Deprecated: get_the_author_ID está obsoleto desde a versão 2.8.0! Use get_the_author_meta('ID') em seu lugar. in /home/pedromig/public_html/ourodetolo/wp-includes/functions.php on line 4713

Deprecated: attribute_escape está obsoleto desde a versão 2.8.0! Use esc_attr() em seu lugar. in /home/pedromig/public_html/ourodetolo/wp-includes/functions.php on line 4713

Deprecated: attribute_escape está obsoleto desde a versão 2.8.0! Use esc_attr() em seu lugar. in /home/pedromig/public_html/ourodetolo/wp-includes/functions.php on line 4713

Nesta terça-feira tivemos 3 estados do oeste americano realizando suas prévias: Arizona, Utah e Idaho – sendo que neste apenas os democratas votaram. É um território quase inexplorado até aqui, pois quase todas as prévias até hoje se concentraram no leste e meio-oeste.

As votações foram bastante confusas por causa do grande afluxo de eleitores que pegaram a organização dos três estados de surpresa, causando filas de até 4 horas de espera. Em alguns locais de Idaho chegou a faltar cédula para votação.

Por conta dessa confusão, as apurações estão atrasadas e, no momento que escrevo, Arizona e Utah ainda estão terminando de apurar seus votos, próximos a 90% das urnas apuradas.

Partido Republicano

O partido republicano teve votação em apenas dois estados: Arizona e Utah. Ambos são estados conservadores e nas matemáticas iniciais, os dois estados eram dados como vitória de Ted Cruz. Porém, Trump mais uma vez explodiu todos os prognósticos de semanas atrás e ganhou as primárias no estado com quase 50% dos votos (atualmente está 47.1%). Ted Cruz ficou em um distante 2° lugar com 25% por enquanto.

20150309_185747Já Kasich foi muito mal, com apenas 10%, ficando atrás até de Rubio, com 15%. Provavelmente esses votos em Rubio foram votos por correspondência dados antes da desistência dele, já que o Arizona aceita votos desde o dia 24 de fevereiro.

Como o Arizona é um estado de regra “winner-take-all” com importantes 58 delegados, todos esses agora entram na soma de Trump, deixando mais claro seu caminho rumo aos 1237 delegados necessários para garantir sua nomeação. Com os delegados do Arizona, Trump já tem 755 delegados. Ou seja, faltam 482 de 905 disponíveis, sendo que as pesquisas indicam a possibilidade de Trump varrer todos os 166 delegados de New York e Pennsylvania no fim do mês. Caso isso realmente ocorra (não é certo, mas bem possível) ficará praticamente impossível impedir Trump de atingir o número mágico.

Ao menos, para compensar a favor dos anti-Trump, após Ted Cruz receber o apoio do governador de Utah e Mitt Romney, candidato presidencial do partido em 2012, Cruz conseguiu 70% dos votos em Utah e por ter conseguido mais de 50%, carregou todos os 40 delegados do estado. Antes se acreditava em uma distribuição proporcional entre Cruz e Trump.

Obs: Romney tem base política em Utah e é mórmon, assim como a grande massa republicana do estado, por isso tal apoio foi tão importante.

Na última quarta-feira pela manhã, o ex-candidato Jeb Bush foi mais um a anunciar seu apoio a Ted Cruz. Esses apoios além de outros recebidos nos últimos dias, levam a entender que os figurões do partido republicano mudaram de estratégia e o outrora rejeitado Ted Cruz receberá todos os apoios do “estabilishment” para tentar impedir Trump de conseguir os delegados necessários para sua nomeação.

Obs: Rubio ainda não anunciou apoio a ninguém.

Com isso a pressão para Kasich desistir aumentou bastante enquanto ele se encontra com caixa apertado para manter a campanha. Ele mantém o discurso de que continuará na disputa, apostando em uma Convenção quebrada. Ele acredita que “jogando em casa” em uma convenção quebrada, que este ano ocorrerá em Cleveland, principal cidade do seu próprio estado (Ohio), ele tem chances de ganhar a indicação “no chão” da Convenção nos sucessivos escrutínios que serão necessários caso Trump não garanta sua indicação ainda nas primárias.

Porém, o fato é que ele está com dificuldades de manter a campanha que ficará 15 dias sem eleições e ganhou em apenas um estado até aqui: o próprio estado do qual ele é governador. Em todos os outros, fora alguns poucos da região nordeste, ele foi um verdadeiro fracasso, normalmente abaixo dos 15%. É plausível supor que ele sucumba às pressões e desista da campanha nos próximos dias.

Contagem Parcial de Delegados:

  • Trump – 755
  • Cruz – 466
  • Rubio – 169 (desistiu)
  • Kasich – 144

Fonte: blog The Green Papers

Partido Democrata

O grande prêmio da noite no partido democrata era o Arizona e nele, Hillary Clinton ganhou com facilidade, mais uma vez se aproveitando de seu eleitorado cativo dentre os latinos: 58% x 40%.

Nos outros dois estados do dia, além deles serem compostos por americanos médios, sem número considerável de latinos ou negros, tanto Utah como Idaho fazem suas prévias pelo sistema de caucases, o que tem privilegiado Sanders desde o início da disputa.

Para facilitar a vida de Sanders, sua campanha tem tido um entusiasmo muito acima do normal no oeste americano, impulsionado pelos jovens, e a quantidade de eleitores que marcaram presença nos caucases foi sem precedentes. Como resultado Sanders aplicou duas “sapatadas”: 78% a 21% em Idaho e 80% a 20% em Utah.

quote-wall-street-is-greedy-reckless-and-they-operate-illegally-that-s-fine-but-what-do-you-bernie-sanders-25-82-89Só que, além de serem dois estados pequenos, Utah e Idaho, são estados historicamente republicanos: a última vez em que um candidato democrata ganhou em ambos os estados foi no longínquo ano de 1964, com Lyndon Johnson, ainda sob o efeito do brutal assassinato de John Kennedy.

Por isso, a quantidade de delegados democratas nos dois estados é bem pequena. Como resultado, apesar das enormes diferenças, só com os delegados a mais ganhos no Arizona, bem maior (mesmo que também republicano), Clinton ainda conseguiu reduzir bastante o prejuízo da noite. Foram apenas 17 delegados a mais para Sanders, insuficientes para causar alguma mudança no cenário que ainda aponta quase trezentos delegados “comprometidos” a mais para Clinton, que segue sua contagem regressiva para o número mágico.

Se tudo correr como planejado, juntando com os superdelegados, Clinton está em vias de conseguir os 2.383 delegados ou no dia 26/04 ou dia 03/05.

Para Sanders fica ao menos a esperança do milagre. Se ele conseguir repetir na prévia do próximo sábado (dia 26), no estado vizinho de Washington os resultados de Utah e Idaho, ele cortará bastante a vantagem para Clinton e colocará um “fantasma” rondando Clinton em relação aos 548 delegados da Califórnia.

Sanders continua apostando que o importa é a quantidade de delegados “comprometidos”, pois o partido não terá coragem de retirar sua candidatura via delegados “não-comprometidos” caso ele consiga um número superior de “delegados comprometidos”.

A aposta de Sanders tem lógica por dois motivos: primeiro, porque tal argumento já fora usado a favor de Obama durante as prévias de 2008 contra a mesma Hillary Clinton, que também na época tinha grande vantagem entre os superdelegados. Segundo porque todas as pesquisas nacionais divulgadas nesta semana indicam que Sanders é um candidato mais competitivo contra qualquer dos três atuais candidatos republicanos.

150413_hillary_clinton_getty_650x353Enquanto Sanders ganharia de forma fácil contra qualquer um dos 3 republicanos, Hillary teria dificuldades contra Kasich, mesmo tendo larga liderança contra Trump e Cruz. Ou seja, a manutenção da campanha de Sanders faz sentido e dinheiro não lhe falta, por enquanto ao menos.

Contagem parcial de delegados* (estimativa):

  • Clinton – 1712 (1230 “comprometidos” e 482 Superdelegados)
  • Sanders – 959 (932 “comprometidos” e 27 Superdelegados)

Número mágico: 2382,5

* Fonte: blog The Green Papers para os “comprometidos” e CNN para os “não-comprometidos”

Próximas Prévias

Partido Republicano

Dia 05/04 – Wisconsin (42 delegados, winner-take-all por distrito)

Dia 19/04 – New York (95 delegados, proporcional por distrito, mas se alguém conseguir 50% por distrito se torna “winner-take-all).

O partido republicano ficará 15 dias sem prévias, tempo no qual as estratégias anti-Trump deverão ser definidas e realizadas com mais organização, inclusive a definição sobre a desistência ou não de Kasich.

Em Wisconsin, as contas inicialmente levam em conta uma vitória de Trump, mas com a perda de alguns distritos, o mesmo ocorrendo em New York. Porém as últimas pesquisas já dão 60% dos votos para Trump e, dependendo da distribuição dos votos, isso faz com que seja possível que Trump acabe carregando os 95 delegados de New York. Se isso ocorrer, é quase o fim da linha para a turma anti-Trump.

Ou seja, Wisconsin será apenas uma parada na rota para New York. Lá é que os caminhos futuros serão decidos.

Partido Democrata

Dia 26/03 Alaska (16 delegados, proporcional)

Hawaii (25 delegados, proporcional)

Washington (101 delegados, proporcional)

Dia 5/04 – Wisconsin (86 delegados, proporcional)

Dia 9/04 – Wyoming (14 delegados, proporcional)

Neste sábado, 142 delegados serão alocados e todos os 3 estados  se utilizam de caucases para fazer suas prévias, o que como já dito acima tem favorecido Sanders

alaskanO Alaska é tão afastado que não há qualquer pesquisa, mas o perfil mais conservador do estado indicaria uma vantagem para Clinton. Porém uma avaliação tão rasa também levaria a resultados similares em Idaho e Utah, o que como já vimos não ocorreu.

Se Sanders quiser ter ainda alguma aspiração presidencial, ele precisa replicar em Washington e no Hawaii as enormes diferenças aplicadas em Idaho e Utah, especialmente no primeiro. Caso contrário, ele continuará apenas como o candidato forte sem chances de vitória.

Uma das novas estrelas democratas no Hawaii anunciou seu apoio a Sanders, o que deve impulsioná-lo; mas outros políticos eminentes do estado estão apoiando Clinton.

Há uma semana, vários senadores democratas e outros membros proeminentes do partido, apoiadores de Clinton, estão ligando para Sanders para dizer a ele que não há mais como ele conseguir os delegados para ganhar a Convenção. A ideia implícita é que Sanders desista da candidatura para evitar maiores danos a Clinton em uma disputa com Trump.

A resposta de Sanders foi um discurso ontem em San Diego, uma das maiores cidades da Califórnia. A Califórnia é o maior estado americano e tem um peso ainda maior para os democratas; está programada para ser o último estado a fazer sua prévia, no dia 7 de junho. O recado implícito é claro: Sanders irá até o fim. A base está inflamada, dinheiro não falta e Sanders não tem laços antigos de amizade no partido, no qual ele só se filiou em 2014; ou seja, provavelmente tais tentativas serão infrutíferas.