Categorizado | Rumo a Tóquio

Começa a contagem regressiva para Tóquio 2020! (parte 2)

This photo shows the new National Stadium under construction at Shinjuku Ward, Tokyo on Jan. 4, 2018. 2020 Tokyo Olympics and Paralympics will be held the first Olympic Games in 56 years since 1964. ( The Yomiuri Shimbun via AP Images )

Conforme prometi no primeiro texto, vou detalhar abaixo quais serão as participações dos brasileiros da delegação por dia de competições nos Jogos Olímpicos de Tóquio, em 2020.

Em negrito estão as sessões que devem ter a maior procura, em seguida serão listadas as modalidades cujas sessões não são tão procuradas, mas que dá pra encaixar no roteiro sem confrontar horário com as mais importantes, e com asterisco serão as modalidades que serão disputadas em locais distantes, fora do eixo de 8km:

Dia 22/7
Dia de estreia do futebol feminino, nossa seleção já está classificada e poderá jogar em Tóquio ou não. Por ser a única sessão do dia com brasileiros, vale a pena conhecer alguma outra cidade japonesa, se o jogo não for em Tóquio.

Dia 23/7
Estreia do futebol masculino, o Brasil (que ainda não garantiu a vaga), pode jogar em Tóquio ou não, da mesma forma que o time feminino.

Dia 24/7
Cerimônia de abertura à noite (horário não informado).
Será possível assistir também: remo, tiro com arco (ambos ocorrerão pela manhã, talvez só o remo disponibilize ingressos para venda)

Dia 25/7
Tiro esportivo* (8h30-16h30): se seguir o calendário de 2016, será a final do brasileiro Felipe Wu
Será possível assistir (todas no horário do fim de tarde e noite): polo aquático, badminton, softbol*, basquete 3×3, ginástica artística (qualificatórias), handebol, hóquei, tênis de mesa, taekwondo, vôlei e vôlei de praia

Dia 26/7
Skate Street Masculino (9h-14h): Brasil favorito a medalha
Judô (17h-19h30): finais da Érica Miranda
Será possível assistir:
– entre as duas sessões importantes: Basquete 3×3
– após o judô: basquete 3×3, ginástica artística (qualificatória), tênis de mesa, vôlei, vôlei de praia, levantamento de peso

Dia 27/7
O primeiro confronto de horários: sendo a natação disputada pela manhã, este provavelmente será o dia da final dos 4x100m livre, em horário semelhante ao do skate, onde o Brasil é favorito à medalha
Natação (manhã): provável final dos 50m livre masculino
Skate Street Feminino (9h-14h)
Mountain Bike* (14h-16h): prova do brasileiro Henrique Avancini, só valerá a pena ir se não conseguir ingressos de outras sessões e o brasileiro estiver na melhor fase, pois o local fica a 130km de Tóquio
Judô (17h-19h): finais da Rafaela Silva
Será possível assistir:
– Se não for assistir o mountain bike: basquete 3×3 entre o skate e o judô
– Após o judô: basquete 3×3, tênis de mesa, vôlei, vôlei de praia, levantamento de peso

Dia 28/7
Canoagem Slalom feminina (14h-16h55): não foi explicado se será a prova de canoa ou caiaque. As chances da Ana Sátila são muito grandes na canoa, vamos esperar mais detalhes, mas deixo como sessão importante, com chance de medalha
Taekwondo* (19h-22h40): sessão do peso pesado masculino, no qual o brasil conquistou bronze em 2016. Se o Maicon mantiver o bom nível, vale a pena ir; se não, haverá a primeira final da ginástica artística no mesmo horário.
Ginástica artística (18h45-21h): equipes femininas
Será possível assistir (todas antes da canoagem): natação (finais), polo aquático, tiro com arco, handebol, hóquei, remo, tênis de mesa, triatlo feminino, vôlei, vôlei de praia

Dia 29/7
Surf *(8h-13h): a grande final do surf, no masculino e no feminino. Distante de Tóquio, mas é grande chance de pódio
Será possível assistir (todas após o surf): polo aquático, tiro com arco, badminton*, basquete 3×3 (finais), basquete*, boxe, hipismo adestramento*, esgrima*, futebol*, ginástica artística (finais), handebol, hóquei, judô, rugby (final masculina), tênis de mesa, tênis, vôlei, vôlei de praia, levantamento de peso

Dia 30/7
Natação (manhã): provável final dos 100m masculino
Canoagem Slalom femino (14h-16h40): vamos aguardar se essa será a prova de canoa ou de caiaque; se for de caiaque, as chances de medalha são menores, pode ser melhor outra sessão
Judô (17h-19h): final da Mayra Aguiar, favorita ao ouro após a aposentadoria da americana
Será possível assistir (todas após o judô): basquete*, handebol, tênis de mesa, vôlei, vôlei de praia

Dia 31/7
Dia em que teremos mais um choque de horários importante: finais dos pesos pesados do judô, em que Brasil ganha medalhas desde 2012, e a primeira sessão de finais do tênis
Marcha atlética (7h-9h): prova de 20km masculina, Caio Bonfim disputa medalha
Tênis (12h-20h): primeira sessão de finais
Judô (17h-19h30): Rafael Silva ou David Moura devem brigar por medalha
Será possível assistir:
– Se for assistir ao tênis: nenhuma sessão a mais (a não ser que chegue bem atrasado)
– Se for assistir ao judô:
– entre marcha e judô: tiro com arco, boxe, BMX cross (finais), ginástica de trampolim, handebol, hóquei, rugby*, basquete*
– após judô: tênis de mesa, basquete*, vôlei, vôlei de praia

Dia 1º/8
Haverá o mesmo choque de horários, entre judô e tênis
Natação (manhã): provavelmente, final dos 4x100m livre, Brasil com chances de medalha
Tênis (12h-20h): segunda sessão de finais
Judô (17h-19h): finais por equipes mistas
Será possível assistir:
– se for assistir ao tênis: nenhuma sessão a mais
– se for assistir ao judô:
– entre natação e judô: ginástica de trampolim, levantamento de peso
– após judô: basquete*, vôlei, vôlei de praia

Dia 2/8
Mais um choque de horários: última sessão do tênis, com as finais da ginástica, que provavelmente terá a final do solo masculino (Diego Hipólito e Artur Nori)
Tênis (12h-20h): terceira sessão de finais
Ginástica artística (17h-20h): possivelmente, final do solo masculino
Atletismo (19h-22h): sessão com a provável final dos 100m masculino, ver quem será o sucessor de Bolt
Será possível assistir:
– se for ao tênis (todas antes do tênis): maratona feminina, vôlei de praia
– se for à ginástica (todas antes da ginástica): beisebol*, basquete*, boxe, BMX freestyle, hipismo CCE*, golfe*, handebol, hóquei, tiro*, tênis de mesa, vôlei, vôlei de praia, levantamento de peso, luta

Dia 3/8
Ginástica artística (17h-19h15): possível final das argolas
Atletismo (19h-22h): de todas as estimativas que fiz com base nos jogos anteriores, essa é a mais incerta. Coloquei esse evento como importante supondo que, repetindo o cronograma do Rio, seja a prova do salto com vara masculino. Valerá a pena ir se o Thiago Braz estiver bem
Será possível assistir (todas antes da ginástica): badminton*, beisebol*, basquete*, canoagem Sprint, handebol, hóquei, tênis de mesa, vôlei, vôlei de praia, levantamento de peso, luta*

Dia 4/8
Canoagem Sprint (9h-13h10): provável final do C1-1000m, principal prova do Isaquias. Vale lembrar que o C1-200m, que ele ganhou bronze, foi excluído do programa dos jogos de 2020
Ginástica artística (17h-19h15): provavelmente alguma final da nova geração da ginástica feminina, com a Flávia Saraiva e Rebeca Andrade. Possivelmente solo e trave.
Será possível assistir:
– entre canoagem e ginástica: handebol
– após ginástica: basquete*, futebol*, handebol, vôlei, vôlei de praia, levantamento de peso

Dia 5/8
A partir desta data, todos os dias estão completos de eventos que podem valer medalhas para o Brasil, é praticamente impossível encaixar alguma sessão diferente.
Maratona aquática feminina (8h-11h): quem sabe, será o dia da Ana Marcela
Vela* (12h-18h): provável data da regata da medalha da 49eFx, prova da Martine e Kahena. Cuidado com o horário e deslocamento, as provas serão disputadas a cerca de 50km de Tóquio
Levantamento de peso (20h-22h): prova dos pesos pesados, com Fernando Reis, chance de medalha

Dia 6/8
Skate Park masculino (9h-14h): Brasil favorito ao ouro
Caratê (17h-21h15): serão três sessões com finais para caratê, e o Brasil vem com três chances de medalhas, principalmente Douglas Brose e Valéria Kumizaki. Colocarei as três sessões como importantes, mas quando sair o calendário final, pode ser que alguma destas não tenha finais importantes para o Brasil
Semifinal do vôlei masculino (21h-23h) ou semifinais do vôlei de praia (21h-22h50): duas sessões com grande importância para o Brasil no mesmo horário; o melhor é esperar, é possível que o Brasil dispute as semifinais nas sessões da manhã

Dia 7/8
Um dos dias com mais choques de horários:
Vôlei de praia (10h-12h50): final feminina
Futebol (11h-14h): final do futebol feminino, se caso consigamos chegar a final no futebol e no vôlei de praia, a escolha será difícil…
Semifinal vôlei feminino (13h-15h): chegando um pouco atrasado, mas consegue ver a maior parte do jogo
Caratê (17h-21h15): segundo dia de finais
Semifinal do vôlei feminino (21h-23h), ou disputa do bronze no futebol masculino* (20h-23h), ou Atletismo possivelmente com a disputa do 50m ou 200m masculino (20h-20h30)

Dia 8/8
Mais choques de horário importantes
Canoagem Sprint (9h30-13h10): provável sessão da final do C2-1000m, Isaquias e Erlon levaram a prata em 2016 e já foram campeões mundiais, mas que vai chocar com a seguinte sessão…
Vôlei de praia final masculina (10h-12h50): escolha difícil… talvez o vôlei de praia tenha mais chances de conquista
Caratê (14h-20h35): terceiro dia de finais
Basquete masculino final* (20h-22h): chocará horário com…
Futebol masculino final* (20h-23h): que chocará horário com…
Vôlei masculino final (21h15-23h30): talvez a melhor opção, não se sabe se o futebol vai com força máxima

Dia 9/8
Maratona masculina (7h-10h)
Vôlei feminino final (13h30-16h)
Handebol feminino final (15h-17h): uma opção caso o Brasil não chegue à final do vôlei
Cerimônia de Encerramento (noite): horário não informado

Dificuldades com relação aos horários e distâncias farão ser um pouco difícil acompanhar algumas modalidades, como pentatlo e ciclismo pista. Acabei não colocando nessa análise, mas claro, talvez uma sessão que coloquei como importante não seja a preferência de alguns, além de que mudanças podem ocorrer daqui pra lá, o que abre espaço para novas sessões e novas possibilidades de refazer o roteiro.

Por fim, o comitê organizador divulgou os valores máximos e mínimos dos preços dos ingressos de cada modalidade, sem tantos detalhes sobre os preços intermediários, segue o link:

https://tokyo2020.org/en/news/notice/20180720-03.html

O modelo de vendas continuará semelhante aos dos jogos anteriores, por meio de revendedoras oficiais, que em geral cobram uma taxa sobre o valor original do ingresso.

Também coloco um link com a tabela de preços dos ingressos dos jogos de Londres 2012, provavelmente os ingressos custarão um preço semelhante a esses, mais caros que os do Rio:

http://news.bbc.co.uk/2/shared/bsp/hi/pdfs/15_10_10_athletics.pdf

Então, vamos fazer nossas tabelas, esboçar roteiros, analisar os preços, e chegar no dia da compra de ingressos sabendo o que queremos e o que podemos assistir!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Visitas

Facebook