Categorizado | Jogando nas Onze

A maratona da bola

Calendárioot

Começou a maratona.

O calendário do futebol brasileiro nunca foi um primor. Teve uma época que nem férias existiam e, quando comecei a acompanhar futebol, lembro de os times jogarem até três vezes por semana. Quantas e quantas vezes não vi o Flamengo jogar terça, quinta e domingo por causa dessa loucura de datas.

O Flamengo campeão do mundo em 1981 jogou em média quase a cada três dias entre novembro e dezembro, decidindo Campeonato Carioca, Libertadores e Mundial. Lembro do São Paulo nos anos 90 sofrer com calendário também e tendo de inventar o “Expressinho”, time com jogadores mais novos. Se eu não me engano, o Grêmio chegou a ter dois jogos marcados para o mesmo dia.

Não temos mais dois jogos no mesmo dia nem três jogos em uma semana. O regulamento da FIFA hoje é mais exigente e obriga intervalo de 66 horas entre cada partida. Não que tivesse se tornado uma maravilha, mas a maratona do calendário do futebol brasileiro tinha dado uma aliviada, mas voltou a complicar esse ano.

Uma medida interessante foi tomada pela CONMEBOL, botar seus dois torneios, Libertadores e Sul Americana, o ano inteiro. É o certo, os torneios europeus são assim, mas o que era para ser bom pelo menos no primeiro ano sufocou os clubes brasileiros.

Aqui temos uma particularidade que em nenhum lugar do mundo tem, os Campeonatos Estaduais. Acho os Estaduais importantes e já disse isso aqui diversas vezes por manter rivalidades, dar empregos a centenas de jogadores mantendo clubes na ativa, além de ajudar na criação de novos jogadores. Mas isso virou um grande problema esse ano, quando as competições são aumentadas e o Brasileiro só começa em maio.

Na Europa, dá certo ter ao mesmo tempo campeonato nacional, copa e europeus porque todos esses tem duração de dez meses. Aqui, o nacional dura sete meses o que faz com quem tenhamos várias rodadas no meio de semana, coisa que não ocorre na Europa.

Volto a dizer, não é mais como antigamente com os três jogos por semana, mas o futebol mesmo mudou. O jogo está cada vez mais físico, corrido e exige mais dos jogadores então o desgaste mesmo sendo duas partidas por semana é gigantesco. Os principais clubes brasileiros não sabem o que é ter uma semana para treinar faz tempo e isso obriga a ter grandes elencos. Mas como fazer isso se o dinheiro anda escasso?

Apenas Flamengo e Palmeiras no Brasil hoje têm dinheiro para manter elencos numerosos e assim poderem escalar times mistos ou alternativos para poupar jogadores. Esse fato provoca a maior aberração do calendário atual. 

A premiação da incompetência.

Quem tem nesse momento o calendário mais tranquilo podendo se dedicar ao Campeonato Brasileiro são aqueles clubes que foram incompetentes no primeiro semestre e eliminados de copas e torneios internacionais. Os maiores exemplos são Vasco e São Paulo.

O Vasco, por vir da segunda divisão, não estava na Sul Americana, mas foi eliminado da Copa do Brasil. O São Paulo foi eliminado da Sul Americana e da Copa do Brasil. Graças a essas derrotas os dois e mais outros clubes podem descansar seus jogadores e entrarem nos jogos mais inteiros que aqueles que fizeram tudo certo.

O Botafogo, por exemplo, vem fazendo um ano heroico. A cada semana vaticinam seu fim, eliminações de competições e elas não ocorreram. Com elenco enxuto o Botafogo chega a julho no brasileiro, Libertadores e Copa do Brasil.

Como eu disse, o elenco é enxuto, Jair Ventura não tem como poupar jogadores e isso acaba acarretando em lesões dos jogadores e cansaço, fazendo o limitado elenco ficar mais limitado ainda. O time parece sentir a maratona e só não digo que está perto do limite porque o Botafogo parece sempre passar de seu limite.

Outro exemplo é o Grêmio. O clube gaúcho tem um excelente time titular, talvez o time que jogue o melhor futebol do Brasil hoje, mas nas duas vezes que teve que poupar o time titular devido a outras competições perdeu e uma diferença para o Corinthians que hoje poderia ser de um ponto é de sete.

O Corinthians mesmo não está mais na Copa do Brasil porque foi eliminado pelo Internacional e graças a isso terá um semestre mais tranquilo. Seria sacanagem dizer que o Corinthians é líder com folga no Brasileiro por causa do calendário, mas é evidente que foi beneficiado no último fim de semana quando Grêmio, seu seguidor mais próximo, e o Botafogo, seu adversário, tiveram que poupar na rodada.

Algumas coisas terão que ser revistas para o ano que vem. Eu defendo que os clubes grandes só entrem nos estaduais na reta final para tentar que eles terminem em março, mas infelizmente isso é impossível porque as federações estaduais serão contra e elas são a maior força eleitoral na CBF.

Mas é urgente que se pare de punir quem faz tudo certo, ainda mais que ano que vem tem copa do mundo e o calendário ficará mais complicado ainda.

Haja fôlego.

Twitter – @aloisiovillar

Facebook – Aloisio Villar

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Visitas

Facebook