Deprecated: get_the_author_ID está obsoleto desde a versão 2.8.0! Use get_the_author_meta('ID') em seu lugar. in /home/pedromig/public_html/ourodetolo/wp-includes/functions.php on line 4713

Deprecated: attribute_escape está obsoleto desde a versão 2.8.0! Use esc_attr() em seu lugar. in /home/pedromig/public_html/ourodetolo/wp-includes/functions.php on line 4713

Deprecated: attribute_escape está obsoleto desde a versão 2.8.0! Use esc_attr() em seu lugar. in /home/pedromig/public_html/ourodetolo/wp-includes/functions.php on line 4713

A Copa do Mundo chegou ao fim da primeira fase e confesso que não esperava um futebol tão agradável de se assistir. Foram 136 gols em 48 partidas, numa espantosa média de 2,83 por jogo. Este número é 21% a mais do que vimos na primeira fase da Copa da África do Sul quatro anos atrás e vimos a melhor média de uma fase inicial de Mundial desde 1970 (2,96).

Mas, acima de tudo, o grande barato dessa Copa do Mundo vem sendo a coragem com a qual os times vem atuando. É claro que aconteceram jogos chatos até agora, mas o que vemos em campo são equipes que buscam o gol. Evidentemente não numa sangria desatada, mas com filosofia de que só se sai vitorioso se houver vontade para tal. Ou seja, atacando.

holesp2014Levando-se em consideração as dificuldades de cada grupo, o time que mais me agradou até agora foi o da Holanda. O conhecido trio formado por Robben, Van Persie e Sneijder está jogando com a categoria habitual e a eles se soma um conjunto muito bem armado por Louis Van Gaal, com destaque para o lateral Blind, uma das revelações desta Copa.

Gostei muito também do time da Colômbia, ofensivo sem ser irresponsável como aquele dos anos 90 e amparado no talento do camisa 10 James, outra revelação do Mundial. Merece também uma menção honrosa o time do Chile, muito aplicado e com bom toque de bola. Resta saber se conseguirá encarar a força do Brasil nas oitavas de final.

Falando em Brasil, o começo foi claudicante. Não gostei da atuação coletiva contra Croácia e México. Houve melhora contra Camarões, apesar de problemas na recomposição defensiva, mas finalmente o time andou com Fernandinho no lugar de Paulinho. Isso, no entanto, foi contra o já eliminado time de Camarões, tomara que isso se consolide contra o Chile. E, claro, só a genialidade de Neymar não será suficiente.

A Argentina, apesar de ter vencido os três jogos, também esteve aquém do que se esperava, principalmente nos dois primeiros jogos. Tal como o Brasil, houve evolução contra a Nigéria e os hermanos mostraram que têm um ataque sempre perigoso. Mas, acima de tudo, eles têm Messi, que por enquanto está jogando como nunca na seleção argentina.
argnig2014

Já a decantada “maior geração belga de todos os tempos” avançou com três vitórias mas apresentou um futebol muito, mas muito inferior ao que se esperava. Três vitórias na conta do chá e um jogo amarrado demais para quem tem inegavelmente bons jogadores. Mas há espaço para melhora, o que credencia os belgas pelo menos a chegarem às quartas.

Mas os Estados Unidos serão um adversário melhor do que aqueles que os belgas encararam na fase inicial. Os yankees ganharam com autoridade de Gana e só não ganharam de Portugal porque deram mole no último lance. Contra a Alemanha (falemos mais dela depois), mais um bom jogo, perdido de novo num detalhe.

Além dos EUA, quem surpreendeu positivamente foi a Costa Rica, que saiu do grupo da morte na liderança, após despachar Uruguai e Itália e empatar com a Inglaterra. É sem dúvida um bom time e ainda se deu bem pois pegará a sempre enrolada Grécia, que passou na bacia das almas. Será que os latinos passarão pela forte defesa grega? A conferir, mas acho que sim.

Sem o faminto Suárez, o Uruguai precisará novamente de muita alma para passar pela organizada Colômbia. Na primeira fase, o time uruguaio tecnicamente esteve longe do que apresentou na África do Sul, mas mostrou a garra charrúa e arrancou uma improvável classificação. E ficou claro que, com ou sem Suárez, jamais podemos duvidar da Celeste.

aleeua2014Falando em duvidar, definitivamente não podemos duvidar da Alemanha. Atropelou Portugal na estreia, mostrou força ao igualar um duro jogo contra o “irresponsável” time de Gana e, em outro jogo duro, passou pelos EUA sendo superior na maior parte do jogo. Pode parecer pouco mas não é. O conjunto alemão é o mais sólido desta Copa.

O adversário da Alemanha será o time da Argélia, que mostrou um coração comovente para arrancar uma improvável classificação ante a decepcionante Rússia. Mas, caso não ocorra uma hecatombe, os tricampeões devem passar sem tantos sustos pelos argelinos, que dão a impressão de já terem chegado longe demais.

Por fim, o outro time que demonstrou bom potencial nesta primeira fase foi o da França, mesmo sem Ribéry. A atuação contra o Equador não foi essa coisa toda, mas o time já estava classificado. Já a Suíça, que estava no grupo da França, não mostrou nada demais e deve cair fora já nas oitavas contra a Argentina de Messi.

Além do futebol agradável, fico muito satisfeito em ver o que ocorre fora das quatro linhas nesta Copa. Houve problemas pontuais, é claro, mas acima de tudo houve muita diversão nas arquibancadas, ruas e Fan Fests. Todo mundo curtindo essa Copa e o nosso país.

Ou seja, depois do temor inicial, a Copa está acontecendo, sim senhor. E tem mais!