Categorizado | Jogando nas Onze

O incêndio no nosso futebol

Copa(1)

O fogo que destrói coisas belas, o fogo que destrói a história de uma civilização. O fogo que corrói nossas entranhas e nos mata por dentro. O fogo da opressão, do ódio, da violência, da falta de amor, de cuidado, de esmero, o fogo do descaso.

O fogo que é invisível e nos afeta diariamente assassinando nossa autoestima, nossas paixões, o fogo da ignorância, o fogo da corrupção. O fogo que esmerilha o nosso orgulho. O fogo que a cada dia nos impõe um 7×1.

Esfumaçando o nosso tema semanal vem o fogo da falta de profissionalismo, da vontade de levar sempre vantagem em tudo, da desordem, da bagunça. O fogo que mata o futebol brasileiro a cada dia fazendo de nossa maior paixão, aquela que um dia foi digna de exposição no Museu Nacional, algo que só está em nossas lembranças sendo esfarelada por brasa. Mané, Pelé e o esquadrão que ganhou a taça do mundo sambando com a bola no pé não existem mais assim como os fósseis do museu.

Tudo se destrói, tudo se esvai na incompetência de nossos gestores. No futebol pobre e teorizado de treinadores com fala rebuscada que recebem mais importância que os jogadores. Futebol reativo, porcentagem de possa de bola, terço do campo, jogar sem a bola, falso 9. Falso futebol..Expressões que são labaredas queimando nossa essência. Times fracos sem ídolos, sem referências, que perdem garotos de 18 anos para o exterior e se chamuscam, cada vez mais no forte calor provocado por atrasos salariais, falta de patrocínios, más gestões..

Pobre futebol incendiado por dirigentes sem escrúpulos e agentes de jogadores que só visam o lucro. Somos uma ruína hoje, algo bem diferente do que já fomos. Um calendário incandescente, CBF e Federações como bolas de fogo, clubes com queimaduras de segundo, terceiro grau agonizando em hospitais de queimados sem ataduras ou morfina para aplacar o sofrimento. O caminho é a morte. A morte sufocada presa nos destroços.

O melhor de nosso futebol hoje é obra de museu, o problema é que nem museu respeitam nesse país. Pobre futebol brasileiro, pobre cultura brasileira, pobre Brasil.

Um povo que não tinha futuro agora não tem mais passado.

Perdemos o jogo ainda no primeiro tempo.

Twitter – @aloisiovillar

Facebook – Aloisio Villar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.

Visitas

Facebook