Categorizado | Jogando nas Onze

O papo agora é Salah

Salah

Algumas semanas atrás, escrevi uma coluna sobre o jogador belga Kevin De Bruyne e a fantástica temporada que fazia pelo Manchester City. A temporada dele continuou muito boa, a equipe conquistou o Campeonato Inglês como esperado, mas o jogador teve uma pequena queda em seu fim, principalmente por não conseguir classificar a equipe na Champions.

Em paralelo a essa pequena queda, outro jogador ascendeu com força a tal ponto de algumas pessoas lhe considerarem o melhor jogador do mundo em 2018. Falo do egípcio Mohamed Salah.

Salah não é garoto, já tem 25 anos, e uma certa rodagem passando por vários clubes, mas sempre foi um jogador de destaque, nunca com o destaque de agora.

Salah chegou ao Liverpool em 2017 vindo do Roma, e faz uma temporada espetacular. É o artilheiro do Campeonato Inglês, disputa a Chuteira de Ouro com Messi, de maior artilheiro da temporada europeia, e pode ser campeão do continente com o tradicional Liverpool.

Não é o único grande jogador da temporada, além dele o brasileiro Firmino e o senegalês Mané. Junto, o trio fez 29 gols na Champions desse ano, superando os 28 de CR7, Benzema e Bale em 2014 e os 27 de Messi, Neymar e Suárez em 2015. O trio do time inglês é rápido, agudo, letal e surpreendente, já que no começo da temporada o grande craque da equipe era o brasileiro Phillippe Coutinho, que forçou transferência para o Barcelona, perdendo assim, pelo menos esse ano, a chance de fazer uma final de Champions.

Como eu disse, Salah não é um cabeça de bagre que passa uma temporada de exceção, sempre foi um bom jogador e passa o melhor ano da carreira justo em um ano de Copa do Mundo. O Egito não é uma grande seleção e isso dará ao jogador responsabilidade e oportunidade. Responsabilidade de comandar esse time, oportunidade por nada se esperar da equipe e o que vier ser lucro. Uma passagem para a oitavas de final marcaria de vez a temporada de Salah.

São vários os desafios do egípcio. Ganhar a Champions e levar o Egito a uma campanha marcante podem lhe levar ao prêmio da Fifa no fim do ano de melhor jogador do ano. Ele é? Sinceramente não sei, mas nunca a dinastia Messi / Cristiano Ronaldo esteve tão ameaçada.

Enquanto isso, o torcedor do Liverpool vai curtindo a mistura do Brasil com Egito.

Mistura que há tempos é sucesso com É o Tchan.

Twitter – @aloisiovillar

Facebook – Aloisio Villar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Visitas

Facebook