Categorizado | Orun Ayé

A ofensa pessoal

IMG_20180629_013004

Curioso pensar que até quarta-feira passada o cara mais odiado do país era um jogador de futebol.

Curioso pensar que esse cara é o maior ídolo atual desse que é o esporte mais popular do Brasil.

Sim, é evidente que estou falando de Neymar. Sem dúvida nenhuma Neymar é o maior jogador brasileiro dessa década, um dos maiores jogadores do mundo da atualidade. Milionário, cheio de amigos, ou parças como queiram, jovem, bem relacionado, Neymar é ídolo dessa geração nascida no século XXI. A garotada quer ser o Neymar como todas as gerações tiveram seus ídolos esportivos, mas curiosamente é um dos ídolos esportivos mais contestados que já tivemos.

Ninguém contesta a qualidade do jogador e que a chance do Brasil ganhar uma Copa do Mundo passa diretamente por ele, por suas atuações. Todos lembram da Copa de 2014 e do drama que foi após sua contusão, mas mesmo assim Neymar é contestado, é longe de ser unanimidade principalmente em seu lado pessoal.

Ele dá motivos, sim. Neymar é “chiliquento”, dá a impressão de ser um garoto mimado, superprotegido que não consegue virar adulto, quando fala se mostra vazio, imaturo, raso e pouco interessante. Fora de campo é capaz de lances geniais, mas também é “nervosinho”, irritadiço e o pior dos defeitos, ser “cai cai”, mas mesmo com tudo isso acho que pegam pesado com ele.

Ninguém foi tão xingado, tão agredido no Brasil nas últimas semanas do que ele e olha que temos uma classe política que merecia muito mais esse ódio que o jogador começando pelo presidente. Pegaram pesado, sufocaram, dedicaram inúmeras horas de programas esportivos para ele achincalhando seu jeito de ser, seu cabelo, até seus relacionamentos amorosos. Ultrapassam o limite esportivo e atacam sua vida pessoal sem piedade.

Neymar tem 26 anos, não é mais um garoto como jogador de futebol, mas é sim garoto em relação a vida. Eu com 41 anos erro pra cacete como irei cobrar perfeição de alguém de 26? O peso de uma nação inteira está em seus ombros e é demagogo comparar a pressão dele com as nossas do dia a dia. Ninguém vai linchar a gente em caso de fracasso em nossas profissões.

Pegam pesado com Neymar como não tratam outros jogadores que estavam ainda piores. Não tem como não relacionar um pedaço das críticas que recebe como inveja. Muitos criticam seu jeito e estilo de vida, mas quase todos adorariam levar sua vida e nem se importariam de usar “cabelo de miojo”.

Ser rico, famoso e bem sucedido sempre trouxe problemas no Brasil, ainda mais quando é um jogador de futebol. Costumamos jogar todas as nossas frustrações do dia a dia no futebol então nada melhor que ter como alvo alguém que se tornou bem sucedido nele.

Esse momento de Neymar me faz lembrar Tom Jobim, que falava que sucesso no Brasil era ofensa pessoal. Neymar tem sido criticado com algumas razões, mas também vem ofendendo muita gente.

Esse drible ele terá de aprender a dar.

Twitter – @aloisiovillar

Facebook – Aloisio Villar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Visitas

Facebook