Deprecated: get_the_author_ID está obsoleto desde a versão 2.8.0! Use get_the_author_meta('ID') em seu lugar. in /home/pedromig/public_html/ourodetolo/wp-includes/functions.php on line 4713

Deprecated: attribute_escape está obsoleto desde a versão 2.8.0! Use esc_attr() em seu lugar. in /home/pedromig/public_html/ourodetolo/wp-includes/functions.php on line 4713

Deprecated: attribute_escape está obsoleto desde a versão 2.8.0! Use esc_attr() em seu lugar. in /home/pedromig/public_html/ourodetolo/wp-includes/functions.php on line 4713

Sempre que alguém demite um técnico no começo do Campeonato, junto com a enxurrada de críticas, vem a frase que serve quase como alerta: “Em pontos corridos, ganha quem se planeja melhor”.

Já comentei aqui que não entendo bem a relação entre se planejar bem e continuar com um trabalho que não está dando certo. Vamos, por exemplo, pegar os times que trocaram de treinador e ver a quantas andam. O Grêmio, por exemplo, está em quarto após uma evolução assustadora do time que passou maus bocados com Felipão. Roger Machado é uma revelação para lá de interessante. Mostra uma visão apurada do futebol, conhece os pontos fortes e fracos do elenco e conhece os adversários que enfrenta.

Mas muitas vezes nem precisa de um treinador brilhante para as coisas engrenarem. O Vasco de Celso Roth e o Flamengo de Cristóvão Borges, por exemplo, seguem lá no fim da tabela, mas já são times completamente diferentes. O Fluminense de Enderson Moreira se tornou a grande surpresa do Brasileirão, com um futebol muito acima do que se esperava. E tem o Palmeiras, do bom Marcelo Oliveira, que chegou a fazer conta contra o Z-4 já pensa em título depois de chutar Oswaldo de Oliveira. Por falar em Marcelo Oliveira, até o Cruzeiro vem se arrumando aos poucos. Já os que insistem no erro, como o Santos, seguem em maus lençóis. Saber se planejar é um conceito relativo e muito amplo, que envolve inclusive admitir que o planejamento não está dando certo. A tabela mostra que isso não arranca pedaço, muito menos pontos.

age20150708538Goiás 4 x 1 Santos

Falando em Santos, olha ele aí, tomando uma surra na despedida triunfal do treinador Marcelo Fernandes. Preciso ser justo e reconhecer que o problema do bom time santista não é só o treinador. É claro que ele fez muita besteira, mas nada justifica a apatia dos paulistas em campo. No primeiro tempo, mesmo encarando um Goiás quase inerte, nenhuma chance de gol foi criada. Nenhuma. Desse jeito, as coisas não andam.

Na etapa final, nem tempo para pensar em alguma coisa o Santos teve. Foram quatro gols em 15 minutos. A zaga entrou em coma e o Goiás, mesmo sem ter o ataque mais brilhante do Brasil, aproveitou para matar completamente o jogo. O Santos ainda descontaria no fim, mas de nada adiantou. Um vexame daqueles. E o Esmeraldino vai somando seus pontinhos. Já fez quase um terço do que precisa para não ter chance nenhuma de cair. Temos quase um terço do Campeonato disputado, então está na média.

Coritiba 0 x 0 Ponte Preta

O Coritiba tomou do Fluminense o posto de time que faz os jogos mais insuportáveis desse Brasileirão. Esse nem foi tão ruim assim, mas acho que foi o pior da rodada. A Ponte Preta começou bem, imprimindo velocidade e armando um salseiro na defesa paranaense, mas logo perdeu fôlego. A fase da Macaca realmente não é das melhores e logo os donos da casa equilibraram o jogo. No segundo tempo, criaram as melhores chances, mas também não fizeram muita coisa. Empate justo e ruim para os dois times.

chapecoense-comemoracao-divulgacao-640x480Chapecoense 1 x 0 Grêmio

Grande jogo. Mais um daqueles para mostrar para quem vive dizendo que no Brasil não tem nenhum time que presta, que o Campeonato é uma porcaria e etc. Os dois times foram para cima, tocaram muito bem a bola, criaram oportunidades e o jogo fluiu com muita facilidade. Foi, em suma, uma partida boa de se assistir. No primeiro tempo, o empate foi mesmo o placar mais justo, mas a rede não balançou dos dois lados por mero capricho do destino. Chances, não faltaram.

Na segunda etapa, não sei se foi a Chapecoense que voltou mais acesa ou se faltou fôlego para o Grêmio. De qualquer forma, os catarinenses passaram a apertar um pouco mais e, assim, fizeram o gol da vitória através da bola aérea. Foi a primeira vez em algum tempo que a zaga gremista levou um gol por ter falhado de maneira um pouco mais nítida. Bela vitória do time de Chapecó e derrota normal para o Grêmio.

Palmeiras 3 x 0 Avaí

Embora esse time do Palmeiras esteja cada vez mais interessante, é bom dizer que esse placar engana bastante. O Verdão foi sim superior, jogou bem, está cada vez mais entrosado e a presença de público no Allianz Parque é um exemplo para todos os clubes. Porém, o que se viu em campo não foi o massacre que o placar sugere. Nem tampouco houve qualquer facilidade para que este fosse alcançado.

O Palmeiras começou o jogo em um ritmo muito forte e logo abriu o placar com um belo gol de Rafael Marques. Depois, porém, teve uma queda até natural de intensidade e acabou chamando o Avaí pro ataque. Nos últimos minutos da primeira etapa e no primeiro terço do segundo tempo o Avaí foi melhor e chegou a esboçar uma pressão. Mais um ponto a favor dos donos da casa, que tiveram sangue frio, calma e logo marcaram mais dois, definindo completamente a partida. E ainda fizeram o quarto, mas o árbitro não viu a bola entrar completamente e ficou 3 a 0. Grande vitória do Palmeiras, que entra de vez na briga pelo G-4.

19352804099_bcac243803_oFigueirense 0 x 2 Joinville

Clássico é realmente um jogo diferente. O Joinville, quem diria, venceu o Figueirense até com alguma tranquilidade. É bem verdade que o Figueira teve os seus bons momentos na partida, especialmente logo depois do rival abrir a contagem, mas não foi nada muito absurdo. Até porque choveu demais no Orlando Scarpelli e o gramado ficou uma coisa lamentável. Então, depois de fazer um gol no comecinho do jogo, o JEC ficou mais tranquilo, definindo o jogo no segundo tempo. Bom futebol não teve porque o clima também não colaborou. Quando não é vento, é chuva. Que fase.

Atlético Mineiro 2 x 1 Sport

O grande jogo da rodada, sem nenhuma dúvida. O primeiro tempo foi uma aula de tática com dois times absurdamente bem postados e organizados em campo. O Sport mais contido, aceitando a condição desfavorável de enfrentar um Mineirão lotado. Isso não significou exatamente uma retranca. A marcação razoavelmente adiantada, quase no meio de campo, fechou os espaços para o Galo, que quase nada criou. Os pernambucanos tentavam assim boas saídas no contra-ataque, mas o time da casa também estava prevenido para esse tipo de coisa. Não foi um jogo cheio de emoção no primeiro tempo, mas foi muito bem jogado.

O negócio esquentou mesmo na etapa final. Em cinco minutos, Lucas Pratto havia aberto o placar com um golaço, mas o Sport, valente como sempre, já havia empatado. Na sequência, Giovanni Augusto fez o segundo com um tiro sensacional de fora da área e, aí sim, o Atlético conseguiu o controle do jogo. O Sport não mais incomodou e o Galo assumiu a liderança isolada do Brasileirão com muita propriedade. Os pernambucanos, mesmo perdendo, mostraram que vão sim incomodar muita gente nesse Brasileirão.

5870_crop_galeriaVasco 0 x 4 São Paulo

Outro placar que engana um pouco, embora o São Paulo tenha dominado o jogo com um pouco mais de nitidez. O primeiro tempo foi daqueles de dar dó. Eu nem vou falar que os dois gols dos paulistas saíram com naturalidade porque não é natural um sistema defensivo como esse do Vasco. O primeiro gol é de uma várzea lamentável. Enfim, ponto para o São Paulo que voltou a atacar com muita competência e qualidade, além de muita tranquilidade. Esperava um time mais nervoso, mas a pseudocrise parece não ter atrapalhado.

No segundo tempo, o jogo foi pro saco de vez com o terceiro gol, mas depois vi uma das sequências mais bizarras de lances dos últimos anos. O equatoriano Riascos perdeu três gols absurdos e Andrezinho ainda desperdiçou um quarto. Por falar em quatro, em mais um gol de fim de pelada o São Paulo fechou a conta e agora tem a maior goleada do Brasileirão duas vezes: o 4 a 0 que sofreu do Palmeiras e o que aplicou no Vasco.

Internacional 1 x 2 Flamengo

Esse sim é o Flamengo que a gente espera ver. Tudo bem que o Internacional que entra em campo no Brasileirão é uma coisa lamentável e ainda vai acabar complicando a vida daquele Internacional bonito de se ver na Libertadores, mas o Flamengo jogou bem. Ter os seus dois principais reforços vindos do mesmo lugar tem uma vantagem óbvia: o fato de ambos já estarem entrosados e isso ficou claro. Sheik e Guerrero funcionaram muito bem nesse primeiro teste e o time, mais organizado, respondeu muito bem.

Por mais que o primeiro gol tenha se originado de um lance em completo impedimento, foi uma vitória justa. O Internacional não está nem aí pro Brasileirão, o que facilita a vida de todo mundo, e o Flamengo, mesmo recuando desnecessariamente, não foi exatamente incomodado. Tanto que teve muito espaço para ir se soltando e, de tanto que se soltou, fez o segundo após uma linda assistência do estreante Guerrero. O Inter diminuiria no fim, mas não havia tempo para mais nada.

()  SPOCorinthians 2 x 0 Atlético Paranaense

Se eu tivesse que definir esse time do Corinthians no Brasileirão diria que é um time que tem mais sorte do que juízo. Mais uma vez consegue três pontos em um jogo onde poderia tranquilamente ter empatado. O Atlético fez jogo duro no primeiro tempo, dificultou a saída de bola dos donos da casa e, como Vagner Love realmente não vem sendo brilhante, faltou contato entre meio e ataque. Mas, mesmo assim, em uma boa jogada pela lateral o gol do Corinthians saiu, e nem foi de todo injusto.

O problema é que mais uma vez o Timão voltou muito recuado para o segundo tempo e quase pôs tudo a perder. O Furacão teve boas chances de empatar o jogo, mas desperdiçou e, no fim das contas, acabou levando o segundo. Sendo um pouco rigoroso, dá para dizer que foi um resultado injusto. Passou da hora do Tite ver que, cedo ou tarde, esse negócio de fazer 1 a 0 e recuar vai dar errado.

Fluminense 1 x 0 Cruzeiro

Bom jogo e uma grande atuação do Fluminense. Muito se elogia a valentia do time carioca e isso é realmente uma coisa muito legal de se ver, mas eu prefiro elogiar a excelente postura do time de Enderson Moreira em campo. O Fluminense não é um supertime, mas tem jogadores promissores, eficientes e um artilheiro que faz a diferença. O primeiro tempo foi bem equilibrado e um dos melhores do Cruzeiro no Brasileirão. A Raposa jogou de igual para igual e criou um número de chances parecido com o dos donos da casa.

Tal como o Grêmio, tenho a impressão de que faltou perna para o Cruzeiro na etapa final. O Fluminense passou a ter muito mais campo para trabalhar a posse de bola e, aí, ficou fácil. As chances se multiplicaram, mas a bola ainda teimava em não entrar. Entrou em um chutaço de fora da área já na reta final do jogo, fazendo justiça ao que se via em campo. Só não foi uma vitória mais justa porque o Cruzeiro teve um pênalti claríssimo não marcado. Acontece e o Flu não tem nada com isso. É vice-líder com muita justiça.

Classificação

Após quase um terço do Campeonato, eis aí a classificação.

Captura de tela 2015-07-10 às 00.35.22

Público e Gols

– Mais uma rodada excelente em termos de público, com média de quase 19 mil torcedores por partida, mesmo com públicos abaixo da crítica em Goiás e no clássico catarinense. Palmeiras, Corinthians e Atlético Mineiro não só anularam esses públicos, como jogaram a média para cima. Agora temos média de 14.517 torcedores por partida, inferior ainda a 2007 (14.959), 2008 (14.542) e 2009 (14.784). Esses são os únicos quatro anos, de 2006 para cá, que tivemos média superior a 14 mil torcedores nas 12 primeiras rodadas. Em 2006 foram 11.075, em 2010 foram 12.780, em 2011 foram 12.844, em 2012 foram 11.769, em 2013 foram 15.558 e, no ano passado, 12.970.

– Chegamos aos  269 gols no Brasileirão, nove a mais do que nas 12 primeiras rodadas do ano passado. Além desses dois anos, 2008 com seus 296 tentos e 2010 com 299 ficaram abaixo dos 300 gols após 13 rodadas. Em 2006 foram 322, em 2007 foram 333, em 2009 foram 354, em 2011 foram 304, em 2012 foram 310 e, em 2013, 306 gols marcados.

Palpites para a 13ª rodada

Grêmio x Vasco – Sábado, 11/7, às 18h30, na Arena do Grêmio, em Porto Alegre

Não que pro Vasco exista jogo fácil hoje em dia, mas esse é daqueles onde sair sem uma goleada já pode ser um alento. E acho que será. Grêmio vence por 2 a 1.

Santos x Figueirense – Sábado, 11/7, às 18h30, na Vila Belmiro, em Santos

Eu não sei bem quando esse time do Santos vai acordar, mas é bom que seja rápido. Sábado, por exemplo, é uma boa oportunidade. 3 a 1 para o Peixe.

LU_GremioxPalmeiras_Foto_Lucas_Uebel_20-06-2015_001-850x567Ponte Preta x Atlético Mineiro – Sábado, 11/7, às 21h, no Moisés Lucarelli, em Campinas

Um dos jogos mais interessantes da rodada e parada duríssima para o Galo. Mesmo com a Ponte em má fase, não vejo o líder saindo com três pontos não. Empate em 0 a 0.

São Paulo x Coritiba – Domingo, 12/7, às 11h, no Morumbi, em São Paulo

Vasco em campo neutro e Coritiba em casa é tudo que um time precisa para espantar a crise e embalar novamente no Campeonato, né? São Paulo faz 2 a 0.

Cruzeiro x Goiás – Domingo, 12/7, às 16h, no Mineirão, em Belo Horizonte

Estou gostando bastante desse time do Cruzeiro e acho que domingo voltará a fazer uma atuação daquelas que deixam o torcedor feliz e satisfeito. Vitória tranquila dos mineiros, 3 a 0.

Joinville x Internacional – Domingo, 12/7, às 16h, na Arena Joinville, em Joinville

Não sei se o desinteresse do Internacional no Brasileirão chega a ponto de perder pro Joinville. Mesmo com o pé atrás, chuto que não. 1 a 0 para o Colorado.

Atlético Paranaense x Fluminense – Domingo, 12/7, às 16h, na Arena da Baixada, em Curitiba

Outro grande jogo dessa rodada. Apesar da má fase, o Furacão tem time para bater de frente com o Flu sim. Marcaria um triplo na Loteca com facilidade. 2 a 1 para o Furacão.

Flamengo x Corinthians – Domingo, 12/7, às 16h, no Maracanã, no Rio de Janeiro

Sem ironia nenhuma: começou a reação do Flamengo no Brasileirão. O Corinthians vem bem, mas vai dar Mengão. 1 a 0 para o rubro-negro.

Sport x Palmeiras – Domingo, 12/7, às 18h30, na Itaipava Arena Pernambuco, em São Lourenço da Mata

Outro dos grandes jogos da rodada. Acho muito difícil que o Palmeiras vença, mas como a fase anda muito boa, não vou arriscar derrota, não. Empate em 1 a 1.

Avaí x Chapecoense – Domingo, 12/7, às 18h30, na Ressacada, em Florianópolis

Mais um belo duelo entre times catarinenses. Também é jogo para marcar triplo na Loteca e se garantir, mas, aqui, vou de empate. Tudo igual, 1 a 1.

Simulador

Se o Campeonato fosse igual meu simulador, seria sensacional. A diferença entre o terceiro e o décimo quinto colocado é sensacional, diz aí.

Captura de tela 2015-07-10 às 00.34.30