O melhor jogador do mundo da história do futebol da última semana é o Messi.

Geralmente o argentino é eleito nas segundas feiras quando o Barcelona vence um Resende da vida pelo campeonato Espanhol e o jogador marca três gols ou um gol de placa. Existe uma divisão atual sobre quem é o melhor jogador de futebol da história. No início das semanas costuma ser o Messi por causa do espanhol, perto do fim das semanas o Cristiano Ronaldo por causa da UCL, detalhe, a partir das oitavas de final porque na primeira fase ele descansa. Em época de copa do mundo a discussão some assim como o futebol dos dois.

Vem sendo assim nos últimos anos. Messizetes e Ronaldetes se dividem em facções como eram os fãs de Emilinha Borba e Marlene nos anos 40 e 50. E evidente que esses jovens de 16, 17 anos acham que seu ídolo é o maior jogador da história mesmo não tendo idade suficiente para ter visto Zidane dar uma cabeçada em final de copa do mundo. O jovem é assim, ele acha que o mundo começou em seu nascimento.

Alguns jornalistas um pouco mais velhos também são assim dependendo do veículo de comunicação no qual trabalham, se tal jogador tem seus jogos transmitidos por eles, ou mesmo pela necessidade de fazer parte da história nem que seja como figurante. Por outro lado tem a galera mais velha que é saudosista por natureza e acha que tudo em seu tempo é melhor e nada de agora presta. Acho que nem um nem outro.

CR7 e Messi jogam pra cacete e isso deve ser repeitado. Federer, Nadal e Dkjokovic estão entre os melhores da história assim como Lebron James, Bolt é o melhor de todos os tempos na corrida assim como Phelps na natação, enfim, grandes nomes, mas algumas coisas tem que ser consideradas.

Assim como existe a impressão que alguns esportes eram mais “fáceis” antigamente, que o nível de exigência, principalmente o físico, colocou o esporte em outro patamar não podemos tirar os méritos dos mais antigos que conseguiram ser grandes mesmo enfrentando materiais esportivos ruins e sem tanto auxílio tecnológico. Dizem que os zagueiros antigos eram ruins por isso craques sobressaíam, mas em compensação eles não tinham a preparação física de hoje, chuteiras moldadas para seus pés, nutricionistas e outros benefícios de hoje em dia. Fraturas podiam acabar com uma carreira, hoje podem ser curadas em menos de um mês.

Lebron James e Tom Brady são sensacionais, mas representam esportes que hoje estão todos os dias na tv e até o fim dos anos 80 mal sabíamos que existiam. Superbowl começou a passar no começo dos anos 90 na Manchete assim como a NBA na Band. É justo equipararmos esportistas de diferentes épocas quando hoje é muito mais fácil acompanhar? Quantos gênios deixamos de ver por não existir transmissão? Hoje tem mais jogos do Barcelona que do Flamengo na TV, mas até o fim dos anos 80 só tinha o italiano na Band.

Não dá pra confiar no velho ranzinza nem no jovem eufórico. O velho fica preso na saudade, o jovem quer avaliar aquilo que não viu. Eu cresci com todo mundo dizendo que Pelé foi o maior de todos os tempos, quem ainda está vivo e viu Pelé jogar também diz isso, com o tempo essas pessoas morrerão, Pelé morrerá e ele deixará de ser o maior da história. Sim isso é cruel, mas a vida é assim, a história é contada pelo presente.

Os atuais são maravilhosos, mas Pelé, Garrincha, Didi, Puskas, Cruyff, Beckembauer, Eusébio, Zizinho, Leônidas, Ali, Tyson, Lewis, Bubka, Joe Montana, Jordan, Byrd, Magic, Agassi, Sampras, McEnroe e tantos outros também eram. É essa velha mania humana da competição, de escolher um melhor em vez de desfrutar o que vive.

O melhor da última semana é isso, apenas o melhor da última semana.

Que fique registrado na história.

Twitter – @aloisiovillar

Instagram – @aloisiovillar

Facebook – Aloisio Villar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.