Mais uma virada de mesa…

Pela terceira vez seguida a LIESA junto com as escolas de samba do grupo especial “vira a mesa” evitando rebaixamento. A escola beneficiada da vez foi a Imperatriz Leopoldinense que assim permanece no especial. O Império Serrano não teve a mesma sorte.

Eu confesso que queria essa virada e escrevi sobre isso nas redes sociais semanas atrás. Queria essa virada por temer pelo futuro da Série A diante de tanta confusão, briga pelo poder e medo da Imperatriz sofrer no meio de toda essa briga sendo imposto um limbo para ela.

Mas torci de forma amarga porque sou contra viradas de mesa, acho uma violência, um escárnio com qualquer tipo de competição e ter que torcer por uma virada por temer pela sobrevivência de um patrimônio cultural brasileiro como a Imperatriz me fez mal, me mostrou o quanto o carnaval carioca está errado, desqualificado, envergonha.

Foi definida a virada. Muito porque as entidades que regem o carnaval se acham as donas do mesmo, mas não são. O carnaval pertence ao povo do Rio de Janeiro, ao estado, ele é o responsável pelos desfiles e terceiriza essa responsabilidade podendo e devendo cobrar e cassar se necessário.

Mas não faz porque o estado até hoje se dividiu entre os amigos do poder do carnaval como Eduardo Paes e os que odeiam os desfiles como Crivella que deve vibrar com tudo isso já que as escolas dão justificativas para seus cortes.

Não existem santos nessa história. Quem votou contra a virada votou por rivalidade com a Imperatriz e medo da multa do poder público, quem votou a favor quis dar uma resposta ao poder crescente da Liesb. Tudo isso desanima. Desanima ver resultados polêmicos na Intendente, histórias que precisavam ser esclarecidas, mas ninguém busca porque poucos se importam com as escolas de lá. Desanima ver a briga pelo poder na Lierj, desanima a falta de credibilidade da apuração da LIESA.

Ao sambista resta duas alternativas. Não levar mais a sério os desfiles e as escolas de samba e só participar desse meio pela festa ou entretenimento ou então se afastar, parar de gastar dinheiro, não ir a ensaios, comprar fantasias ou ingressos para desfiles. Quem se irrita agora, diz que não irá mais participar e na hora está lá é conivente com tudo o que ocorre. Acaba sendo o bobo da história

Lamentável tudo isso. Eu vou continuar escrevendo e fazendo vídeos sobre carnaval, mas mais por respeito a quem me acompanha desde os tempos de compositor. Os desfiles em si não me animam mais, tanto que passei o último carnaval fora da cidade. Decidi que esse ano não analiso os sambas. Não vou levar a sério nenhum tipo de competição que venha do carnaval.

No Brasil nada é sério, muito menos o carnaval. O samba sambou de novo.

Twitter- @aloisiovillar

Facebook – Aloisio Villar

Instagram – @aloisiovillar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.