Categorizado | Jogando nas Onze

Que Deus perdoe essas pessoas ruins

Adrianoot

Acabou há pouco tempo na Rede Globo o “Entrevista com o Bial”, programa o qual aos poucos me aproximo, mesmo sendo viúva de Jô Soares.

A entrevista desta quarta-feira, data em que escrevo, foi bastante interessante e até me fez mudar o tema da coluna de hoje, resolvi falar sobre Adriano Imperador.

Muito se fala de Adriano nos últimos 13, 14 anos, todo mundo tem uma opinião formada sobre ele, debate sobre ele sem tentar realmente entender o que ele é e o que passa. Eu mesmo já fiz isso algumas vezes, mas vendo sua entrevista a Pedro Bial, aliás bacana o encontro entre ídolos de Flamengo e Fluminense, parei para pensar e acho que muitos fizeram isso.

Quantas vezes não nos pegamos revoltados com ele e dizendo “Não tivemos camisa 9 em 2010 e 2014 por culpa dele que quer nada com nada”? Pois é, mas vamos parar pra pensar, nós perdemos o grande camisa 9 nas duas ocasiões. isso ajudou o Brasil a perder as copas, mas nossas vidas continuaram normalmente. Quem perdeu mais com isso? Não fomos nós, foi o próprio Adriano então como culpar alguém, ter raiva de alguém que perdeu muito mais que a gente?

Alguns chamam o Adriano de vagabundo, outros que ele fez o certo, abandonou o futebol e foi ser feliz com sua galera. A entrevista dessa quarta passou a impressão que todos nós estamos errados. Adriano não é vagabundo e nem virou um homem feliz por largar o futebol. Ele é um cara puro, bacana, gente boa toda vida, que gosta de estar com seus amigos sim, mas sofre por saber que poderia ter sido muito maior no futebol.

Várias e várias vezes disse na entrevista que pensa sobre isso e quando põe a cabeça no travesseiro sofre pensando no mesmo. Realmente não deve ser fácil para uma pessoa que recebeu um dom especial e que poderia ter o mundo a seus pés devido a esse dom perceber que falhou porque não foi forte o suficiente emocionalmente para cumprir o que fora designado a ele.

Que Adriano é gente boa nós já desconfiávamos, um cara para pegar meninos de rua e levar a restaurante chique para jantar com ele tem que ser gente boa, mas e as acusações de associação ao tráfico? Ser amigo de bandidos? Não sei e sinceramente? O Rio tem problemas muito maiores, tem safados muito mais inescrupulosos que nos prejudicaram muito mais que Adriano dar moto a amigo de infância.

Tenho pena dele, curioso ter pena de um cara milionário e que jogou em alguns dos maiores times do mundo e na seleção, mas é humano isso. Queria muito que ele afastasse a depressão de sua vida, que pudesse caminhar sem essa dor imensa da perda do pai e fosse feliz. Entendo um pouco essa dor da perda porque também passei por ela e nunca jogaria pedras no ser humano Adriano. Fora que o jogador nos deu o brasileiro de 2009 então para mim é um jogador inesquecível.

Diz que vai voltar a jogar, não sei se consegue já tentou várias vezes, mas queria que ele desse um fim digno a sua carreira e prosseguisse a vida da forma que desejar, andando tranquilamente na favela em que nasceu.

E que Deus perdoe essas pessoas ruins.

Twitter – @aloisiovillar

Facebook – Aloisio Villar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Visitas

Facebook