Cacá…

Quase esse nome, Kaká, foi o responsável pelo último grande momento do futebol brasileiro. O.K., vocês podem falar de Neymar, mas esse, apesar de ser craque, ainda não conseguiu ser protagonista no futebol mundial. Kaká, não, ele foi o último brasileiro vencedor do prêmio de melhor do mundo. Ocorreu em 2007, atuando pelo Milan, um ano depois de ter sido um dos poucos a se salvar da Seleção Brasileira na Copa da Alemanha. Em meio à Seleção de celebridades, de quadrado mágico, Kaká foi a flor na beira do caos.

Como sua xará. Kaká, Cacá, o nome sempre nos dando um alento, uma esperança nem que seja o último suspiro.

Assim como o futebol brasileiro em 2006, o carnaval carioca vive seu caos. Uma grave crise financeira em que a subvenção vive um jogo de empurra-empurra, não sendo liberada, um momento político grave no qual claramente o comandante dessa cidade não gosta das escolas de samba. Um problema que atinge a todos de forma dura, tendo escolas com barracões lacrados faltando menos de dois meses para a folia.

Grave crise institucional em que o carnaval perde a credibilidade a cada dia. Antigamente era charmoso o desfile ser comandado pela contravenção. Políticos e celebridades adoravam tirar fotos com bicheiros. Hoje vivemos uma era politicamente correta, sem julgar se é certo ou não, existe uma tolerância menor, principalmente se for político, e casos como o presidente da Mangueira, preso por corrupção, e agora solto com tornozeleira eletrônica, atingem em cheio a credibilidade do carnaval.

O povo está saturado de corrupção, de mau proveito do dinheiro público e por isso anda perigosamente entrando em aventuras eleitoreiras, elegendo até governador que não decorou o nome. Enfim, o povo cada vez mais se afasta do carnaval, reclama do gasto com a folia, e o carnaval não ajuda nisso.

Visão arcaica de administração em que até hoje usam fax para vender ingressos. Nunca o carnaval esteve tão ameaçado, mas eis que surge a flor na beira do caos, a Kaká, melhor, a Cacá.

Cacá Nascimento se tornou a voz do Carnaval 2019 logo no concurso de samba ao abrir a boca para defender a maior música brasileira do ano. Samba que estranhamente não vem ganhando por completo as enquetes de carnaval mostrando que o sambista é mais conservador do que imagina escolhendo sambas que vemos parecidos todos os anos. Menina dócil, com sorriso contagiante, carismática e com vozeirão ajudou e muito ao sambaço da Mangueira a ultrapassar as fronteiras da folia.

Agora, em meio de crianças padronizadas se vestindo e se comportando como adultas cantando em sua maioria sertanejo no The Voice Kids, Cacá surge como a única a cantar samba. Com seu talento, carisma, espontaneidade e principalmente, apesar de todo o talento sendo criança Cacá conquistou a todos e encheu os sambistas de orgulho.

Vai vencer? Não sei, mas ela já conseguiu o mais importante. Quebrou a tal parede que hoje separa o samba das escolas do restante da sociedade de forma positiva, já que de negativa vários vem quebrando. Isso já faz de Cacá vitoriosa e de nós, agradecidos.

Cacá Nascimento é a nossa Bola de Ouro.

Brasil, chegou a vez de ouvir a Cacá.

Twitter – @aloisiovillar

Facebook – Aloisio Villar

Instagram – @aloisiovillar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.