Estamos a pouquíssimos dias do desfile das escolas de samba de São Paulo, dessa forma as expectativas estão afloradas para curtirmos as 14 escolas do grupo Especial e as 8 do Grupo de Acesso.

Na terça feira (5), descobriremos quem serão as grandes campeãs na apuração.

Faço deste artigo um simplificador do “Manual do Julgador”, explicando o que, na prática, pode tirar décimos cruciais das agremiações em cada quesito.

As mudanças no regulamento que mais chamam atenção em relação a 2018: 

  • As notas serão atribuídas pelos jurados de 9,0 a 10,0, com variações a cada 0,1 ( até 2018 era de 8,0 a 10,0).
  • Caso duas ou mais escolas empatem em quaisquer colocação, todas as notas descartadas das mesmas voltam a ser válidas e quem somar a maior pontuação termina na frente.

Confira como é julgado cada quesito (segundo o Manual de Julgador oficial):

Comissão de Frente

O que é julgado? 

Fundamento (saudar o público, sincronismo e estar junto a escola), plástica artística (integração do visual com o teatro e a dança, além da limpeza dos movimentos artísticos) e acabamento (se o figurino é o mesmo da pasta apresentada e se as fantasias e elementos estão em perfeita integridade).

Que infrações tiram ponto?

Leves (0,1) – Não saudar o público, desgarrar do restante da escola, 1 ou 2 erros artísticos ou de 1 a 3 falhas de acabamento (roupa rasgada, chapéu rasgado, costeiro danificado ou elemento danificado)

Médias (0,2) – 3 a 4 erros artísticos, de 4 a 6 falhas de acabamento (roupa rasgada, chapéu rasgado, costeiro danificado ou elemento danificado), diferença entre figurino e elementos cenográficos ou telão de LED apagado total ou parcialmente.

Graves (0,3) – Duas ou mais falhas de fundamentos, 5 ou 6 erros artísticos, 7 ou mais falhas de acabamento (roupa rasgada, chapéu rasgado, costeiro danificado ou elemento danificado) ou letreiro caído ou quebrado.

Gravíssimas (0,4) – 7 ou mais erros artísticos ou estrutura do elemento cenográfico quebrada.

Evolução

O que é julgado? 

Componentes da escola, exceto comissão de frente, primeiro casal de Mestre Sala e Porta Bandeira, bateria, corte da bateria, baianas, diretoria, time de canto, convidados, crianças e desfilantes com deficiência.

Os critérios de julgamento são expressão corporal (animação), variação de velocidade, invasão de alas, buraco entre as alas, efeito santona (inconstâncias de andamento dentro de uma ala) e choque entre alegoria e componente.

Que infrações tiram ponto?

Leves (0,1) – De 5 a 10 pessoas que não demonstrem animação, 1 ou 2 variações de velocidade, uma ou mais invasões de alas, se um ou mais, componentes encostarem em uma alegoria, de 1 a 2 espaços inconstantes ou anti-naturais entre as alas, além de até 3 inconstâncias de andamento dentro de uma ala.

Médias (0,2) – 10 ou mais pessoas que não demonstrem animação, 3 ou mais variações de velocidade, 3 ou mais espaços inconstantes ou anti-naturais entre as alas, além de 4 ou mais inconstâncias de andamento dentro de uma ala.

Mestre-Sala e Porta-Bandeira

O que é julgado? 

Entrosamento (movimentos obrigatórios, que o casal não se toque nem que o MS toque o pavilhão e leveza no bailado), Postura do Casal (pavilhão desfraldado, MS não tocar o joelho no chão nem realizar movimentos fora da direção da PB e o casal manter-se em pé) e Integridade da Fantasia (tecidos, adereços, sapados e chapéus)

Que infrações tiram ponto?

Leves (0,1) – Pavilhão enrolar de 1 ou 2 vezes, 1 ou 2 falhas de postura ou 1 a 3 falhas de fantasias.

Médias (0,2) – Pavilhão enrolar de 3 a 4 vezes, 3 ou 4 falhas de postura, 4 a 6 falhas de fantasias, pavilhão não desfraldar nos giros, toque busco entre o casal, PB se curvar a alguém ou MS dançar fora da direção da PB

Graves (0,3) – Pavilhão enrolar 5 vezes ou mais, 5 ou 6 erros de postura, 7 ou mais falhas na fantasia, MS tocar o joelho no chão ou MS ficar deliberadamente de costas para a PB.

Gravíssimas (0,4) – Choque corporal do casal ou um dos dois cair durante a apresentação.

Bateria

O que é julgado? 

Sustentação, entrosamento, afinação, equilíbrio instrumental e precisão rítmica.

Que infrações tiram ponto?

Leves (0,1) – De 4 a 6 BPM de variação na sustentação, 1 ou 2 falhas de entrosamento, desequilíbrio instrumental, falha de precisão em um naipe ou falha na consonância harmônica.

Médias (0,2) –  De 7 ou mais BPM de variação na sustentação, de 3 a 4 falhas de entrosamento ou  falha de precisão em dois naipes.

Graves (0,3) – 5 ou mais falhas de entrosamento ou  falha de precisão em três naipes.

Harmonia

O que é julgado? 

São julgadas as alas da escola, exceto Comissão de Frente, Casais de Mestre-Sala e Porta-Bandeira e seus guardiões, Bateria e sua corte, Diretoria, Velha Guarda, Crianças, Baianas, pessoas com deficiência, Componentes de Alegoria, Destaques de chão e Ala de convidados.

Os critérios de julgamento são entrosamento do canto com o ritmo da bateria e a clareza da audição em cada ala em todos os trechos do samba.

Que infrações tiram ponto?

Leves (0,1) – Falha de entrosamento ou clareza em 1 ou 2 alas.

Médias (0,2) – Falha de entrosamento ou clareza em 3 ou 4 alas.

Graves (0,3) – Falha de entrosamento ou clareza em 5 ou 6 alas.

Gravíssimas (0,4) – Falha de entrosamento ou clareza em 7 ou 8 alas.

Obs: A cada duas alas com falhas é descontado 0,1 até 19 alas – caso de ser atribuída a nota mínima.

Samba de Enredo

O que é julgado? 

Fidelidade (letra dentro da proposta do enredo) e adequação (principais pontos do enredo constarem na letra), além de riqueza poética (entrosamento entre letra e melodia) e divisão melódica (letra dentro da métrica melódica).

Que infrações tiram ponto?

Leves (0,1) – Falha em um trecho do samba

Médias (0,2) – Falha em dois trechos do samba

Graves (0,3) – Falha em três ou mais trechos do samba

Enredo

O que é julgado? 

Roteiro (proposta sequencial do desfile), elementos diferentes (alas, pessoas, tripés ou alegorias não previstas na pasta)  e execução (se o que está na descrição da pasta está sendo executado plasticamente).

Que infrações tiram ponto?

Leves (0,1) – 1 inversão de ala ou elemento, 1 elemento diferente ou 1 falha de execução.

Médias (0,2) – 2 inversões de alas ou elementos, 1 ausência de ala ou elemento, 2 ou mais elementos diferentes, além de 2 falhas de execução.

Graves (0,3) – 3 ou mais inversões de alas ou elementos, 2 ou mais ausências de alas ou elementos, além de 3 ou mais falhas de execução.

Gravíssimas (0,4) – 4 ou mais falhas de execução

Fantasia

O que é julgado?

São julgadas as alas da escola, exceto Comissão de Frente, Casais de Mestre-Sala e Porta-Bandeira e seus guardiões,Mestre e Diretores da Bateria, Diretoria, Velha Guarda (julgados apenas na uniformidade), Chefes de Ala, pessoas com deficiência, Componentes de Alegoria, Destaques de chão e Ala de convidados (jugados apenas na uniformidade).

Os critérios de julgamento são Uniformidade (igualdade entre os componentes da própria ala), acabamento (problemas com tecidos e todos os demais adereços da fantasia e realização (presença fidedigna dos elementos apresentados na foto da pasta ou qualquer elemento estranho a mais)..

Que infrações tiram ponto?

Leves (0,1) – De 5 a 10 falhas de componentes na uniformidade, de 5 a 10 falhas de componentes em acabamento e 1 ou 2 falhas de realização.

Médias (0,2) – De 11 a 19 falhas de componentes na uniformidade, de 11 a 19 falhas de componentes em acabamento e 3 ou 4 falhas de realização.

Graves (0,3) – 20 ou mais falhas de componentes na uniformidade, 20 ou mais falhas de componentes em acabamento e 5 ou 6 falhas de realização.

Gravíssimas (0,4) – 7 ou mais falhas de realização.

Alegoria 

O que é julgado? 

Execução (apresentar na íntegra a ideia proposta na pasta), Elementos diferentes (qualquer elemento cenográfico, humano ou objeto ausente ou não descrito na pasta) ou acabamento (falhas de pintura, ferragens expostas, esculturas danificadas, falhas de iluminação e fantasias dos componentes das mesmas.

Que infrações tiram ponto?

Leves (0,1) – 1 problema em execução, 1 ou 3 elementos diferentes ou de 3 a 6 falhas de acabamento.

Médias (0,2) – 2 ou mais problemas de execução, 4 ou mais elementos diferentes ou de 7 a 10 falhas de acabamento.

Graves (0,3) – De 11 a 15 falhas de acabamento ou ferragens expostas em grandes proporções.

Gravíssimas (0,4) – De 16 a 20 falhas de acabamento, parte significativa de uma escultura quebrada ou tela de LED total ou parcialmente apagada.

Imagens: Divulgação/Liga SP

 

4 Replies to “Entenda o Manual do Julgador de São Paulo”

  1. Interessante. A proposta de você materializar o erro em cada quesito, embora possa ser rigorosa, eu acho válido, afim de não acontecer o que acontece no RJ, por exemplo: o mesmo erro tem peso diferente por escola. O problema é que, além de vc tirar do julgador a possibilidade dele avaliar o espetáculo pelos acertos, na prática o carnaval de SP se tornou uma chuva de nota dez, vide 2018. Eu não me surpreenderia se em 2019 o título fosse dividido por escolas com dez em todos os quesitos. Na minha opinião, ou se deixa um espaço para o julgador avaliar a concepção do desfile, que sempre será subjetiva e necessita de um júri qualificado, ou deixa os critérios ainda mais rigorosos (não sei se seria possível), uma vez que com os atuais parâmetros, as escolas – por meio de ensaios exaustivos – já atingiram a excelência.

    1. Tendo a concordar sobre o excessivo rigor. Como escrevi aqui mesmo em 2012, este poderia ser uma “nota de partida” e, a partir daí, avaliar pelos acertos.

      1. Seria algo assim?
        Nota base: 9,5 (nessa nota seriam aplicadas as penalidades)
        Nota para concepção: 0,5 (seria a nota subjetiva que teria de ser justificada pelo julgador)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.