Obs: para uma explicação do procedimento das prévias americanas e de alguns termos técnicos usados nesta coluna, leia a coluna explicativa

Nesta terça, ocorreu a primária do estado de New Hampshire, tradicionalmente sempre a primeira primária (em Iowa é via caucus) e os resultados não poderiam ser mais caóticos.

Inicialmente, é importante ressaltar que, demograficamente, este estado é quase uma cópia de Iowa: mais de 95% da população é branca e a quantidade de latinos e negros é desprezível. Porém, ultimamente o eleitorado democrata do estado estava se notabilizando pela crescente acentuação liberal/progressista. Aqui já tivemos a primeira surpresa da noite: pela pesquisa de boca de urna, todo um exército de eleitores moderados resolveu voltar a dar o ar de sua graça e os moderados representaram um terço do eleitorado, um salto de 7% em relação às últimas primárias no estado. Já a quantidade de liberais/progressistas reduziu de 26% para 20%.

Isso foi uma péssima notícia para os candidatos que representam a linha progressista: Sanders e Warren. Não obstante, Sanders ainda sim confirmou o favoritismo e ganhou a eleição com 26% dos votos, um pouco menos do que os 28-30% esperados.

Então, para onde foram os votos dos moderados? Ficaram quase exatamente divididos entre dois outros candidatos, ambos com mais de 20%. Não fosse essa divisão quase ao meio, Sanders fatalmente perderia a prévia para um deles, já que na soma os candidatos moderados conseguiram mais de 50% dos votos. O melhor deles foi Pete Buttigieg, que embalado pela vitória inesperada em Iowa na semana passada, ganhou muitos votos de ultima hora em New Hampshire e terminou na 2ª posição com 24,5% dos votos, ou seja, colado a Sanders.

Porém, outra coisa que contribuiu para aumentar o caos foi a 2ª candidata que dividiu os votos moderados: foi a senadora Amy Klobuchar e não o então favorito nacional Joe Biden. Ainda segundo as pesquisas de boca de urna, Klobuchar ganhou a maior parte dos votos daqueles que se decidiram nos últimos dias, graças a uma forte performance em um debate realizado no fim de semana na própria New Hampshire.

Com esse impulso final ela dobrou a porcentagem que as pesquisas lhe davam, de 10% para 20%. Além de ficar em 3°, com tal porcentagem ela ficou bem mais próxima dos dois primeiros do que da 4ª colocada, Elisabeth Warren.

Warren foi a grande decepção da noite. Com míseros 9%, ela ficou bem abaixo do patamar mínimo de 15% para conquistar delegados. Uma péssima performance em um dos estados mais promissores para ela, tanto pelo perfil demográfico apresentado outrora, como pelo fato do estado ser vizinho ao seu próprio, Massachusetts. Warren veio de um resultado apenas mediano em Iowa e um péssimo resultado em NH, tendo pela frente Nevada e South Carolina, onde ela deve sofrer ainda mais. Tudo isso enquanto seu colega de linha liberal cada vez mais assume o protagonismo da parte do partido mais progressista. Péssima conjectura para ela.

Já o ex-Vice Presidente Joe Biden, como esperado, sofreu com a falta do eleitorado negro no estado. Porém o 5º lugar com meros 8% foi ainda pior do que o esperado, mesmo nos piores prognósticos. Cada vez mais a trajetória de Biden lembra a de Jeb Bush há 4 anos nas prévias republicanas. Bush desistiu logo após a prévia de South Carolina. Se Biden não ganhar lá daqui a 2 semanas, pode seguir o mesmo caminho.

Por fim, o bilionário Michael Bloomberg ainda continua fora das disputas iniciais por conta de sua tardia candidatura, porém continua a crescer nas pesquisas nacionais e em vários estados que votam na Super Terça do dia 3 e já conta com 10% em vários deles.

Nos últimos 20 anos, é a 1º vez que ao fim de Iowa e New Hampshire o cenário de uma disputa de prévia fica ainda mais caótico do que antes. Normalmente essas duas disputas inicias já enxugam a quantidade de candidatos e seleciona 2 ou 3 candidatos mais fortes que continuarão na disputa. Dessa vez, não só não diminuiu, como candidatos que estavam em posições piores assumiram o protagonismo, aumentando a intensidade da disputa. A situação está tão complicada que o famoso site FiveThirtyEight já calcula em 33% a chance de nenhum dos candidatos conseguir a maioria dos delegados.

Por falar em delegados, na matemática final de New Hampshire, Sanders e Buttigieg ficaram 9 delegados cada e Klobuchar com os 6 restantes.

Contagem parcial de delegados comprometidos*

Buttigieg – 23 delegados
Sanders – 21 delegados
Warren – 8 delegados
Klobuchar -7 delegados
Biden – 6 delegados

Número mágico: 1.990 delegados

* Fonte: The Green Papers

Próximas Prévias

22/fev – Nevada (36 delegados)
29/fev – South Carolina (54 delegados)
02/mar – Super-Terça (14 estados e 1 território, 1277 delegados no total)

Após dois estados totalmente brancos, os próximos estados finalmente darão uma pitada de diversidade na disputa: Nevada com sua grande população latina de Las Vegas fará seu caucus semana que vem e South Carolina finalmente trará os primeiros votos contundentes do eleitorado negro, que representa em torno de 20% dos votos democratas nacionalmente.

Por enquanto, Biden ainda pode culpar a demografia dos pequenos estados de Iowa e New Hampshire pelos seus resultados, já que realmente ambos não representam a coalizão social na qual sua candidatura é calcada. Porém ele terá que enfrentar mais 11 dias de cobertura de mídia negativa reverberando seus resultados até aqui antes de chegar a Nevada e South Carolina.

Ainda acredito que ele fará um bom resultado em Nevada, com uma quantidade razoável de votos que lhe renderá o 2° ou 3° lugar, e irá ganhar com folga South Carolina. O eleitorado negro é a parte mais conservadora do partido Democrata e a única que ainda tem uma base religiosa forte, evangélica em sua maioria. Por isso, Buttigieg, homossexual casado, tem dificuldade de conquistar votos nele. Também há uma rejeição de longa data ao nome de Klobuchar. Logo, só sobrou Biden. Caso ele não ganhe South Carolina, não sei mais onde ele poderia buscar desempenho.

Como os mais atentos já devem ter reparado, os cáucuses de Nevada estão marcados para o sábado de carnaval e a primária de South Carolina para o sábado das campeãs. Por isso, apenas um resumo do resultado de ambas será divulgado na segunda, dia 1°. Será apenas um resumo, pois todas as atenções já estarão voltadas para o dia seguinte, o 1° grande dia decisivo da disputa: a Super-terça do dia 3. Quem não sair da Super-terça com uma quantidade considerável de delegados poderá dar adeus às chances de chegar aos 1990 delegados necessários.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.