um problema articular pode começar em outra articulação próxima à lesada. Portanto, além de alongamentos da região de punho, eu indico a introdução de alongamentos em regiões próximas, como cotovelo e ombro. O alinhamento articular correto de regiões próximas traz um conforto maior para o movimento e acabam adiando um possível problema.

Evite que a tendinite de punho chegue num grau incapacitante, de não conseguir se realizar movimentos, carregar peso. Teve dor, está com dificuldade de movimento? Procure um profissional para orientação, para um tratamento pois quanto mais cedo você agir nesse caso, mais rápido ficará curado.

2 Replies to “Desenferrujando & Consertando: “Tendinite de Punho””

  1. Associado a linfo edema MMII, em fase de resolução (cura), temporariamente sinto fisgadas pontiagudas que partem do peito do pé (parte superior) passando pela curvatura, entre pé e perna, subindo até inicio da canela abrangendo também parte lateral exterior (do pé esquerdo) seguido, posteriormente de inchaço. Veja que interessante: na copa da França, que eu assisti sozinho em minha casa os primeiros jogos surgiram as primeiras fisgadas que também nos dar sensação de dormência e/ou de inchaço, após assistir cada jogo pela Tv, o problema se acentuava paulatinamente, quando terminou a copa no dia posterior, me acordei com o pé inchado e quase que imóvel. A copa me causou tensão, ansiedade e mito sofrimento “contido” pela solidão e pela imobilidade (cadeira/Tv). Deve ter havido ataque de alguma enzima não desejada na região MIE: não houve esforços repetitivos nem sobrecargas mecânicas, minha taxa de ácido úrico deu normal, sempre que tenho contrariedades ou sertãs emoções contidas esse problema se repete, nessa última etapa estou sofrendo esse mal desde o início de 2013, é extremamente sacal. Não estou clinicando causas estou apenas lhes narrando as reais ocorrências. Agradeço o interesse e mais ainda a possível orientação ou encaminhamento ao caminho da cura: preciso necessariamente de um médico? E que especialidade?

Comments are closed.